AventureBoxExplore
Create your account

Primeiro Bikepacking

Uma aventura Fantástica

Jhonatan
Jhonatan 05/09/2021 00:14

Em setembro de 2018 resolvi me aventurar de uma forma diferente, como um entusiasta do ciclismo, todo final de semana me aventurava pelo interior de Caxias do Sul e cidades vizinhas.

Até aquele momento fazias rotas curtas e uma vez por mês um pedal acima de 100km, também já havia feito pedais de dois dias com pernoite em pousadas ou hotéis.

Há algum tempo estudava o pouco conhecido Bikepacking, já tinha adquiridos alguns equipamentos para realizar o primeiro.

Em um final de semana chuvoso que não consegui pedalar troquei algumas mensagens com o amigo Alexandre Casaroto, e decidimos fazer o Bikepacking no fim de semana seguinte.

Já fazia tempo que nos preparávamos, porém por um motivo ou outro acabávamos cancelando.

Aquela semana foi muito longa, não sei se pela ansiedade da aventura que estava por vir ou pelo fato de ter chovido a semana inteira, situação que poderia atrapalhar nossos planos.

Bikepacking é uma forma de viajar auto suficiente, onde tudo o que você precisa deve estar preso em sua bicicleta, para seguirmos arrisca a auto suficiência, levamos comida para dois dias, fogareiro, barraca, saco de dormir e isolante, tudo isso em uma bolsas de selim da China que havia adquirido a uns meses atrás, e sacos estanque presos no guidão com um suporte de alumínio que nem lembro onde consegui.

No dia sete de setembro de 2018 saímos as 07:15 rumo a uma aventura que de longe foi a melhor que fiz até o momento, a bicicleta estava pesada, um pouco ruim de controlar nos primeiros 20km, depois acostumei e já não sentia tanto o peso dos equipamentos, o trajeto seria de 120km, todos por estrada de terra, trilhas e travessia de rios.

Quando desenhei esta rota em nenhum momento imaginei que os lugares que iriamos passar seriam tão desafiadores, por falta de experiencia em nenhum momento levei em consideração elevação, peso na bike com os equipamentos e os sete dias anteriores que choveu sem trégua.

Foi uma manhã bem fria e com 25km em uma estrada abandonada que terminava em um caminho de boi, passamos nosso primeiro riacho, o mesmo estava bem alto, assim nos obrigando a passar por dentro da água gelada.

Depois de quase congelar continuamos em meio ao campo ainda com seiva da noite anterior, com mais 18km rodados tivemos que passar um rio, este estava muito cheio, a chuva da semana anterior tinha elevado córregos e rios, acabamos com água acima do joelho.

Assim foi nos demais rios e córregos que passamos (cinco), o fato de ter que tirar sapatilha e levar bike erguida, acabou que atrasou bastante nosso avanço ao longo do dia, além disso pegamos trilhas muito ruim de passar, e um atalho de 7km com trechos totalmente alagados

Eram 16:30 e faltava 25 km para chegar ao destino e tínhamos duas travessias de rio longas para fazer, a primeira já foi desafiadora pela altura da água e força.

Começamos a ficar preocupado visto que o sol já tinha sumido no horizonte, poderíamos acampar naquela região, porem sabíamos que era proibido por ser um parque, assim optamos por seguir vigem até cruzar os limites do mesmo.

Chegando ao local que tínhamos planejamos passar a noite, a luz do dia praticamente não existia mais, fato que nos deixou bem preocupados em cruzar o ultimo rio do dia, o mesmo possui uma extensão bem considerável para passar com bicicletas pesadas e quase sem a luz do dia.

Neste momento paramos discutimos qual seria a melhor alternativa, decidimos passar o rio, pior decisão que tomamos.

Iniciamos a travessia e logo percebemos que a corrente estava muito forte, tinha que fazer muita força para segurar as bikes devidos a força e altura da água, além disso o local que planejei atravessar estava muito fundo, fato que levou a pegar outra direção na água, direção a qual começou a nos distanciar da margem que queríamos alcançar.

Este momento foi bem difícil, estávamos a 100mts no mínimo da margem que entramos no rio e tinha um barranco na outra margem que seria bem difícil escalar, mas seguimos em frente e conseguimos alcançar a saída, sinceramente não lembro como saímos do rio, o barranco era íngreme, e com as bikes pesando no mínimo 20KG foi muito difícil subir.

Graças a Deus conseguimos, naquele momento a noite reinava com seu céu estrelado, logo montamos a barraca e começamos a cozinhar, foi o melhor nissim que comi até hoje.

Não tem como descrever a sensação de estar ali em meio a natureza, depois de um dia que apesar das dificuldades que em sua maioria foi devido a pouca experiencia em viajar desta forma, foi muito gratificante.

Após uma noite muito fria tomamos um café bem quente, comemos algumas bolachas e começamos a desmontar o acampamento, o dia estava fechado de neblina e havia geada no campo, após alguns km com a chegada do sol ficou muito gostoso pedalar. Na volta resolvemos colocar mais asfalto do que estrada de chão, estávamos cansados ainda do dia anterior.

Chegamos em casa cedo da tarde, como viemos boa parte por estradas principais e asfalto a volta foi rápida e tranquila.

Enfim, este foi o primeiro Bikepacking, com ele descobri uma sensação de liberdade indescritível, a partir dele surgiu diversas outras aventuras que geraram histórias que não vou esquecer em quanto viver.

Jhonatan

Published on 05/09/2021 00:14

Views

57

2
Alexandre Casarotto
Alexandre Casarotto 05/10/2021 13:41

Top d+ . Teve outros depois, que venham os próximos!

Alexandre Lôbo
Alexandre Lôbo 05/12/2021 09:19

Maneiro demais.