AventureBoxExplore
Create your account
Parque Nacional do Itatiaia

Parque Nacional do Itatiaia

Trekking de 60 km no primeiro Parque Nacional do Brasil

Trekking Camping Mountaineering

A ideia inicial era fazer a famosa Travessia Serra Fina. Entretanto, o incêndio florestal ocorrido em 2020 motivou prefeituras e proprietários rurais a proibirem o acesso ao local, que permanecerá fechado até meados de 2022, tempo previsto para recuperação da natureza local e criação de infraestrutura para controle de acesso às trilhas.

Por conta disso, a opção escolhida para gastar 4 dias caminhando (e que fosse perto da Serra Fina) foi o Parque Nacional do Itatiaia, famoso PNI. Considerando que as travessias do PNI são configuradas para no máximo 2 dias, a saída foi emendar 2 trilhas: Travessia Ruy Braga e Travessia Rancho Caído.

A Travessia Ruy Braga pode ser iniciada tanto na parte baixa quanto na parte alta do PNI, entretanto, a Travessia Rancho caído só pode ser iniciada na parte alta. Assim, a solução para emendar as duas trilhas obrigatoriamente levou o início para a parte baixa do Parque, cuja entrada se dá pelo município de Itatiaia-RJ.

Fazendo pesquisas em sites especializados, percebi que ambas as Travessias eram classificadas com nível de dificuldade médio. Tendo em vista que a preparação inicial era para Serra Fina, classificada como difícil, a ideia de unir as duas travessias caiu muito bem. Mas ainda faltava algo...

Esmiuçando as várias possibilidades de trilhas dentro do PNI, optei por fazer a Travessia Ruy Braga via Morro do Couto, passando pelas Prateleiras, o que deixou a aventura bem mais interessante. Já a Travessia Rancho Caído foi feita pela rota tradicional, com apenas alguns desvios para Pedra do Altar, Pedras Ovos de Galinha, Cachoeira das Flores e Cachoeira do Aiuruoca.

Assim, a empreitada toda rendeu 60 km que foram percorridos em 4 dias. O ponto inicial foi a portaria da parte baixa. No Posto do Marcão, que fica na parte alta, é necessário fazer o e check-out da primeira travessia e check-in da segunda travessia. O ponto final foi a Vila da Maromba, também conhecida como região de Visconde de Mauá. As trilhas são bem batidas, mas em alguns trechos a vegetação esconde o caminho. Há abundância de água por todo o trajeto. Não há necessidade de contratar guia.

Por conta da pandemia os abrigos estavam fechados, logo, os 3 pernoites foram feitos em barraca. O primeiro pernoite foi no Abrigo Massena, que de abrigo não tem nada, só tem ruínas de uma construção que um dia foi bem imponente. Não havia nenhuma fonte água próximo desse abrigo num raio de 300 metros. O segundo pernoite foi no camping da parte alta, perto do Abrigo Rebouças. Lá tem água, banheiros, mesas para refeição e energia elétrica. O terceiro pernoite foi em acampamento rústico, no que é denominado camping do Rancho Caído. Não há nenhuma infraestrutura, mas tem água nas proximidades.

O PNI é fantástico, são muitas paisagens deslumbrantes. Ficar 2 noites no Rebouças e dedicar um dia somente para subir o Pico das Agulhas Negras vale a pena. Não subestime o clima do PNI no outono/inverno, a temperatura facilmente fica negativa quando o sol se esconde.

Tiago Oliveira
Tiago Oliveira

Published on 06/03/2021 17:06

Performed from 05/09/2021 to 05/12/2021

Views

104

3
Jose Antonio Seng
Jose Antonio Seng 06/04/2021 06:08

Legal, Tiago. Eu fiz exatamente esse trekking, 2019, para treinar para trilhas no Peru. Parabéns !

Jose Antonio Seng
Jose Antonio Seng 06/04/2021 06:11

Peguei a Rui Braga bem fechada (como era treino, tinha colocado nas costas minha maior cargueira). E agua tem um pouco depois do Abrigo Massena.

Tiago Oliveira
Tiago Oliveira 06/04/2021 09:55

Top, José. Esse roteiro fica bem interessante.