AventureBoxExplore
Create your account

Pedra Da Gávea • RJ

Todo mês uma lenda diferente sobre algum lugar incrível

📌 Pedra da Gávea, RJ

🛸 Mistérios rondam as pedras do Rio de Janeiro 👽

O fascínio aumenta exponencialmente quando nos deparamos com as inúmeras lendas e mistérios que rondam a montanha.

O maior bloco de pedra a beira mar do planeta, além de imponente e majestosa de todas as demais formações rochosas do Rio

O mistério da Pedra da Gávea divide a arqueologia brasileira.

Uma corrente vê nela uma esfinge perfeita, cuja fisionomia durante o dia, é a de um jovem, e ao entardecer é a de um velho enrugado e triste.

Outra corrente não admite estas interpretações e vê em tudo apenas uma coincidência muito grande.

Mas e as inscrições talhadas na pedra ⁉️

😱 Tudo indica que estas inscrições tem mais de 30 mil anos.

Existiria nela um portal com acesso ao suposto mundo subterrâneo, o qual muitos dizem existir em nosso planeta?

*********

Na cidade do Rio de Janeiro (RJ), entre os bairros de São Conrado e Barra da Tijuca uma grande montanha de pedra, com 842 metros de altitude, surge das águas do oceano Atlântico.

É a mais alta montanha à beira-mar do planeta.

Foi a primeira montanha carioca a ser batizada com um nome em português.

Por causa de sua altura, e proximidade com o mar, a Pedra da Gávea foi o 1º acidente geográfico carioca a ser avistado e batizado pelos portugueses durante a expedição exploradora capitaneada por Gaspar de Lemos, que estava acompanhado do grande Américo Vespúcio, batizador de todo este imenso continente.

Em 1º de janeiro de 1502, ao chegarem próximo da entrada da Baia de Guanabara, chamou a atenção dos marujos uma imensa montanha, cuja ponta se assemelhava à um “cesto-de-gávea”: nome do posto de observação localizado no alto das suas caravelas, e assim chamaram.

Logo depois o capitão chegou à entrada da Baia e acreditou que era a foz de um grande Rio, e o batizou como Rio de Janeiro.

Rei Fenício

Muitos acreditam que as figuras encontradas nas pedras são obras de civilizações antigas (vikings, romanos, maias, fenícios, egípcios), de visitantes do espaço, muito antes dos portugueses descobrirem as terras do sul do Atlântico. Ou até mesmo da lendária Atlântida.

Estas elevações aguçaram a curiosidade de D. João VI, D. Pedro I e II Tudo começou no início do século XIX, quando o imperador D. Pedro I recebeu um relatório do padre Benigno da Cunha, afirmando que havia estranhas inscrições no alto da Pedra.

Sobre a Pedra da Gávea, além de se poder ver claramente o rosto esculpido na mesma, pode-se também ver um outro rosto inacabado voltado para o lado sudeste; sem falar nas enigmáticas inscrições e desenhos na pedra, que estudiosos afirmam ser fenícias, inclusive há documentos antigos que já falam das inscrições.

Há vários fatos intrigantes que reforçam a tese de que o Rei Fenício teria sido enterrado no alto da Pedra da Gávea, e que seu cume representaria sua esfinge.

Algumas constatações:
• A aparência da grande cabeça com os dois olhos (não muito profundos e sem comunicação entre eles) e as orelhas, e o local de um nariz;
• A inegável aparência de um rosto humano munido de elmo e barbas em uma das faces da montanha.
• A semelhança do topo do morro com um sarcófago gigante.

• As pedras enormes no topo da cabeça que se assemelham a uma espécie de coroa ou adorno;
• Uma cavidade enorme na forma de um portal no norte-leste parte da cabeça que é de 15 metros de altura, 7 metros de largura e 2 metros de profundidade;
• Um observatório na parte Sudeste como um dólmen, contendo algumas gravuras;
• Um ponto culminante como uma pequena pirâmide feita de um único bloco de pedra no topo da cabeça;
• As famosas e controversos inscrições no lado da rocha;
• Algumas outras inscrições pequenas se assemelham a cobras, raios de sol e etc, localizados em todo o topo da montanha;
• O local de um suposto nariz, que teria caído há muito tempo.

Túmulo para o Rei Fenício Badezir

A face, seria do Rei Badezir e a Pedra da Gávea serviria de túmulo para este antigo rei fenício. Ou que a Pedra da Gávea seria uma esfinge.

Segundo os historiadores, Badhezir sucedeu seu pai JethBaal no reinado de Tyro, importante cidade da Fenícia por volta de 850 a.C.

Os detalhes de toda esta história ainda são nebulosos, mas Badhezir teria fugido junto com toda a sua corte e boa parte da população de Tyro durante algum momento do cerco que Salmanaser III, imperador da Assíria, teria imposto à sua cidade.

Os fenícios foram os maiores navegantes do Mundo Antigo.

Comprovadamente estabeleceram relações comerciais com as ilhas britânicas, com a Espanha e norte da África onde fundaram inúmeras colônias, sendo que a mais famosa de todas elas foi Cartago que se situava onde hoje fica a Tunísia, e que na época foi uma das maiores cidades do Mundo.

É comprovado também que os fenícios foram mais ousados ainda e criaram inúmeras colônias no litoral atlântico da África na costa da Guiné e do Congo.

Por volta de 600 a.C. o faraó Necau II do Egito patrocinou uma expedição capitaneada por Hanão, que segundo o grande historiador Heródoto, circum-navegou o todo o continente Africano.
Uma façanha realizada incríveis 2100 anos antes de Vasco da Gama!

Badhezir junto com toda a sua expedição teria a princípio a intenção de fundar uma nova colônia no litoral ocidental da África, mas ao chegar à Cabo Verde, fortes correntes marinhas teriam desviado a frota do seu objetivo.

Orientação era o fraco dos Fenícios. Eles navegavam sempre próximo das costas, mas uma vez que perderam esse contato visual, seguiram navegando na direção das correntes até que chegaram ao Brasil.

Além da Pedra da Gávea, estudiosos encontraram ao longo dos séculos inúmeros vestígios da presença fenícia no Brasil. São muitas inscrições em rochas e também a incrível semelhança de alguns vocábulos do tupi-guarani com palavras fenícias.

Pois o Rei Badhezir teria morrido nesta expedição. Passando pelo Rio de Janeiro, seus súditos se depararam com a impressionante imagem do gigante de Pedra.

Chegaram à conclusão de que a cabeça do gigante (correspondente à Pedra da Gávea) seria o local ideal para servir de descanso eterno ao Rei.

Ânforas submarinas
Em 1982, o arqueólogo norte-americano Robert Frank Marx fez uma série de mergulhos na Baía de Guanabara, no intuito de descobrir eventuais embarcações fenícias naufragadas, que acabariam comprovando toda esta tese.


Eles fez uma varredura em todo o fundo da Baía. Não encontrou nenhuma embarcação afundada, mas…. encontrou três ânforas de origem fenícia.


Ele entrou em conflito com as autoridades da marinha brasileira, que alegando o risco de saques, vedou o acesso ao local.


As ânforas estão guardadas a sete chaves em um local secreto pela Marinha Brasileira.
Marx chegou a afirmar que as autoridades brasileiras tem grande interesse em manter a versão oficial da historiografia oficial que conta que Pedro Álvares Cabral foi o primeiro homem do Velho Mundo a “pisar” em solo brasileiro.


Portal de Agharta

Entrada para o túmulo de Badhezir segundo alguns, mas para a grande maioria dos místicos, uma grande cavidade no formato de um paralelepípedo de 15 metros de altura, 7 m. de largura e 2m. de recuo, representaria a entrada para o Reino subterrâneo de Agharta.

De acordo com seus adeptos, o Mundo de Agharta teria um compartimento secreto dentro da Pirâmides de Gizé no Egito, sendo o principal na grande pirâmide de Quéops.

Ainda segundo estes mesmos místicos, o império de Agharta teria três portais de entradas aqui no Brasil, sendo um em sete cidades no Piauí, outro na Serra do Roncador (Barra do Garças, MT) e o terceiro seria justamente este portal na Pedra da Gávea!

Discos Voadores
Há relato de pessoas que moram nos bairros vizinhos e avistaram discos voadores sobrevoando a montanha.


O primeiro relato devidamente documentado em fotografias de um objeto voador não identificado em terras brasileiras foi sobre a Pedra da Gávea.

👽 Luzes estranhas
Há relatos de luzes estranhas que sairiam de dentro das cavidades da Pedra.


Em 1937 houve um caso notório deste tipo de relato.


Dois pesquisadores pernoitaram no alto da Pedra e num determinado momento notaram uma estranha luz verde saindo de uma das fendas rochosas.


Intrigados, foram até a fenda e ao entrar nela se depararam com um “estranha sala com várias estátuas humanas” e logo a seguir sob um luz ofuscante, desmaiaram.


No dia seguinte ao acordarem, desceram a Pedra e procuraram a redação de um jornal de grande circulação pra relatarem o estranho fenômeno.


Os jornalistas combinaram com eles o retorno até o local para averiguarem melhor o fenômeno.


Porém qual não foi a decepção de todos quando retornaram lá e nem sequer localizaram a fenda!


Os dois pesquisadores logo depois enlouqueceram e morreram internados no Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira em Jacarepaguá, sempre reafirmando a veracidade da história contada…


Os geólogos e arqueólogos oficiais, desmentem todas estas histórias, afirmando que a imagem do rosto, as “inscrições” e o grande portal de Agharta são todos frutos da erosão natural ao longos dos milhões de anos

Fontes:
Diariodorio.com
sagatranscarioca.com
alemdaimaginacao.com

1
Aventuras com Isaac
Aventuras com Isaac 02/25/2021 13:54

Se é verdade, eu não sei, mas o lugar é simplesmente mágico ⛰️🍃

Elas Outdoor Sp

Elas Outdoor Sp

São Paulo

Rox
1064

Relatos e dicas de mulheres apaixonadas pelo esporte outdoor ♀️⛰🏕🏄🏽‍♀🧗🏻‍♀🚴🏾‍♀🚣🏿‍♀ Instagram: @elasoutdoorsp 🔰 Desde 03/2020

Adventures Map
linktr.ee/elasoutdoosp

43 Posts

See More

111 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Bruno Negreiros, Peter Tofte and 394 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Bruno Negreiros, Bruna Fávaro and 149 others support the Together page.