AventureBoxExplore
Create your account
Aniversário na Montanha - julho/2017

Aniversário na Montanha - julho/2017

Comemoração dos meus 27 anos no Parque Estadual dos Três Picos, com ataque à Cabeça de Dragão e à Caixa de Fósforo

Trekking Mountaineering

O Parque Estadual dos Três Picos é um dos lugares mais lindos que temos no estado do Rio de Janeiro. A tradicional travessia Deuses x Frades já traz em seu nome um pouco dessa magia. O parque realmente tem uma beleza dos Deuses!

Desta forma, sendo um local icônico, quis passar meu aniversário de 27 aninhos na montanha e escolhi acampar por lá. Essa aventura aconteceu em julho de 2017... É, o tempo passa rs.

Logística:

Bem, conversando com um grande amigo, o Alex, ele já queria voltar ao Três Picos há algum tempo, daí combinamos que essa seria a oportunidade.

Nos encontramos no Mirante do Soberbo, em Teresópolis, e de lá partimos rumo à Pousada dos Paula, em Salinas, município de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro.

Deste ponto, a ideia era seguir até o Camping do Vale dos Deuses, montar o acampamento e seguir para a Cabeça de Dragão para ver o pôr do Sol. No segundo dia, faríamos o ataque à Caixa de Fósforo e depois retorno à Pousada dos Paula para finalmente descer a serra e retornarmos aos nossos lares.

Relato:

Dia 1: Saí bem cedinho do Rio pegando a rodovia Washington Luis e depois a Rio x Magé para subir a serra e chegar em Terê. Encontrei Alex e seu irmão no Soberbo e de lá partimos para Salinas, rumo ao Parque Estadual dos Três Picos.

O caminho é bem sinalizado, mas por via das dúvidas usamos gps até lá.

Chegamos na Pousada dos Paula por volta de 9/10 da manhã e nos organizamos para começar a subida ao Camping do Vale dos Deuses.

Já adianto que a vista é absurda o tempo inteiro. Vamos caminhando de frente para os Três Picos o tempo inteiro.

Vista da subida - Três Picos e Capacete

A caminhada até o camping dura entre 1h30 e 2h, numa subida de cerca de 4,5km que não é muito íngreme, porém tem pouquíssimos pontos de sombra. No caminho passamos por mirantes belíssimos, áreas verdes absurdas de tão lindas, flores... Vale muito a pena ir curtindo, sem pressa. Com cerca de 3,7km percorrido chegamos à uma casinha que é tipo sonho de consumo... Só fico imagindo abrir a janela ao acordar e dar de cara com toda a beleza dos Três Picos...

O camping tem capacidade para muitas barracas e possui estrutura de cozinha e banheiros. Não estava muito cheio na ocasião, então pudemos escolher bem onde montar as barracas. Organizamos tudo e fomos preparar o almoço.

Depois de almoçar descansamos um cado para, por volta das 15h subirmos a Cabeça de Dragão. A trilha começa no camping, e tem placas de sinalização. São cerca de 4km de trilha um pouco íngreme, mas sem dificuldades, é só caminhar mesmo. Chegamos lá no cume com bastante tempo, então pudemos aproveitar bastante o lugar e o pôr do Sol.

Vista do cume da Cabeça de Dragão

Ali curti um dos mais belos pores do Sol que já vi... Ficamos até ele praticamente se esconder por entre as montanhas dando um tom alaranjado e amarelado no lado que estávamos (dá uma olhadinha na foto de capa). Esses tons foram iluminando o Vale dos Deuses, dos Frades e bem ao longe o Pico da Caledônia... Tão lindo que deu vontade de chorar. Daí, descemos.

Pico da Caledônia, visto da Cabeça de Dragão

Chegando no Camping de volta, utilizamos a estrutura do lugar para tomar banho e depois preparar a janta. Diferentemente de outros locais, esse camping tem uma área preparada para fogueira. Algumas pessoas a acenderam nesta área específica e ficamos ali ao redor nos aquecendo. Me recordo que fez um frio do cão; eu estava super bem agasalhada e ainda assim senti frio. Resolvi que era hora de dormir e me enfiei no saco de dormir super quentinho. Apaguei.

Dia 2: Acordei com intenção de ver o Sol nascer, mas o tempo estava bem nublado. Ficamos um pouco mais na barraca, e conforme as horas iam passando o Sol lindão foi aparecendo. Organizamos nossas mochilas de ataque com coisas de café da manhã e partimos para a Caixa de Fósforo. Do acampamento até lá são cerca de 3km. Esta trilha começa aberta e em determinado ponto passa a ter seu caminho em mata mais fechada. Quase no final há uma corrente para subir o trecho de terra batido bastante escorregadio. Pouco depois há uma corda para auxiliar a chegada no platô da base da Caixa de Fósforo. Esse último trecho é uma chaminézinha de uns 3/4m. Se não me falha a memória, levamos por volta de 1,5h em todo esse percurso.

A Caixa de Fósforo em si é uma formação muito curiosa e que parece desafiar a gravidade. Parece realmente uma caixinha equilibrada. Se destaca na imensidão do Vale dos Frades e é um dos atrativos mais visitados da região. Para acessar o cume é necessário equipamento de escalada.

Caixa de Fósforo vista da trilha

Vista do Vale dos Frades a partir da base da Caixa de Fósforo

Dali é possível ver toda a extensão do Vale dos Frades e suas montanhas, como Cabritos, Branca de Neve... É um lugar lindo demais!

Por sinal, foi olhando da Caixa de Fósforo que eu criei uma pequena obsessão com a Branca de Neve, que acabei subindo em comemoração ao meu aniversário de 28 aninhos em 2018. Esse relato já tá escrito aqui.

Bem, paramos um cado pra descansar, tomar café da manhã e curtir o lugar.

Felizmente não tivemos companhia em nossas trilhas. A galera do camping tinha ido curtir o pôr do Sol na Caixa de Fósforo no dia anterior, que tínhamos subido a Cabeça de Dragão. No dia seguinte foi o contrário.

Pudemos curtir demais. Aproveitamos pra relaxar, fotografar... E depois descemos pra organizar nossas coisas e já retornar à Pousada dos Paula onde pegamos os carros e partimos. Fizemos parada em Bonsucesso para almoço e depois só paramos novamente no Soberbo, onde nos despedimos.

Considerações:

Olha, foi talvez uma das melhores comemorações que já tive sabe... Eu amo esse parque, a paz, o aconchego que ele tem. Valeu muito a pena, MESMO!

Esse inclusive foi um dos pouco lugares que eu já frequentei e não precisei recolher lixo. O parque é super bem cuidado e tem guardas parque que volta e meia estão andando por lá.

Das fogueiras, como falei, a área de camping tem um espaço específico para fogueira, então, se for acender, use o espaço apropriado. Não faça fogueira em outros locais. Na verdade, evite a fogueira. Use o fogareiro e leve equipamento suficiente para prover conforto na montanha. A melhor forma de evitar um possível incêndio é não fazer fogueiras, então evite ao máximo essa prática.

As trilhas são bem marcadas, mas, como toda prática outdoor, é sempre bom ter um tracklog e sempre levar lanternas.

No mais, só aproveitar muito toda a beleza arrebatadora do Três Picos <3

Danielle Hepner
Danielle Hepner

Published on 11/07/2020 20:54

Performed from 07/22/2017 to 07/23/2017

Views

440

3
Wemerson dos Santos
Wemerson dos Santos 11/10/2020 10:51

Muito top, Dani! Também penso em comemorar um aniversário dessa forma, fazendo uma grande aventura. Se tiver Instagram, me segue lá @wemerson_guga

Danielle Hepner
Danielle Hepner 11/10/2020 15:24

Wemerson, faça isso! Não vai se arrepender! Vou te procurar sim! Abraço!

Wemerson dos Santos
Wemerson dos Santos 11/10/2020 17:12

Tá ótimo! Obrigado pelo incentivo. Forte abraço!