AventureBoxExplore
Create your account
Palmas - TO / Parte 1 - Praias Urbanas

Palmas - TO / Parte 1 - Praias Urbanas

A Capital do tocantins é um bom local para esportes ao ar livre: praias de água doce, stand up, trilhas, cachoeiras, rapel, tiroleza.

Estivemos na capital do Tocantins de 22.10 a 02.11 de 2015 para acompanhar os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, o primeiro evento desse tipo. Foram 23 etnias brasileiras e representantes de 22 países dos 5 continentes.

Devido ao calor intenso daquela cidade, com exceção das partidas de futebol que eram disputadas às 7h30, as apresentações ritualísticas e as demais modalidades esportivas eram disputadas ao por do sol, assim como as modalidades de exibição (jogos específicos de um povo, como a corrida de tora, futebol de cabeça (sic) e pelota de fogo do México).

Assim, aproveitamos as manhãs para conhecer Palmas e suas atrações turísticas.

A cidade é planejada, assim como Brasília. Quase não há cruzamentos e semáforos, havendo intermináveis rotatórias. Quase não há calçadas também, dificultando o deslocamento de pedestres. Difícil encontrar gente andando por lá. Usa-se carro e ônibus (R$3,90). Taxis são caros. O povo é sensacionalmente receptivo, não raro ofereciam carona, mesmo desviando do próprio trajeto.

A cidade é orientada de norte (cores vermelho e amarelo) a sul (cores azul e verde), o que é dividido pela Av. Jucelino Kubischek. E separando o lado leste (verde e amarelo) do oeste (vermelho e azul) tem a av. Teotonio Segurado, mais conhecida como Eixão.

O sujeito não passa fome nesta cidade que é arborizada com árvores frutíferas como mangueiras, cajueiros e muito jamelão.

No Palácio Araguaia, sede do Governo Estadual, encontra-se o exato ponto central do Brasil. Um ponto equidistante do norte e do sul, e equidistante entre o leste e o oeste do país.

O rio Tocantins foi represado na Barragem do Lajeado, formando um imenso lago que banha Palmas, formando ilhas e diversas praias.

A primeira praia que fomos foi a da Graciosa, a mais próxima do centro da cidade, no final da Avenida Jucelino Kubischek sentido oeste. As linhas de ônibus que passam próximo da praia são as 9 e 10.

Não tem grandes atrativos, e nos chamou a atenção das telas de proteção no entorno da praia.

Fomos informados que as telas são para evitar ataques de piranhas aos banhistas, fato que estava e tornando frequente antes da instalação das telas.

Mas tem bons restaurantes flutuantes para almoçar e jantar. As especialidades são os peixes.

Nesta praia, fora da área cercada é possível fazer Stand up nas calmas águas do lago.

O fato de saber que pode ter piranhas (e com fome, já que as telas impediram que elas fizessem uma boquinha), ajuda muito no equilíbrio da pessoa.

Dessa praia também saem barcos para a Ilha Canela, Preço de R$20,00 por pessoa ida e volta.

Um paraíso de águas muito rasas e quentes, cervejas muito geladas e um drink chamado Cozumel que é assim: cerveja, suco de limão e gelo, com sal na borda do copo. Recomendo.

Olha a cerquinha anti-piranhas ao fundo!!!!

Os quiosques fecham às 17h00. Parece até repartição pública. Mas combinando com o barqueiro é possível ficar até mais tarde e curtir um por do sol fantástico.

Noutro dia, fomos à praia do Prata. Não há ônibus que serve à esta praia. Para chegar lá resolvemos pegar o ônibus Linha 01 – Eixão, descer em frente à concessionária da Chevrolet e seguir andando cerca de 3km pela estrada que chega na praia.

Foi uma boa opção para observar árvores do cerrado, pássaros e comer frutas do cerrado, como a doce Puçá.

Quase chegando ao destino, o proprietário de um quiosque parou e nos deu carona até o destino final, bem quando o asfalto acabava e entraríamos uma área de poeira vermelha que nos deixaria um tanto sujos!

A do Prata é uma ótima praia para passar horas relaxando, comendo e bebendo. O banheiro público é excelente em termos de limpeza e manutenção em geral. Tem ótima ducha.

Para voltar, pegamos um taxi chamado pelo dono do quiosque. Até o centro de Palmas a corrida ficou em R$ 45,00.

Os esportes mais radicais ficam no distrito de Taquaruçu, cerca de 30km do centro de Palmas. Isto será contado na parte 2 desta viagem.

Claudio Luiz Dias
Claudio Luiz Dias

Published on 11/09/2015 22:08

Performed from 10/21/2015 to 11/01/2015

Views

2923

Claudio Luiz Dias

Claudio Luiz Dias

Caraguatatuba

Rox
209

Agrônomo pela ESALQ USP.Trabalha na CETESB (Agência Ambiental do Estado de São Paulo) desde 1990. Interesse por meio ambiente, historia e cultura (foco em cerâmica indígena)

Adventures Map

178 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Renan Cavichi, Peter Tofte and 396 others support the Minimum Impact Manifest