AventureBoxExplore
Create your account
Lagos Andinos - Chile

Lagos Andinos - Chile

Ótima opção de viagem de aventura nessa região belíssima do Chile, cercada de lagos, vulcões e trilhas para todos os estilos de viajantes!

Hiking

Eu não sabia da existência de uma região chamada Lagos Andinos até duas amigas me convencerem a comprar (mais uma vez) uma passagem pro Chile, num período em que estaríamos de férias.

Como estava fora de cogitação ficar numa cidade grande como Santiago e também tínhamos pouco tempo para conhecer a imensidão de lugares da região mais ao sul da Patagônia, acabei “descobrindo” que a região entre Puerto Montt e Pucón seria a melhor opção: contato com a natureza, cidades pequenas e lindas paisagens.

Chegamos de avião pela cidade de Puerto Montt, que nada mais é do que uma cidade portuária e, por isso mesmo, não muito atrativa para o turismo que buscávamos.

Puerto Varas

De lá, partimos em seguida para sua vizinha Puerto Varas e nos hospedamos no Compass del Sur. A cidade é encantadora para se dar uma volta a pé, sempre com a silhueta do vulcão Osorno ao fundo e banhada pelo azul do Lago LLanquihue. Na época, como era verão, muitas pessoas aproveitavam uma espécie de “praia” formada pelo lago para se refrescar, apesar da água não parecer muito limpinha.

O mais interessante de estar hospedado nessa cidade é que facilmente você pode tomar pequenas vans que partem do centro em direção às cidades vizinhas e alguns parques. Foi o que fizemos.

Reservamos um dia para conhecer a cidade Frutilar. Trata-se de uma cidade de forte influência alemã, ótima para passar um dia todo. A partir dela também é possível avistar o Vulcão Osorno, conhecer o Teatro do Lago, suas igrejas e lojas de artesantos. E é claro, comer uma deliciosa torta chamada “Kuchen”, de origem austríaca/alemã.

No dia seguinte, tomamos uma outra van partindo do centro de Puerto Varas em direção ao Lago Todos os Santos. Lago lindíssimo e que vale a visita, a não ser pela quantidade de “tabanos”, espécie de mosca, que infesta a região e que entra até na sua boca se você bobear!

De lá, voltamos parte do trecho com a mesma van até a entrada de um parque guiado chamado Saltos de Petrohue. Localizado à beira do próprio vulcão Osorno, leva o nome de Saltos por conta da corredeira do Rio Petrohue, que forma algumas pequenas “cachoeiras”, ou “saltos”. Lugar belíssimo para se conhecer! É bastante turístico, com pequenas trilhas guiadas às vezes até com corrimão, ou seja, vá com paciência. :D

Pucón

De Puerto Varas partimos no terceiro dia para outra cidade mais ao norte do país: a encantadora Pucón. Assim como a anterior, Pucón também é banhada por um lago e um vulcão, o Villarica, que entrou em erupção nesse mesmo ano, uns 2 meses depois!

Cidade bastante turística, com muitas opções de bons restaurantes e ruas de comércio enfeitadas com flores. Uma Campos do Jordão chilena. Ficamos hospedados no Hostel Chili Kiwi, um dos lugares mais bacanas em que já estive e com preço bastante honesto para região.

Em um dos dias em que estivemos por lá, saímos para uma pernada em direção a uma cachoeira da região. Existe um mapa feito à mão na recepção do Hostel. Trata-se, na verdade, de uma pernada feita 90% do tempo em ruas e pequenas estradas. Levamos cerca de 4 horas entre ir e voltar. É um destino bastante conhecido na cidade, vale a pena conhecer em uma manhã. Na volta, ainda conseguimos uma carona e conhecemos o Jaime, um americano que está há 5 anos viajando pelo mundo! Haja conversa né!?

O dia seguinte nos reservava uma das “atrações” mais esperadas: subir o vulcão Villarica. Pagamos cerca de R$200,00/pessoa na época... um dos preços mais em conta. Trata-se de uma atividade de um dia inteiro.

Acordamos cedo cheias de ansiedade, nos encontramos com o grupo e partimos com uma van da agência até a base do vulcão. Chegando lá, dividimos os itens de alimentação e água entre as nossas mochilas e começamos a subida.

Nesse momento você opta por subir o trecho inicial a pé ou tomar um teleférico. Logo no início, uma de minhas amigas desistiu da caminhada. Apenas tomou o teleférico e precisou depois passar o dia todo nos esperando voltar sentada num lugar sem estrutura alguma.

Minha segunda amiga resolveu subir o trecho inicial de teleférico, portanto ela foi na frente com os demais que tiveram essa opção. Eu fiquei para trás com o grupo que queria subir a pé desde o início. Digo tudo isso por uma razão: devido a essas escolhas diferentes acabamos nos separando e só nos encontramos novamente no final do dia. Como havíamos dividido o peso da alimentação e água entre nós, acabou que cada uma ficou com uma coisa: minha amiga que subiu na frente só tinha lanchinho de presunto e queijo; a que esperou no teleférico passou o dia inteiro com três bananas e eu, que fiquei com o peso dos três litros de água, subi o vulcão sem ter o que comer. Ou seja, três cérebros que não pensaram por nem meio cérebro. :D

Tirando esse detalhe, foi uma experiência incrível. A vista que se tem dos lagos e outros vulcões da região é sensacional. A experiência de ascensão na neve é muito diferente e a sensação de vitória quando se chega ao topo é surreal – ainda mais com a fome/sede que estávamos! Fico imaginando a subida de vulcões mais parrudos, como o Lanin ou o próprio Osorno.

Finalizamos o dia com um banho em um dos Termas da região, regado a muito vinho e ceviche, como não poderia deixar de ser!

De lá, ainda fizemos uma passagem rápida por Santiago, onde visitamos alguns museus e vinícolas e também passamos um dia encantador na cidade de Valparaíso. O roteiro todo durou 9 dias! ;)

A região dos Lagos Chilenos fica como uma ótima opção para quem busca um destino de aventura mais consolidado pelas inúmeras agências de turismo. Aqui é possível aliar o conforto de bons hotéis com o dinamismo das aventuras. E de brinde, você ainda estará num país de vinhos baratos e ótima gastronomia. Vale a pena!

Bruna Fávaro
Bruna Fávaro

Published on 02/26/2016 12:21

Performed from 01/09/2015 to 01/17/2015

1 Participant

Sara Kang

Views

3597

8
Raffael
Raffael 03/07/2016 14:50

Muito bom!!!

Bruno Simoni
Bruno Simoni 03/15/2016 21:52

Lindo demais....E quando vem na Chapada?

Bruno Simoni
Bruno Simoni 03/15/2016 21:52

Digo Chapada Diamantina

Bruna Fávaro
Bruna Fávaro 03/16/2016 08:24

Oi Bruno! Estive na Chapada Diamantina no final de 2013... na época choveu horrores e não pude aproveitar tanto... devido à chuva não deu pra finalizar o Vale do Pati e tive que alterar completamente os planos. Desde então ficou na vontade de voltar! Tem muito o que conhecer por aí né! :) Abraço!

Anderson Ferreira
Anderson Ferreira 10/05/2016 20:12

Show!!!!!!

Mascarenhas
Mascarenhas 10/13/2016 11:39

oi Bruna! muito bacana teu relato! uma dúvida: em novembro devo ir para região dos Lagos, quero subir o Villarica e fazer também algum trekking na região ... você sabe se no Parque Nacional Villarica é possivel trekking e acampamento, semelhante a Torres e El Chatén?

Bruna Fávaro
Bruna Fávaro 10/13/2016 19:22

Oi, Mascarenhas! Olha, eu não vi nada do tipo por lá... O que vale muito a pena é fazer a região de bicicleta. Mas fuçando aqui na net parece que tem sim umas opções de trilha, dá uma olhada aqui: http://parquenacionalvillarrica.blogspot.com.br/2008/06/senderos-villarrica-traverse.html

Mascarenhas
Mascarenhas 10/18/2016 22:23

estamos analisando essa "travessia", Bruna! Parece ser bem legal! Mas precisamos de um plano B caso a logística dessa não dê certo ...rsss o site do Conaf não tem muita informação. mas valeu! obrigado

Bruna Fávaro

Bruna Fávaro

São Paulo

Rox
2645

Montanhista, ciclo-mochila-viajante, professora e de bem com a vida!

Adventures Map
facebook.com/bruna.favarosilvio

1 Posts


3875 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Bruno Negreiros, Renan Cavichi and 396 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Peter Tofte, Bruno Negreiros and 150 others support the Together page.