AventureBoxExplore
Create your account
Pico Da Onça

Pico Da Onça

Fazendo a trilha pelo lado de São Francisco Xavier. Segunda vez subindo o pico, talvez a última...

Trekking Camping

Eu e minha parceira de trilha, Tamiris, escolhemos o Pico Da Onça para o passeio do feriado. E como todas as vezes, eu gosto de ler relatos, ver vídeos, recolher todas informações possíveis antes de ir pra algum lugar. Mesmo que já tivessemos ido lá não foi diferente dessa vez. Com isso acabei vendo que possivelmente o Pico Da Onça estava proíbido de subir e acampar lá em cima. Ao mesmo tempo vi que muita gente ainda estava indo pra lá. Ficou uma incógnita... resolvemos ir mesmo assim e ver como estava, caso alguém barrasse a gente, voltaríamos sem nenhum problema.

Saímos por volta das 14h de Caçapava (um erro, sabíamos que saímos tarde) e chegamos 16h no estacionamento da trilha, pelo lado de São Francisco Xavier. A estrada até o estacionamento é de chão, não tive nenhum problema pra passar lá com meu Celtinha rs, mas se estivesse chovendo já não sei se seria tão simples.

Enquanto colocavamos as mochilas nas costas vimos um casal acabando de passar a porteira pra subir a trilha. E tinha pelo menos mais três carros estacionados lá. Começamos a subir o morro que tem antes da porteira, e chegando na porteira vimos uma placa "proibido acampar". Mesmo receosas, continuamos.

A trilha é praticamente toda em mata fechada, vegetação abundante. Por conta disso é uma trilha que você não fica muito exposto ao sol. Durante a trilha você encontra pelo menos uns três pontos de água, mas não sei se é potável. Poucos trechos têm o caminho plano, há bastante pedras e dessa vez tinha algumas árvores caídas, pontos de erosão e uma parte de puro barro. Em um momento, encontramos um casal que estava descendo. Logo perguntamos como estava lá em cima e nos informaram que havia umas 4/5 barracas lá já. De certa forma isso nos acalmou, deu a entender que iríamos conseguir acampar.

(erosão)

(Árvore caida)

(Um dos pontos de água)

Vendo nosso ritmo já imaginei que íamos pegar uma boa parte da trilha á noite, de novo! Deviamos ter saído muito mais cedo, não estamos com um condicionamento bom, fora o peso da mochila. Posso dizer que passamos um perrengue, estavámos agoniadas pra chegar logo no cume. Só fomos chegar por volta de quase 20h... rapidamente montamos a barraca para entrar e fazer janta. O frio já estava começando a ficar intenso.

Finalmente mais tranquilas, depois de nos ajeitarmos e comermos, eu sai um pouco da barraca para ver o céu que estava lindamente estrelado. Porém não demorei muito, pois muito frio. Entrei na barraca e já fomos dormir.

Quem dera que realmente tivessemos dormido. Eu não sei a Tamiris, mas eu nem cochilar consegui nessa noite. Muito frio, barulho de som (sim, fala sério né?), e também estávamos um pouco apertadas para fazer xixi rs... só pelas 3h da manhã decidimos sair da barraca para ir aliviar a bexiga. Achei que com isso ia conseguir finalmente capotar, mas não consegui. Ventava o tempo todo, mas até que a barraca ficou firme e não balançou em nenhum momento.

Eis que finalmente deu umas 6h e eu acordei a Tamiris, que até tinha conseguido cochilar um pouco, pra gente ver o sol nascendo. Já tinha um pessoal acordado, começamos a nos enturmar com algumas pessoas. Acabamos conhecendo um pessoal muito bacana! Vimos o sol nascendo e começando a nos aquecer. Meu dedos dos pés e das mãos estavam congelados, não duvido que tenha negativado a temperatura pela madrugada.

Por volta das 9h (se eu não me engano), chegaram dois fiscais. Que sorte tivemos deles só terem chegado no outro dia. E então nos orientaram que é realmente proíbido subir no pico e acampar. É propriedade particular de uma empresa. Só naquele momento eu descobri que ali fazia parte de Minas Gerais. Pelo lado de Monte Verde parece que eles estavam conseguindo controlar melhor. Comentaram também que tinha algum projeto pra liberar o pico para visita, mas não pra acampar. Naquele dia eles iam ficar lá o dia inteiro pra orientar também todos que chegassem lá.

Realmente tivemos sorte.

Tomamos café com o pessoal, começamos arrumar as coisas, e antes de ir, almoçamos com um casal gente boa. Comemos uma macarronada, desse modo ficamos prontas pra voltar. Descemos com eles até o Bosque Dos Duendes, de lá eles seguiram pois vieram de Monte Verde, e nós duas voltamos para trilha seguindo rumo ao estacionamento. Muito lindo o bosque, vale a pena passar lá!

A descida claramente foi mais rápida, em 2h30m chegamos no carro. Mortas, porém felizes que no final tudo deu certo. Passamos rapidinho no centro de SFX pra tomar café e pegamos a estrada pra casa.

Camila Moura
Camila Moura

Published on 07/13/2021 20:17

Performed from 07/09/2021 to 07/10/2021

Views

89

2
Marcelo Knieling
Marcelo Knieling 07/13/2021 20:28

Show de relato. E belas fotos 📸💪🏻⛰️

Camila Moura
Camila Moura 07/14/2021 10:00

Obrigada, Marcelo!

Camila Moura

Camila Moura

Caçapava - SP

Rox
582

Sonhadora, apaixonada pela natureza e montanhas. 24y @caamilamouraa

Adventures Map
www.instagram.com/caamilamouraa/

1 Posts


97 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Renan Cavichi, Bruna Fávaro and 405 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Bruna Fávaro, Renan Cavichi and 156 others support the Together page.