AventureBoxExplore
Create your account
Saco do Mamanguá: Praias + Pico do Pão de Açúcar

Saco do Mamanguá: Praias + Pico do Pão de Açúcar

Um dos visuais mais surpreendentes da Reserva Ecológica Estadual da Juatinga, Paraty - RJ

Hiking Camping

Fiorde é um vale rochoso inundado pelo mar. Geralmente escutamos falar de fiordes pras bandas da Noruega por exemplo... E talvez, ao pensar em Noruega, seja inimaginável falar em um fiorde tropical. Bem, esse é o caso do Saco do Mamanguá, localizado na Reserva Ecológica Estadual da Juatinga, em Paraty - RJ. Muita gente chama de ria, mas este é o único fiorde tropical do mundo.

Saco Do Mamanguá visto do cume do Pão de Açúcar

Nesse lugar absurdo estão localizados o Pico do Pão de Açúcar, que é um mirante 360° entre o mar e a mata atlântica e uma série de pequenas praias de águas calmas e com temperatura super agradável.

A nossa logística para aproveitar ao máximo o Saco do Mamanguá consistiu em deixar o carro em Paraty Mirim, pegar um barco até a Vila do Cruzeiro e acampar no Camping do Sr. Orlando. De lá, a ideia era curtir as praias, relaxar e fazer a subida ao Pico do Pão de Açúcar.

(É possível fazer a trilha do Pão de Açúcar sem pernoitar no camping. Sugiro, neste caso, que pegue um barco bem cedinho em Paraty Mirim, desça na Vila do Cruzeiro e já suba a trilha. Quanto mais tarde, mais quente a pedra fica e mais pessoas sobem a trilha. Além disso, depois da trilha o mar se torna super convidativo pra relaxar e aproveitar o resto do dia.)

1° dia: chegada na Vila do Cruzeiro, curtir a prainha de lá

2° dia: bate e volta até a Praia do Engenho

3° dia: subida ao Pico do Pão de Açúcar e retorno ao RJ.

Relato:

Eu e o Bruno decidimos, numa tentativa de curtir o final das minhas férias, buscar locais isolados. Optamos por fazer uma passagem por Cunha - SP, depois desceríamos até Paraty - RJ, porém indo à Paraty Mirim e, em seguida, ao Saco do Mamanguá. Escolhemos esse roteiro por ser aniversário da Let no meio da mini viagem, então fomos encontrá-la junto ao Adhemar em Paraty Mirim, pegamos o barco e em 15 min chegamos no camping do Sr Orlando. Era mais ou menos 7h30 da manhã quando pegamos o barco Show de Bola II até a Vila do Cruzeiro.

Assim que chegamos no camping, que estava totalmente vazio, escolhemos um bom lugar pras nossas barracas e organizamos tudo. Pouco depois, com tudo já arrumado, barraca montada, fomos direto pra água! Curtimos a praia e, dada a canseira que a combinação de Sol e sal fazem, decidimos alugar dois caiaques e desbravar o Saco do Mamanguá pelo mar.

Eu e Bruno no caiaque duplo no Saco do Mamanguá, com o Pão de Açúcar ao fundo

Aproveitamos muuuuito o caiaque, paramos no meio do mar pra nadar, fomos remando em algumas prainhas... Foi uma experiência muito legal!

Ficamos umas 2h remando até que voltamos para o camping, tomamos banho e nos arrumamos pra janta.

Como era o aniversário da Let, o Bruno pegou um bolinho Ana Maria que levamos e colocou uns palitos de fósforo. Nossa noite terminou com conversas, risadas, um clima suuuuper bacana entre nós e a noite mega estrelada surgindo sobre as nossas cabeças. Ah, claro, sem esquecer os carinhos na Zoé, uma pug lindinha demais e super dócil que tava meio que perdida por aquelas bandas. (Que o Baunilha não me veja publicando isso! Te amo, filho!)

Zoé

No dia seguinte, conforme combinamos durante o jantar, nós iríamos fazer um bate e volta até a Praia do Engenho, seguindo por parte da trilha do primeiro dia da travessia da Juatinga. Seguimos pelo caminho ao lado da casa do Sr.Orlando, como se fosse pro Pão de Açúcar. Na bifurcação, tomamos a trilha que segue pra esquerda. Todo o percurso é bem marcado e indicado por setas. Passamos por diversas praias em, aproximadamente, 4km de trilha sem dificuldades técnicas.

Na praia do Engenho, tinha algumas pessoas, mas pudemos ficar bem distantes. Valeu a pena cada minuto de caminhada pra curtir o dia no Engenho. A água ali é ainda mais azul e convidativa... Maravilhosa! Passamos o dia inteiro curtindo a praia!

Praia do Engenho

Depois de nadar, pular do píer, tomar água de coco, comer, conversar, a gente achou que já era hora de ir embora e refizemos a trilha no sentido inverso.

Neste dia, ao chegarmos de volta no camping, vimos algumas barracas e barcos, a impressão que deu foi que a praia lotou de gente. Por sorte, ainda não eram tantas pessoas assim que pernoitaram por ali e conseguimos manter algum distanciamento.

Durante a janta cogitamos acordar 3h30 da manhã para ver o nascer do Sol. O Bruno pontuou que do alto do Pão de Açúcar só é possível ver as cores do nascer, o Sol mesmo aparece apenas quando céu já está azul, pois nasce pras bandas da Enseada de Cajaíba, ou seja, atrás de um paredão mais alto que o Pão de Açúcar. Daí, com a leseira que a praia traz, decidimos acordar 4h30, pois ainda estaria fresquinho e quando chegássemos no alto, o Sol já teria dado as caras.

Assim fizemos. No último dia, às 4h30 acordamos. Trocamos de roupa, enchemos as garrafas d'água... Eu e Bruno ficamos sentados olhando o céu mudar de cor enquanto admirávamos o mar. Mentira, eu encostei no ombro dele e apaguei até a Let e o Adhemar terminarem de se organizar.

Começamos a andar por volta de 5h10, acho. A partir da casa do Sr.Orlando, seguimos para a esquerda, onde se inicia a travessia da Juatinga. Após uma subida de 200m, aproximadamente, há uma bifurcação: seguindo reto há o caminho da travessia, para a direita a trilha do Pão de Açúcar.

Início da trilha para o Pico do Pão de Açúcar

A partir deste ponto há uma escadaria de raízes, terra, pedras e chão batido de 1,4km. É uma subida cansativa, porém sem dificuldades técnicas. Levei um bastão de caminhada pra auxiliar a subida, mas principalmente não forçar muito joelho e tornozelos na descida.

Nos 50m finais, há uma subida na rocha propriamente dita. Tem cordas amarradas neste trecho, mas são dispensáveis: não se trata de nada íngreme ou escorregadio.

Ao chegar no topo do Pão de Açúcar, a vista impressiona. Com céu limpo, é possível enxergar a Pedra da Macela, o Frade de Angra, as infinitas montanhas que formam o paredão do Parque Nacional da Serra da Bocaina, bem como um amplo trecho da mata atlântica ainda preservada que fica na Reserva da Juatinga.

Fiquei um tempo sentadinha quietinha absorvendo a energia dali. Só depois de olhar embasbacado pra tudo levantei pra fazer algumas fotos... O lugar é mágico!

Cume do Pico do Pão de Açúcar

Ficamos por volta de 1h no cume até iniciarmos a descida pelo mesmo caminho da ida. Encontramos alguns grupos subindo.

Retornamos ao camping do Sr. Orlando, que estava sentado na varandinha de sua casa e falou o típico, curioso e animado "Ah é?!" quando falamos que tínhamos subido o Pão de Açúcar.

Dali eu e Let fomos direto pegar um coco geladinho e açaí enquanto os meninos colocaram suas roupas de banho pra já cair na água.

Depois de curtir a praia mais uma vez e descansarmos um pouquinho, fomos organizar as coisas, desmontar barracas... Afinal, 13h o barco Show de Bola estaria nos esperando para o retorno à Paraty Mirim.

Dito e feito, 13h o barquinho do Sr Luiz surgiu no mar. Fui conversando com ele, escutando um pouco das histórias dali nos poucos minutos que o barco levou para concluir a sua rota.

Chegando à Paraty Mirim, retornamos aos carros e nos despedimos depois desses 3 dias tão maravilhosos.

Reflexão:

Confesso que não sou a maior fã de praia, porém sempre tive muita vontade de conhecer o Saco do Mamanguá.

O lugar é absurdo de lindo e, pra mim, foi quase que um sonho! Valeu a pena demais!

As prainhas são maravilhosas, as águas tem temperatura super convidativa... Além disso, a trilha do Pão de Açúcar, que foi aberta pelo Sr.Orlando anos atrás, está em excelentes condições apesar do acelerado processo erosivo de alguns trechos. Inclusive, não encontrei lixo.

Foram dias incríveis, relaxantes e revigorantes! E apesar de tudo o que estamos vivendo no mundo, me sinto privilegiada de, ao menos por uns dias, poder sair da toca e desfrutar de tanta coisa boa.

OBS IMPORTANTES:

  • leve dinheiro em espécie. Os lugares até aceitam cartão, mas sempre pedem que seja paga uma porcentagem em dinheiro.
  • não conte com acesso à internet 4G ou wifi. O único ponto com sinal de celular é no alto do Pico do Pão de Açúcar.
  • respeite as normas dos locais que frequentar e as pessoas. Lembre-se que respeito é fundamental em qualquer situação.
  • não leve caixas de som. Aproveite o barulho das ondas, do vento, dos pássaros...
  • cuide do camping e demais dependências. Mantenha banheiros limpos, jogue o lixo no lixo.
Danielle Hepner
Danielle Hepner

Published on 02/01/2021 20:59

Performed on 01/24/2021

3 Participants

Adhemar Marias Aventureiras Bruno Negreiros

Views

310

14
Adhemar
Adhemar 02/01/2021 22:55

Mas atrás do Pão de Açúcar, é ele?

Jose Antonio Seng
Jose Antonio Seng 02/02/2021 00:12

É mais pro fim do Mamanguá. É bem mais alto, não tem como confundir.

Adhemar
Adhemar 02/02/2021 07:58

Então é isso mesmo, eu já tava querendo ir lá sem nem mesmo conhecer 😜

Danielle Hepner
Danielle Hepner 02/06/2021 19:17

Nem me fala, Adhemar! A rotina tá matando... Sonho da minha vida era teletransportar lá pro Mamanguá... Eu diria: "Sr.Orlando, o senhor não imagina o perrengue que é voltar ao trabalho..." e ele responderia "Ah é?!". Isso que é vida!

Danielle Hepner
Danielle Hepner 02/06/2021 19:21

Então José Antonio, além da Ilha Grande, agora o Mamanguá entrou na lista de lugares que tem praias que amei estar! Do Pão de Açúcar, acho que o pôr do Sol visto lá de cima deve ser absurdo! Por sinal, boa ideia essa de ir com o caiaque pra Rio Grande. De repente em outra oportunidade a gente faça isso! Valeu a dica!

Jose Antonio Seng
Jose Antonio Seng 02/06/2021 19:48

Sim. Pegamos dias lindos e até frescos. Valeu a pena fazer essas trips. Na Ilha Grande ainda tenho que subir o papagaio.

Marias Aventureiras
Marias Aventureiras 02/07/2021 00:28

Foi muito massa! Obrigada por me proporcionar um excelente aniversário com a sua companhia!💙

Danielle Hepner
Danielle Hepner 02/12/2021 22:11

AHHH LET <3 <3 < 3

Danielle Hepner

Danielle Hepner

Caxambu - MG

Rox
1730

nerd! professora de matemática apaixonada por montanhas, viagens, doguinhos e ukulele.

Adventures Map

7 Posts

See More

1123 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Fabio Fliess, Peter Tofte and 376 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Bruna Fávaro, Fabio Fliess and 133 others support the Together page.