AventureBoxExplore
Create your account

AS MONTANHAS MAIS ALTAS DO BRASIL

Nessa matéria vamos apresentar quais são as 11 montanhas mais altas do Brasil, (incluindo a não oficial), onde estão localizadas e suas cara

Alma Outdoor
Alma Outdoor 08/13/2020 09:10

Por: Sandro Gavião

Ir cada vez mais longe, Subir as montanhas mais altas do Brasil. Geralmente essa é a ambição de todo praticante de trekking desde o momento que se apaixona pela atividade.

Mas chegar até os maiores picos brasileiros não é uma tarefa fácil. Não somente pelo condicionamento físico necessário.
Ir às altas montanhas exige um planejamento prévio. Viajar longas distâncias, se equipar, programar a viagem com os dias de folga no trabalho e guardar a grana necessária para cumprir a missão.

Por isso é muito importante traçar metas, saber exatamente para onde canalizar suas forças e definir qual será o destino durante a temporada de montanha no Brasil.

Nessa matéria vamos apresentar quais são as 11 montanhas mais altas do Brasil, (incluindo a não oficial), onde estão localizadas e suas características. Assim você pode escolher e se preparar para seu próximo desafio.

​1 - PICO DA NEBLINA – 2.993,80M - AM

Fazendo parte da Serra do Imeri na cidade de Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas, fronteira entre Brasil Colômbia e Venezuela está a montanha mais alto do Brasil. O Pico da Neblina.

Apesar de maior parte da montanha se encontrar na Venezuela, o seu cume se localiza em terreno brasileiro.
Com 2.993,80 metros, o ponto mais alto do pais ganhou seu nome devido ao fato do cume ficar encoberto por uma densa neblina na maior parte do tempo.

A primeira medição de sua altitude foi em 1965 durante a primeira expedição ao seu cume pelo Exercito brasileiro que chegou a medida de 3.014m. Somente em 2002 foi feita uma nova medição que chegou a seu número atual e tirando do Brasil a única montanha com altitude acima dos 3.000 metros.

Para proteger o ecosistema e as comunidades indígenas da região como as Yanomamis e Tucanas, em 1979 foi criado o Parque Nacional do Pico da Neblina.

Desde 2003 o Ministério Público Federal proibiu a visitação ao Pico da Neblina alegando que as agências de turismo estavam explorando de maneira indevida o trabalho humano repassando uma porcentagem minima dos rendimentos aos Yanomamis .
Em 2018 o ICMBIO em conjunto com a FUNAI anunciou a retomada das atividades de turismo no Pico da Neblina. Em outubro de 2019 a carta de anuência que aprova a visitação do Parque foi assinada.

2 - PICO 31 DE MARÇO - 2.972,70M - AM

A segunda maior montanha brasileira não tem um nome muito glorioso.

31 de março é a data do início do golpe militar brasileiro que derrubou o então presidente João Goulart e deu início aos anos de ditadura. A primeira expedição ao pico 31 de março foi no mesmo ano do golpe, em 1964, pelo exército brasileiro que provavelmente resolveu celebrar o feito homenageando a data.

O pico 31 de Março está ao lado do Pico da Neblina, separados por apenas 657 metros de serra e é considerado um cume secundário do ponto mais alto do Brasil. Porem é o topo do país vizinho fora dos Andes, Venezuela. Já que ele se localiza na divisa entre os dois países.

As visitas ao Pico 31 de Março sofrem os mesmos processos burocráticos para visitar o Pico da Neblina.

3 - PICO DA BANDEIRA – 2.892M – MG/ES

No século XIX ela era considerada a montanha mais alta do Brasil. E por conta disso, em 1859 o Imperador Dom Pedro II ordenou que fosse erguida uma bandeira brasileira em seu cume. E é daí que vem o seu nome, Pico da Bandeira.

Localizado na Serra do Caparaó, entre os estados de Minas Gerais e Espirito Santo é o terceiro maior pico do Brasil e o maior da região sudeste.

A caminhada até seu cume não é de grande dificuldade técnica e é possível iniciar uma expedição pela cidade de Ibitirama no lado capixaba e por Alto Caparaó no lado Mineiro.

4 - PICO DO CALÇADO – 2.849,00M – ES/MG

Situado no Parque do Caparaó, na divisa entre Minas Gerais e Espirito Santo está o quarto maior pico brasileiro. O Pico do Calçado.
Porém essa posição ainda é extraoficial, pois o IBGE ainda não confirmou a medida atual. Até 2004 a altitude considerada era de 2.766,00m, porem uma nova aferição feita em 2016 pelo Projeto Pontos Culminantes do Brasil aumentou sua altura para o número atual.

Mas não é por não ser oficial que não vale a pena visitar o seu cume. Afinal, mesmo se a medida atual não for confirmada ela ainda estará em quinto lugar pela medição antiga. O que não muda é o belo visual de seu topo de onde se avista o Pico do Cristal.

​A trilha até o Pico do Calçado parte do lado mineiro. Após uma escalaminhada em suas rochas chega-se ao topo e então continua a caminhada por mais 15 minutos até o Pico da Bandeira.


​5 - PEDRA DA MINA -2.798,40M – MG/SP

Na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo está o quinto maior cume do Brasil, a Pedra da Mina. Com seus 2.798,40 metros de altitude, esse pico se localiza no maciço da Serra Fina e é o ponto mais alto da Serra da Mantiqueira, do estado de São Paulo e o segundo maior do estado mineiro.

A montanha ganhou esse nome devido a algumas pequenas nascentes que brotam próximas ao seu topo.
Até o ano 2000 era considerada menor que o Pico das Agulhas Negras. O número atual que a coloca em quinta na lista das maiores montanhas brasileiras foi registrada por pesquisadores de Geografia da USP.

O seu cume e os arredores do lado paulista são protegidos por uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural). São mais de 630 hectares localizados dentro da Fazenda Jaboticabal na cidade de Queluz – SP.

Chegar até esse cume não é tarefa fácil, a travessia da Serra Fina é considerada a mais difícil do Brasil devido aos frequentes nevoeiros que dificultam a navegação até de montanhistas experientes, a escassez de água, vegetação densa e um caminho extremo e constantemente íngreme. As trilhas de acesso podem se iniciar pelas cidades de Passa Quatro –MG, Queluz – SP e Lavrinhas – SP.

A primeira subida até a Pedra da Mina foi em 1955 por uma excursão de montanhistas imigrantes alemães.
​6 - PICO DAS AGULHAS NEGRAS – 2.791,50M – RJ/MG

Localizado no parque nacional mais antigo do Brasil, o Parque do Itatiaia, ainda na Serra da Mantiqueira, fazendo divisa com Minas Gerais e Rio de Janeiro está o Pico das Agulhas Negras. Entre os municípios de Itatiaia – RJ, Resende – RJ, Bocaina de Minas – MG e Itamontes - MG.

Foram feitas algumas tentativas para alcançar seu cume em 1856, 1878 e 1898. Mas a primeira escalada com êxito foi em 1919 por Carlos Spierling e Osvaldo Leal.

Suas formas naturais esculpidas pelo vento com pedras pontiagudas apontadas para o céu inspiraram o seu nome.

É necessário um bom preparo físico, conhecimento técnico e muita coragem para se espremer em apertados corredores, cruzar um abismo com auxílio de cordas e realizar uma última escalada técnica para finalmente assinar seu nome no livro do cume.

A visão 360 graus do seu cume possibilita que se aviste o Morro do Couto, segunda maior montanha do Parque do Itatiaia, a Serra Fina, a região de Visconde de Mauá e o Vale do Paraíba.

​7 - PICO DO CRISTAL – 2.769,80M – MG

No município de Alto Caparaó – MG, na Serra do Caparaó, a mesma que abriga o Pico da Bandeira e o Pico Calçado está a sétima montanha mais alta do Brasil, a maior totalmente em território mineiro e considerada por muitos a mais bonita da região.
O Pico do Cristal que leva esse nome devido ao efeito luminoso que o quartzo tem em noite iluminada pela lua cheia.

A melhor maneira de acessar seu cume é pela trilha de volta do Pico da Bandeira. Porem sua ascensão é um pouco mais difícil que a de sua vizinha, com um pouco de escalaminhada e saltos por algumas pedras soltas.


​8 - MONTE RORAIMA – 2.739,30M - RR

Localizado no extremo norte do país, na Serra de Pacaraima, na cidade de Uiramutã, no estado de Roraima, fazendo a tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, está uma montanha de beleza inigualável que para a maioria dos montanhistas beira o surreal, o Monte Roraima.

Diferente das outras grandes montanhas brasileiras, o Monte Roraima não é um pico, mas sim uma enorme e impressionante mesa com um cume de quase 90 quilômetros.

Apesar de ser a oitava montanha da lista e da grande extensão de seu cume, apenas 10% do monte se localiza no Parque Nacional do Monte Roraima no lado brasileiro. A maior porção está no Parque Nacional Canaima no lado venezuelano. Por isso o caminho para o topo é feito pela Venezuela em uma expedição que dura em torno de 5 a 8 dias com início na aldeia indígena Parai-Tepui.

Uma expedição britânica chefiada por Everard Ferdinand Im Thurn foi a primeira a alcançar seu cume em 1884. Mas houve algumas tentativas anteriores. E uma dessas expedições pode ter inspirado o escritor britânico Sir Arthur Conan Doyle, famoso por suas histórias com o detetive Sherlock Holmes, em 1912 a escrever sua obra de ficção fantástica O Mundo Perdido.
​9 - MORRO DO COUTO – 2.680,00 – MG/RJ

O Parque do Itatiaia, mais uma vez aparece em nossa lista, agora abrigando a nona montanha mais alta do país, o Morro do Couto.

O Morro do Couto é com certeza a montanha de mais fácil acesso. Em uma caminhada de 2 horas a partir da portaria da parte alta do parque é possível atingir seu cume, de onde se avista o Pico das agulhas Negras, Serra Fina e o Vale do Paraíba.

10 - ​PEDRA DO SINO DE ITATIAIA – 2. 670,00 – RJ

Localizada na divisa entre Itamontes – MG e Bocaina de Minas – MG está a décima montanha mais alta do Brasil e a quinta do estado mineiro. A Pedra do Sino de Itatiaia é mais uma das montanhas do Parque Nacional do Itatiaia na Serra da Mantiqueira.

Seu nome se deve ao seu formato arredondado lembrando dois sinos sobre postos e para diferenciar da formação de mesmo nome na Serra dos Órgãos foi incluída Itatiaia ao seu nome.

Se você gosta de desafios físicos e lugares isolados, um trekking até seu cume será perfeito. A trilha tem 12 quilômetros de extensão e muito pouco frequentada. No caminho é necessário subir a Pedra do altar e depois descer até a base da Pedra do Sino, ou seja, haja pernas para aguentar a jornada e vencer dois grandes desníveis duas vezes.

​11 - PICO DOS TRÊS ESTADOS – 2.665,00 SP/RJ/MG

Vizinha da Pedra da Mina na Serra Fina esta o Pico dos Três estados que leva esse nome por estar exatamente no marco geográfico que divide São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Visitar o seu cume é parte do trajeto da travessia da Serra Fina, ou seja, a dificuldade de acesso é bem conhecida. Com seus 2.000 metros de desnível acumulado em um trekking técnico, com pouca água, dias quentes e noites gélidas.
No topo há uma armação de metal em forma de tripé indicando o marco geográfico com o nome dos três estados em suas direções.

Alma Outdoor

Alma Outdoor

Rox
387

Conteúdo informativo de qualidade para incentivar e inspirar as pessoas à prática de atividades ao ar livre, a interação com a natureza e a uma vida mais saudável.


20 Posts

See More

29 Following