AventureBoxExplore
Create your account
Travessia Ilha do Cardoso (SP) - Superagui (PR)

Travessia Ilha do Cardoso (SP) - Superagui (PR)

Travessia 'solo' realizada do núcleo Marujá, Ilha do Cardoso (SP) à Superagui (PR), em 2 dias.

Depois de acampar por 2 dias no núcleo do Marujá, Ilha do Cardoso (SP), chegou a hora de iniciar a travessia até o Parque Estadual do Superagui (PR). No dia anterior havia feito a trilha que vai do Marujá até a praia de Cambriú, passando pelas praias da Lage, Foles e Foles Pequeno (aprox. 25km ida e volta, realizados em aprox. 4 horas), recomendo bastante!! Muito legal o visual dos costões rochosos e das praias desertas.

Acordei um tanto na ressaca do forró e da cataia (a cachaça curtida com a folha de mesmo nome tradicional daquela região, não deixem de experimentar!!) do dia anterior e atrasei um pouco pra desmontar acampamento e tomar um café da manhã. Iniciei a caminhada de 16km às 09:30h da manhã do dia 13/01/17, saindo de Marujá rumo à Pontal do Leste, última comunidade da Ilha do Cardoso. Por conta do atraso, tomei mais sol na cabeça do que gostaria (céu totalmente aberto) e aproveitei pra apressar um pouco o passo... a travessia inteira é realizada na praia mesmo, nada de sombra. Depois de passar rapidamente pela Vila Rápida (hehe), cheguei por volta das 11:30h na Enseada da Baleia, comunidade tradicional de pescadores da Ilha.

O pessoal no Marujá havia dito que as mulheres da comunidade também faziam artesanato e artefatos em tecido. De início, eu pretendia almoçar um miojo rápido, encher uma garrafa d'água, descansar um pouco e seguir caminhada... perguntei sobre o artesanato e fui sair de lá depois de 3 horas! Depois de conversar bastante com o pessoal da comunidade sobre sua história e os problemas que eles estão enfrentando (a erosão causada pelas ação das fortes marés e ondas ameaça dividir a Ilha, e a tradicional comunidade já está sendo realocada em breve, com pouquíssimo apoio público, além da dor de cabeça causada por problemas políticos... https://www.facebook.com/ajudeanovaenseada é página para quem deseja ajudar ou saber maiores informações), o pessoal me convidou pra almoçar (banquete) com eles... tava sonhando com um peixe fazia tempo, pq só tinha levado comida simples e barata p/ fazer no fogareiro. Depois de almoçar peixe fresquinho e ver os artesanatos das Mulheres Artesãs da Enseada da Baleia (https://www.facebook.com/MulheresArtesasDaEnseadaDaBaleia), agradeci muito o pessoal, povo hospitaleiro demais e segui a caminhada renovado.

Após +/ uma hora e meia de caminhada e quase ser atropelado por um helicóptero (os cara passaram raspando minha cabeça, sério) cheguei em Pontal do Leste, onde iria acampar. Havia um senhor dormindo na varanda de uma casa e eu acordei ele sem querer, logo se apresentou como Juarez e me ofereceu o quintal para montar a barraca. Depois de bastante conversa com o seu Juarez, montei a barraca e saí pra conhecer melhor a comunidade de Pontal do Leste.

Tinha pouquíssima gente além dos moradores e um pessoal que tava de lancha por lá veio conversar comigo; descobrimos que morávamos na mesma região e ganhei umas cervejas por isso hehe (valeu Araraquara!!). Fiquei curtindo o fim de tarde por lá, tava um dia lindo demais.

Voltei para onde estava acampado e depois de fazer o jantar na cozinha do seu Juarez, combinei uma carona com um pescador, saindo às 05:30h. Ele me deixaria no início da Praia Deserta do Superagui, que deveria ser percorrida até o fim, chegando na Vila de Superagui. Seu Juarez achou meio estranho porque normalmente o pessoal fazia esse percurso de bicicleta e disse que provavelmente eu chegaria no fim da tarde na Vila do Superagui depois de percorrer os 37km da Praia Deserta (eu acho que é exagero, preciso confirmar).

Saímos no dia seguinte com um pouco de atraso e os pescadores me deixaram no comecinho da Praia Deserta por volta de 06h20, lua cheia de um lado e sol nascendo do outro.

Com mais ou menos 1 hora de caminhada, cruzei a primeira das casas da Praia Deserta, havia um barco na direção dela no mar e uns cachorros raivosos ficaram latindo e me ameaçando durante uns 10 minutos, por isso resolvi nem entrar. Passei por vários riachinhos que desaguávam no mar durante a caminhada, alguns me obrigavam a tirar o tênis, tirando isso segui a caminhada num ritmo bom, apesar do sol que subia muito rápido e fazia eu me sentir um camelo sozinho no deserto.

Por volta de 08:40h cheguei na casa do seu Odair, que estava aprontando seu barco, conversei uns 20 minutos com ele e aproveitei pra comer umas barrinhas de cereal pra enganar a fome. Seu Odair me disse que ainda faltava uns 15km para chegar na Vila de Superagui e ofereceu um teto para eu ficar até o sol baixar. Preferi seguir a caminhada, com intuito de chegar à Vila próximo à hora do almoço.

A paisagem da Praia Deserta não muda muito, vegetação rasteira à direita, uma extensão gigante de areia à frente e o sol do Saara na cabeça, com uma revoada de gaivotas uma hora ou outra. Além do seu Odair, só outra presença humana, um senhorzinho que passou de bicicleta e deu um tchau de longe. Como meu mp3 de última geração só funcionava umas 5 músicas e desligava sozinho toda hora, deixei o mar fazer a trilha sonora (melhor coisa).

Por volta das 10:00h cheguei ao camping da Dona Rosa, resolvi entrar para cozinhar alguma coisa e descansar um pouco. Ao passar pela pontezinha e chegar no camping, não encontrei ninguém na casa nem acampado... fiquei uns vinte minutos por lá e decidi seguir caminhada. Às 11:20h encontrei um casal que me indicou o início da trilha da Praia Deserta até a Vila de Superagui. Depois de uma meia hora de mergulho + umas mil tentativas de pegar jacaré no mar da Praia Deserta, segui pela trilha e cheguei na Vila por volta de 12:30h. Logo arrumei um camping na praia da Barra do Superagui, descobri que faziam um PF genial e passavam cartão (!!). Daí é só alegria, dá-lhe cerveja no crédito pra recuperar da caminhada. Fiquei até o dia seguinte curtindo o Superagui, peguei um barco p/ Paranaguá e voltei p/ Santos num busão direto à noite.

Resumindo a travessia, ela é realizada inteiramente nas praias, portanto a paisagem não muda muito (mas é muito bonita, então vale a pena demais!); nada de sombra, você fica exposto ao sol o tempo inteiro, podendo conseguir um abrigo temporário nas casas durante o caminho, por isso é melhor realizá-la com um céu mais nublado. No primeiro dia são aproximadamente 16km do Marujá à Pontal do Leste, tendo a Vila Rápida e Enseada da Baleia no meio do caminho e no segundo dia (segundo seu Juarez e seu Odair) 37km pela Praia Deserta até a Vila de Superagui, tendo três casas na extensão da Praia Deserta.

Além disso, vale muito a pena acampar por uns dias e curtir o que a Ilha do Cardoso tem a oferecer, além de fazer as outras trilhas partindo do Marujá (Piscinas da Lage, Cachoeira Grande e em direção à praia de Cambriú).

Fernando Marrach
Fernando Marrach

Published on 01/31/2017 18:20

Performed from 01/13/2017 to 01/14/2017

Views

3619

1
Paulo Lima
Paulo Lima 02/05/2019 14:38

Parabens pelo trecking! A propósito, a facil chegar no Pontal do Leste e conseguir carona em barco de pescador pra atravessar pro Superagui, ou é só questão de sorte?