AventureBoxExplore
Create your account
Araguacy 04/28/2017 20:51
Travessia Marins x Itaguare ou Marita

Travessia Marins x Itaguare ou Marita

A travessia Pico dos Marins (2.420m) ao Pico Itaguaré (2.308m) fica localizada na Serra da Mantiqueira em São Paulo.

Travessia Marins x Itaguaré ou Marita

A travessia Pico dos Marins (2.420m) ao Pico Itaguaré (2.308m) fica localizada na Serra da Mantiqueira em São Paulo, nível de dificuldade alta com 18KM entre eles.
Para essa travessia o montanhista deve estar preparado fisicamente pois é a mais técnica da Mantiqueira devido ao ‘trepa pedra’ constante. Suas cristas são de pedras empilhadas, alguns trechos expostos, passagem por buracos entre pedras e até mesmo uma passagem por corda depois do Marinsinho fazendo uso de técnicas de rapel.
Para atingir o cume do Marins formado por um grande maciço rochoso com paredões íngremes exige atenção e muita ‘escalaminhada’, já a conquista do cume do Itaguaré precisa de muita coragem para realizar o tal pulo do gato (passagem de uma pequena pedra presa numa fenda com abismo de dar vertigem rsrs), não o bastante ainda existe mais um outro obstáculo até o livro do cume, superado tudo isso a vitória é ver seu registro no livro.
Esse foi o destino do Grupo Trilhadeiros com 12 integrantes para o feriado de Tiradentes de 2017 (21/04/2017) realizar a clássica travessia Marins x Itaguare, trekking que todo montanhista deve ter em seu curriculo, e também a usamos com o foco de treino para o projeto SF (Serra Fina), teste equipamentos, teste alimentação, condicionamento físico e controle psicológico.

1º Dia
Trilha subida até o Marins realizada em 6 horas devido ao grande peso das mochilas cargueiras variando entre 16 kilos e até mais de 25 kilos.
Na chegada a base do Marins percebemos que não haveria espaço para todos passar a noite em seu cume, porém mesmo assim 4 pessoas arriscaram um espacinho lá em cima bem perto das nuvens, tinha espaço para apenas 1 barraca sendo assim duas pessoas desceram até a base.
Durante toda a noite foi de muita chuva e ventos fortissimos, colocando em questionamento se era melhor abortar a missão.
Tínhamos 3 opções:
1 - Seguir em frente rumo ao Itaguaré;
2 - Continuar acampados no Marins e aproveitar o dia por lá;
3 - E/ou voltar para o inicio de trilha no Marins.
2º Dia
Chuva continuava insistente na manhã de sábado para nossa tristeza.
A nossa líder guia enviou uma mensagem a equipe base dos Trilhadeiros que nos acompanhava remotamente e atentos a qualquer solicitação de socorro, prontamente a base consultou fontes meteorológica e nos retornou dizendo que o chuva cessaria as 10:00h, depois disso era tempo aberto e favorável.
Fizemos uma pequena reunião e para alegria de todos resolvemos dar continuidade ao destino.
Saimos as 10:30h rumo ao acampamento do Itaguaré e foi neste momento que o grupo foi posto a prova na tomada de decisão, foco, condicionamento, parceria, racionamento de água, controle emocional e psicológico, porque sabiamos que estavamos saindo muito tarde e que teriamos que fazer um trekking pesado com uma certa velocidade para não anoitecer no meio do caminho.
No caminho houve um incidente, um dos participantes acabou caindo na travessia de cordas e fraturou uma das costelas, graças a Deus não aconteceu algo pior.
Mulher guerreira (virei fã) mesmo com dores seguiu em frente carregando a mochila e com pensamento firme, focado no objetivo.
Surpresa todos chegaram a tempo de presenciar um belíssimo pôr do Sol.
Acampamento montado, preparar o jantar, teve vinho, pipoca amanteigada e muito bate papo, depois cada um para sua barraca dormir e repor as energias.
3º Dia
Acordamos ainda de madrugada, tempo nublado, desmontamos acampamento e partiu para o último desafio conquista do cume Itaguaré e assinatura do livro. Nem todos quiseram escalar o Itaguaré, ficaram repousando e lanchando enquanto outros 5 Trilhadeiros foram explorar o cume.

No retorno do cume a tensão foi tamanha que por descuido deixei o celular escapar e caiu na fenda, só pensava nas fotos que ia perder. Que tristeza! Então começamos a bolar um plano de resgate, eu sem coragem de descer na fenda, os meninos não cabiam na fresta sobrou para nossa amiga super aventureira e corajosa rsrs, foi com a maior destreza alcançou o celular e graças a ela as fotos foram salvas.

Sinceramente a assinatura deste livro teve um gostinho a mais de vitória e superação, foi o cume mais difícil alçado por mim, só tenho agradecer a honra de conquistar essa montanha.
Como de praxe na descida a adrenalina a mil, felicidade transbordando e energia sobrando, resolvi fazer tipo um downhill (descida mais forte, correndo mesmo hahahah), desafiei um colega e ele aceitou kkkk ‘pernas pra que te quero’, tenho que reconhecer ele venceu e ainda ficou cheio de gozação.
Pensa que acabou?! NÃOOOO
No fim da trilha fomos surpreendidos com cerveja, água e bolo de aniversário de dois Trilhadeiros, parecia miragem rsrs
Sem dúvida nenhuma esse trekking foi um dos mais marcantes, pelas belas paisagens, novos amigos, admiração, superação e realização pessoal.


'As montanhas são professoras silenciosas, e elas nos ensinam nobres qualidades: humildade diante da natureza, modéstia, coragem, provações e força de vontade.'

Valeu Trilhadeiros!!!

Relato Araguacy Bezerra 26/04/2017

Araguacy
Araguacy

Published on 04/28/2017 20:51

Performed from 04/21/2017 to 04/23/2017

Views

3051

2
-------------------------
------------------------- 04/28/2017 21:13

parabéns por toda essa força e garra.

Renan Cavichi
Renan Cavichi 05/03/2017 09:37

Essa é punk! Parabéns Araguacy!