AventureBoxExplore
Create your account

PETAR- PARQUE ESTADUAL DO ALTO DO RIBEIRA

Cavernas , cachoeiras e muitas aventuras concentradas em um dos mais belos parques brasileiros.

Parque estadual turístico do Alto do Ribeira , foi criado em 1958 , sendo um dos mais antigos do estado de São Paulo . Sua área é de 35.712 hectares e abriga o valioso patrimônio natural da região do alto ribeira ,composto por sítios paleontológicos , arqueológicos e históricos , além de grande diversidade biológica característica da mata atlântica preservada em toda a sua extensão.

As águas regem a natureza no Petar . De tanto bater na pedra dura de calcário, a água mole moldou pacientemente , durante milhares de anos uma infinidade de corredeiras , cachoeiras , cavernas e abismos escondidos na floresta úmida tropical.

A maior atração do parque é sem dúvida sua riqueza espeleológica . São mais de 250 cavernas cadastradas o que faz do Petar uma das maiores concentrações deste gênero no Brasil.

Existem no Petar quatro núcleos para visitação :

Santana , Caboclos , Ouro Grosso e Casa de Pedra.

O núcleo mais visitado é o de Santana , que está localizado a 3 km do bairro da serra em Iporanga . Este núcleo é cruzado pelo rio betari , que é um afluente do rio ribeira de iguape e recebe as águas de várias cavernas .

Seu leito é bastante pedregoso e acidentado e as águas de uma transparência sem igual . Próximo ao núcleo de santana encontramos um quiosque , onde iniciam-se as trilhas que levam às cavernas distantes , dentre elas a caverna água suja que possui no seu ponto culminante uma cachoeira interna . O caminho para a caverna vai margeando o rio betari e em alguns pontos é necessário atravessá-lo , sempre com o auxílio de cordas pois a correnteza é forte. O visual incrível , compensa o esforço na trilha.

Passando a caverna água suja , a trilha continua até as magníficas cachoeiras das andorinhas e betarizinho, ponto final da trilha ,onde se faz uma pausa para o lanche e para os banhos de cachoeiras antes de voltar.

Além da caverna água suja , e mais próximo à entrada do parque , pode-se visitar também a caverna santana , que dá nome ao núcleo e é sem dúvida a mais requintada em formações e labirintos . O acesso a ela só é possivel com guia , pois existe uma grade protegendo a entrada .

Ainda próximo está a caverna morro preto , a qual está localizada no alto de uma ladeira que arrebenta o explorador que já vem de outras trilhas .

Felizmente o visual compensa qualquer esforço pois ela é magnífica.

Vale a pena também conhecer a caverna lambari , o melhor dela é atravessar um túnel, que lembra o estomago de uma baleia, na mais completa escuridão com o teto raspando em sua cabeça e água na altura dos ombros. Pura adrenalina e divertimento.

No Petar está localizada também a caverna laje de pedra cujo pórtico chega a incríveis 215m de altura , o equivalente a um prédio de setenta andares.

devido a extensa área de preservação, em suas matas podem ser encontradas espécies animais , como a onça pintada , o macaco mono-carvoeiro , gavião real , veado-mateiro , iraras e lontras. Inúmeras espécies como o papagaio do peito roxo , jacutinga entre outros. Em relação à flora , a região abriga espécies típicas de matas íntegras, como canelas , cedros , figueiras , jatobás , bucúvas etc.

Fora da área do núcleo santana , vale a visita ao local da cachoeiras sem fim , Um complexo de cachoeiras cada uma mais bonita que a outra , é para literalmente lavar a alma.

O Petar tem ínumeras atrações que valem mais do que apenas uma visita .

Se tiver espirito aventureiro e bom preparo físico , é um dos passeios mais incríveis no Brasil.

Dicas:-

Chegando lá :-

De São Paulo ou Curitiba no Paraná , pela br 116 , até a cidade de Jacupiranga, seguindo depois para Iporanga.

Melhor época :

Esqueça o período das chuvas , a estrada de cascalho , vive caindo barreiras sem contar que com uma chuva forte , os rios sobem ,ficam violentos ,além do que você pode ficar preso dentro das cavernas. Prefira os meses entre maio e novembro , que não chove muito , e trilha não fica tão escorregadia.

O que levar :

Uma mochila pequena resolve. Nela você leva a lanterna com pilhas extras, uma toalha para se enxugar , lanche (traga o lixo de volta). Use calça de tactel que seca rápido e uma boa botina de trilha.

Nunca esquecer o kit de primeiros socorros.

Dica final:

Nunca entre desacompanhado nas cavernas , tenha sempre um guia experiente ao seu lado.

Fique atento para não pisar nos espeleotemas.

Mantenha a caverna limpa , traga o seu lixo de volta .

Não fume no interior da caverna , a fumaça é prejudicial a este delicado ambiente .

Caso você se perca , não entre em pânico , fique parado e aguarde o auxilio. O resgate só será possivel se você tiver informado seu roteiro ao guia de plantão , nos postos dos guias através da ficha de visitação .

Por último , fique de olho na trilha ,mas não deixe de olhar ao redor para apreciar a exuberante e maravilhosa floresta ond