AventureBoxExplore
Create your account
CAMINHADA LITORÂNEA: ENTRE AS PRAIAS DO NIQUIM AO FRANCÊS

CAMINHADA LITORÂNEA: ENTRE AS PRAIAS DO NIQUIM AO FRANCÊS

Detalhes da caminhada na faixa litorânea ao sul da Capital do Estado de Alagoas, realizada por Fael Fepi e Graziela Freitas em OUT. de 2017.

Hiking

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Mais um feriado e dias de folga no trabalho, é o momento de se programar para mais uma viagem. Sempre que tem feriados, sejam eles curtos ou prolongados, executo uma viagem para me aventurar, preferencialmente trilhas ou caminhadas litorâneas. Estamos em outubro de 2017, com o feriado de Nossa Senhora da Aparecida se aproximando, precisamente em 12 de outubro, me condicionando a ter 4 dias de folga.

Com 04 dias e três noites disponíveis comecei a analisar um mapa básico colado na parede do meu quarto. Além dele, existe o Google mapas que detalha a análise. Queria fazer uma trilha inédita na Chapada Diamantina que condicionasse a ser executada nesses 04 dias disponíveis que nós temos. Porém, as maiorias das trilhas da Chapada Diamantina já fizemos, refazemos e repetimos, me desanimando um pouco.

Sair das serras e morros e fui pensando em um trecho litorâneo. Para quem não sabe, gosto de fazer curtas e longas caminhadas litorâneas. Se deixar saio caminhando nas areias das praias do município de Touros/RN, no Rio Grande do Norte(RN), e só paro lá no município do Chuí/RS, Estado do Rio Grande do Sul(RS), percorrendo a “caminhada entre os Rios Grandes” (quem sabe). Em uma rápida olhada no mapa, o Estado de Alagoas me chamou a atenção e fui analisar sua faixa litorânea.

Uma análise inicial da faixa litorânea do Estado de Alagoas me direcionou aos arredores da sua capital, Maceió/AL. Percebi que uma grande faixa litorânea, ao sul da capital, possui pouco ou quase nenhuma foz de rio, atraindo os meus olhares. Direcionei-me as imagens de satélite do Google e fui observar melhor para delimitar a área de recorte e posteriormente estudo e planejamento.

Após análise delimitei uma pequena faixa litorânea, de mais ou menos 25 km, ida-volta, localizada entre os municípios de Barra de São Miguel/AL e Marechal Deodoro/AL. Ao apresentar a Graziela houve um debate e acordo, definindo o município de Barra de São Miguel/AL como “a base” e a caminhada litorânea como o objetivo da viagem.

A ESCOLHA

O Litoral sul da Região Metropolitana de Maceió/AL foi escolhido pelo fato de não ser um município tão badalado (ano de 2017) e ter poucas localidades como as “mais procuradas”. Como assim? Simples! Exemplificando: a Praia do Francês, nacionalmente conhecida, está localizada no município de Marechal Deodoro/AL e é uma das localidades relevantes dessa caminhada. As praias aos seus arredores não são mencionadas, devido a não ter uma infra-estrutura que atenda a demanda dos consumidores que vão visitá-la. Um dos meus interesses é para além dessa praia tão famosa. Outro exemplo é a Praia do Gunga e as falésias do roteiro, nacionalmente conhecida e de interesses dos viajantes. O lugar já pertence ao município do Roteiro/AL, sendo bem famosa pelo público de classe média e alta que frenquenta suas praias (e claro os “ousados”). Com uma boa infra-estrutura, passeios familiares relevante, e a “muvuca agradável”, é aquele local ideal de lazer que encanta a família tradicional brasileira.

Entre o município do Roteiro/AL e Marechal Deodoro/AL está a Cidade de Barra de São Miguel/AL, local que escolhemos para nos hospedar e ser a nossa “base”. Barra de São Miguel/AL nos chamou a atenção pelo simples fato de ser um município, aparentemente, tranqüilo, em que os visitantes que vão até a cidade e suas praias não ficam hospedados na Cidade. Além disso, pelas referências analisadas, existem poucos lugares “Badalados” do município de Barra de São Miguel/AL devido à famosa Praia do Gunga, localizada na foz da margem direita do Rio Roteiro. Outro fator que delimitou a escolha da cidade foi às condições de preço da hospedagem, alimentação e o deslocamento em seu perímetro urbano, que é bem tranqüilo e pode ser feito a pé, o famoso “tudo perto”. Para ratificar a escolha encontramos um hostel que os proprietários são veganos, deixando-a Graziela bem feliz.

CHEGANDO EM BARRA DE SÃO MIGUEL

A partida ocorreu em 11 de outubro de 2017, as 20:00, no terminal rodoviário de Salvador/BA. Embarcamos no ônibus da empresa ROTA, que faz a linha: Salvador/BA x Maceió/AL, no serviço semi-leito. A viagem durou quase 12 horas e foi tranqüila, chegando as 07:55 do dia 12 de outubro de 2017. Graziela passou as primeiras horas do seu aniversário viajando no ônibus.

Na rodoviária do município de Maceió/AL seguimos até as vans com destino a Barra de São Miguel/AL. No Estado de Alagoas as vans são muito utilizadas nos transportes intermunicipais, sendo que esses veículos são regulamentados e todos que estão aptos para esse tipo de transporte possuem uma “tarja” de cores diferentes com as informações sobre a linha e o itinerário municipal. No nosso caso, as vans que tem o seu itinerário passando pelo município de Barra de São Miguel/AL é da cor azul. Poucos minutos aparece uma van saindo com destino ao município de Penedo/AL, que segundo o cobrador o itinerário faz uma parada no trevo da cidade. Embarcamos as 08:30 da manhã.

A Van circula por toda a Maceió/AL atrás de passageiro, exigindo muita paciência. Como já não é a primeira viagem intermunicipal pelo Estado de Alagoas, já estava preparado, mentalmente, para esse atraso.

Após circular Maceió/AL o caminho segue pela rodovia AL-101, que corta todo o litoral do Estado de Alagoas. A estrada está bem conservada e duplicada, sem buracos ou desníveis. Chegamos ao trevo da cidade as 10:30, atravessando a rodovia e percorrendo por mais 1 km, a pé, até o hostel em que escolhemos para nos hospedar.

O Hostel que nos hospedamos pertence a um casal de veganos. Ao chegamos fomos recebido por um rapaz chamado Brasil, que foi bem solicito conosco. Ficamos em um quarto individual e nos acomodamos, mas com pouco descanso. Aproveitamos o restante do dia para caminhar na Cidade e saber onde fica o mercado, a praia, a foz do rio roteiro, padaria, entre outros. Essa caminhada foi tranqüila e o mapeamento foi bem rápido, pois o Centro da Cidade é bem pequeno.

Imagem 01 - Fael Fepi na Foz do Rio Roteiro, limite entre os municípios de Barra de São Miguel/AL e Roteiro/AL, RM SUL de Maceió/AL.

DO NIQUIM À PRAIA DO FRANCÊS

Acordei bem cedo, as 06:00 da manhã, e em seguida Graziela. O tempo ensolarado e céu com poucas nuvens, sem previsão de que vão ocorrer chuvas. O objetivo é sair o mais cedo possível, se pudesse iniciava a caminhada ao nascer do sol.

O Hostel que escolhemos tem uma peculiaridade em ter os seus proprietários veganos e oferecerem serviços veganos, fazendo jus a nossa escolha. Para quem não sabe, Graziela é vegana e Eu sou vegetariano, gerando uma sensação de inclusão. Um dos diferenciais desse hostel é que o hospede tem o direito ao café da manhã vegano incluso no valor da hospedagem. Porém, para a nossa surpresa, o café só é servido as 08:00 da manhã e tivemos que esperar.

A espera compensou com variedades de alimentos veganos. Bolos, pães, doce, sucos, café, biscoitos, frutas, etc., nada mal para se alimentar antes de uma caminhada litorânea.

No dia anterior aproveitamos o restante do dia para conhecer um pouco da cidade e mapear os locais, a fim de nos orientar. Dentre essas localidades está a praia no Niquim, que é a mais conhecida e badalada do município de Barra de São Miguel/AL e o nosso ponto de partida.

Iniciamos a caminhada as 10:00 da manhã, um sol forte e muitas pessoas nas ruas. Chegando próximo a Praia do Niquim já dava para perceber a muvucada, a badalação, e muitas pessoas concentradas na faixa de areia em seus sons altos. As águas da praia são até interessante, mas naquele momento o banho não estava agradável. Se duvidar não tinha nem espaço na faixa de areia para deixar as nossas roupas e objetos. Quando visualizei a Praia do Niquim acabou vindo a lembrança do Porto da Barra freqüentada em dia de domingo, praia do município de Salvador/BA, bem parecido.

No café da manhã tinha consultado a tábua da maré da Região. Para o azar meu e de Graziela a maré vai está em sua capacidade máxima as 10:36, ou seja, iremos fazer um bom trecho da caminhada de maré cheia, com suas areias fofas e quentes. Caminhadas litorâneas de bate volta faço sempre descalço. Graziela começou a fazer também e parece que gostou, mesmo com os pés calejados.

Imagem 02 - Fael Fepi e Graziela no inicio da caminhada, em sentido Nordeste. Barra de São Miguel/AL, Alagoas, Brasil.

No primeiro quilometro as casas luxuosas da beira da praia são substituídas por coqueiros e vegetação de restinga, mudando a paisagem. Outro fato interessante é a transformação da maré, saindo da calmaria para uma revolta, ao ponto de assustar. Parece que nas praias localizadas no perímetro urbano da Cidade existe uma barreira natural, talvez uma faixa de corais, que acaba “acalmando o mar”, tornando suas águas mansas, tranqüilas, sem ondas. Mas alguns metros, em direção Nordeste, o mar se transforma, se enfurece, ao ponto das suas ondas quebrarem com bastante violência na faixa de areia, chamando a minha atenção. Não recomendo se banhar no mar a partir deste ponto.

Imagem 03 - Graziela no inicio da caminhada, em sentido Nordeste, próximo ao KM 01. Barra de São Miguel/AL, Alagoas, Brasil.

A partir daí a praia é deserta, de ondas forte, areias limpas, quentes e fofas, tendo como seu ponto final a vegetação de restingas e os coqueiros que caracterizam a paisagem. Alguns metros após a vegetação já é possível visualizar a rodovia estadual AL-101.

Imagem 04 - Vista da Rodovia Estadual AL-101. Barra de São Miguel/AL, Alagoas, Brasil.

Caminhamos tranquilamente, sem muita pressa, curtindo todos os detalhes, apesar do sol forte e o esforço para caminhar na areia fofa. Independentemente, o trecho é tranqüilo e sem muitas dificuldades. No km 5 observamos um senhor solitário pescando, engraçado que só visualizei uma pessoa após caminhar por 05 km de faixa litorânea após sair da Praia do Niquim. O tempo e o momento estavam me atraindo para me banhar, mas quando observava as ondas quebrando com violência na areia me desanimava.

Imagem 05 - Fael Fepi molhando os pés para aliviar das areias quentes. Barra de São Miguel/AL, Alagoas, Brasil.

Graziela visualizou uma boa sombra feita por um dos coqueiros e fez uma pequena parada para hidratar e fazer uma merenda. Aproveitamos para observar e ouvir as ondas do mar. Esse momento e pausa é uma boa terapia, sendo que os minutos passam e você nem percebe. Aproveitei a parada e colhi um pouco de amostra do solo da praia, tenho essa “mania” de levar solos para casa e protocolar, detalhando o local da amostra.

Imagem 06 - Fael Fepi e Graziela Freitas no KM 05 da caminada. Barra de São Miguel/AL, Alagoas, Brasil.

No km 08 observamos uma grande tartaruga morta. A morte parecia ter sido recente, pois seu corpo estava bastante conservado. Fiquei bem triste pela morte,o animal imenso e bem pesado, provavelmente com bastante idade, mas muito ainda para se viver. O que ocasionou a morte Eu não sei. Aparentemente não visualizei nenhum corte, objeto ou algo que chamasse a atenção.

Alguns metros Graziela e Eu observamos alguns urubus se atracando pela carniça. Quando nos aproximamos era outra imensa tartaruga em estado de gigantismo cadavérico. Nossa! Fiquei bem triste, já é a segunda tartaruga morta vista em poucos minutos no mesmo trecho. Fiz o registro fotográfico e seguir em direção a Praia do Francês.

Imagem 07 - Tartaruga morta poucos quilometros da Praia do Francês. Marechal Deodoro/AL, Alagoas, Brasil.

No Km 10 observei uma corda de isolamento e uma pequena placa identificando ponto de desova de tartaruga. Procurei se achava alguma pessoa para informar a respeito das duas tartarugas mortas que observamos no trajeto e não localizei ninguém.

Imagem 08 - Placa informando ponto de desova das tartarugas localizada poucos quilometros da Praia do Francês. Marechal Deodoro/AL, Alagoas, Brasil.

Seguir com Graziela e depois de 11 km voltamos à visualizar pessoas, dessa vez muitas pessoas, sinal que estamos chegando a Praia do Francês. As barracas de praia começavam a ser visualizadas e a sujeira também.

Imagem 09 - Graziela caminhando nas areias da Praia do Francês. Marechal Deodoro/AL, Alagoas, Brasil.

Localizada no Município de Marechal Deodoro/AL, a Praia do Francês, assim como a Praia do Niquim, possui uma barreira natural de rochas que tranqüiliza suas águas. Porém, é bem mais movimentada e fervorosa, com a muvuca destacada. As areias estavam com muito lixo e uma espuma marrom, que chamou minha atenção. A pequena vila do município de Marechal Deodoro/AL é bastante procurado, sendo um dos principais pontos turísticos do Estado. A infra-estrutura e sua aproximação com a capital, Maceió/AL, favorece a grande procura. Graziela ficou ansiosa para adiantar e se afastar das mesas e das barracas, parecia um “formigueiro”. Após a caminhada estava até na expectativa em me banhar, mas desistir após visualizar a quantidade de sujeira nas areias e nas águas. Ao observar a sujeira voltei a lembrar das tartarugas. Fiquei pensando que é bem provável que tenha morrido ao engolir algum material que deveria ir para a lixeira.

Saímos da muvuca e ficamos em uma área vazia com uma imensa sombra de um coqueiro. Descansei um pouco com Graziela e acabou que o corpo esfriou e a “maresia bateu”. Fiquei imaginando em me banhar, mas nada! Queríamos avançar até a próxima e trecho limite da caminhada, a Praia do Saco, mas ficamos receosos pelo horário, desistimos.

Passava das 13:45 quando fomos até a vila fazer uma caminhada e observar um pouco do local. Muitas pousadas e lojas se destacam no Francês. No local parecia ter mais carros que pessoas. Os restaurantes lotados! Graziela observou um rapaz vendendo caldo de cana no final de linha da vila e ficamos por ali degustando. Conversamos um pouco com o rapaz e resolvemos regressar.

Imagem 10- Fael e Graziela em um atrativo na Praia do Francês. Marechal Deodoro/AL, Alagoas, Brasil.

Segundo o GPS, do Niquim ao Francês totalizou 11 km, um pouco a menos contabilizado na simulação que fiz, totalizando quase 13km. Regressei a praia com Graziela e ficamos observamos a faixa litorânea que leva em direção a Praia do Saco. Arrisquei em até ir, mas imaginei a volta. Mesmo a noite e na maré baixa, da para caminhar até Barra de São Miguel/AL, mas fiquei em duvida em relação a segurança.

Regressei com Graziela, fazendo todo o percurso inverso, até a foz do Rio Roteiro. A volta foi bem mais tranqüila, pois a maré baixa facilitou bastante a caminhada ao ponto de aceleramos e chegar a Praia do Niquim em menos de duas horas.

Imagem 11- Fael e Graziela no regresso, sentido Sudeste, com destino ao município de Barra de São Miguel/AL. Marechal Deodoro/AL, Alagoas, Brasil.

Uma surpresa foi chegar na Praia do Niquim praticamente deserta. Já passava das 16:45 quando chegamos e resolvemos descansar. Aproveitamos o momento e nos banhamos, posteriormente seguimos até a foz do Rio Roteiro. A maré baixa proporcionou a assistir um belo pôr do sol, já que quando a mar recua fica uma imensa e “interminável” faixa de areia na praia.

Imagem 12- Fael Fepi observando uma imensa piscina formada próximo a praia do Niquim com o recuo da maré. Barra de São Miguel/AL, Alagoas, Brasil.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Dentro das perspectivas, a caminhada litorânea partindo da foz Rio Roteiro e Praia do Niquim (Barra de São Miguel/AL) até Praia do Francês (Marechal Deodóro/AL) é um percurso bem simples e fácil, mesmo na maré cheia, recomendado até para aqueles que não tendem a prática da atividade de caminhar. Além disso, a bela paisagem litorânea nordestina, especificamente do Estado de Alagoas, encanta os olhos do observador.

Para quem gosta da Muvuca da para curtir a praia do Niquim, pela manhã, e a Praia do Francês. Sem duvidas o Francês é bem mais movimentada e fervorosa, além de ter mais estrutura e fama. Para quem não se agrada com a muvuca só é se afastar alguns metros, acomodando-se em uma sobra dos coqueiros longe das barracas, curtindo a paisagem e ouvindo o som do mar.

Se a saída for num horário mais cedo em que fomos, as 10:00 da manhã, da para estender até a praia do saco, que pelas imagens parecer ser bonita e com suas peculiaridades que diferenciam das praias do Niquim e do Francês.

A faixa litorânea entre as praias do Niquim e Francês possuem ondas violentas, em que não aconselho o banho entre esse trecho mencionado. As praias do Niquim e Francês são as recomendadas por possuir águas calmas.

Em relação às praias localizadas entre as duas mais famosas, Niquim e Francês, não conseguir identificar os nomes. Existe muito pouco ou quase nenhuma referência sobre esse trecho.

Esse itinerário totalizou 22 km, num período de 5 horas, num bate-volta, considerado um percurso fácil a ser feito.

Muito grato por ter disponibilizado o seu precioso tempo para ler este relato.

Fael Fepi
Fael Fepi

Published on 03/04/2021 23:32

Performed on 10/13/2017

Views

217

Fael Fepi

Fael Fepi

Ilha de Itaparica, Bahia.

Rox
155

Nordestino, Baiano, Soteropolitano, Pobre Mochileiro, Da Periferia, Geógrafo Licenciado, BBMP !!

Adventures Map
www.ospobresmochileiros.blogspot.com.br

110 Following