AventureBoxExplore
Create your account
Circuito Vale Europeu

Circuito Vale Europeu

Travessia de bike pelo Circuito do Vale Europeu em Santa Catarina - Julho 2016

Em julho de 2016 realizei o Circuito Europeu de bike. Como realizei a trip sozinho a logística ficou bem facilitada, tendo em vista quantidade de pessoas que a realizaram na mesma data e a falta de acomodações para todos em alguns locais.

Saindo de Curitiba, dormi a primeira noite em Blumenau, que é uma cidade muito massa pra tomar uma boa bera e comer uma carne de onça típica (Hackepeter) na Vila Germânica. Fiquei no Stamm Hostel, recomendo muito.

Dia 2 começa a trip em si. Larguei o carro na praça principal de Timbó (acreditem, ficou uma semana na rua bem de boa) e quando vi a quantidade de pessoas que estavam começando o circuito (tinha uns 40 paulistas - sem exagero) percebi que teria que desenrolar estadia no caminho. É que todos estavam com empresas especializadas no circuito, com vans transportando as malas (!!) e as bikes. Isso significava que todas as estadias da serra estariam lotadas, no auge do inverno.

Desta forma, tentei fazer o circuito no caminho inverso. Como estava sem gps lógico que não deu certo (a trilha é muito mal sinalizada nesse sentido invertido). O caminho foi bacana esse dia, sem cruzar com quase ninguém (era domingo, e percebi que não ia dar certo quando o único lugar onde podia pedir informações - um posto Ipiranga - estava fechado, assim como todos os restaurantes, lanchonetes, etc.), então decidi retornar ao trajeto inicial e dormir em Pomerode.

Lado bom, e dessas coisas que só acontecem com quem arrisca, quando estava na metade do caminho, em Benedito Novo, perdidaço, achei um boteco aberto e parei tomar uma cerveja. Ali conheci seu Lico, dono de ma pousada em Palmeiras e consegui reservar pouso lá.. mas teria que ganhar um dia e fugir da excursão dos paulistas, visto que eles tinham reservado todas as acomodações por onde passavam.

Sorte que Pomerode é muito massa.. Fiquei na Pousada Max, que recebe muito bem os ciclistas e fica perto das Schorstein (sério, vá jantar ali e tome uma IPA deles).. também tem um boteco da OPA bier (tome um chopp ali também) .. outro lugar muito bacana é uma loja de cervejas no andar de cima da Raiar do Sol presentes .. tem chopp da Schorstein ao mesmo preço que no restaurante da fábrica e é mais de boa .. e enchem growler!

Dia 3 - Precisava ganhar um dia, então foi pernas prá que te quero.. na verdade esse foi o dia mais fácil, com o caminho plano.. ao invés de dormir em Indaial toquei direto prá Rodeio .. mas foi vacilo, deveria ter dormido em Ascurra.. é que Rodeio também é ponto oficial de paradas de grandes empresas e tinha outro grupo grande que já tinha reservado tudo (na verdade faltou lugar até prá eles).. no final, depois de um baita desenrolo e quase tendo que voltar prá Ascurra, acabei dormindo em um hotel fazenda com parte do grupo grande.. tem uma massa muito boa e um vinho regional de primeira linha, sério! Mas se der, fique na pousada do Stolf, que é bem ajeitadinha e ele se amarra em receber ciclistas.

Nesse dia passei por uma estrada cheia de anjos que a galera lá dos paulistas se amarrou, mas eu nem vi nada demais... sei lá, cada um com sua pira. Nesse dia também eu deveria ter ido pra uma igreja cheia de história e tal, mas acabou que passei vazado e nem me dei conta...

Dia 4 - dia mais bacana.. faça a trilha da cachoeira, vale muito a pena apesar da estrada estar em obras. Muita plantação de pinus nesse caminho mas só a cachoeira já vale a pena.. tem algumas subidas prá ir acostumando o pelo pro que vem pela frente.. dormi na Pousada da Dona Hilda, muito bacana e ela ainda te faz uma marmita pela manhã pra trip do dia seguinte, pois não tem nada na estrada até Alto Cedros.

Dia 5 - Subida piá. Prepara as coxas. Mas tem um descidão da hora nesse dia. Fim do dia acaba numa barragem muito bonita. Dormi no Raulino .. foi meio estranho pois ele é o responsável por alugar as casas de campo que ficam ociosas ... dividi a casa com um casal e 2 manos que ia fazer o circuito em 2 dias (!!) ... Se for ficar ali tem que ficar esperto na entrada pra fazer a travessia de barco ... como não achei acabei dando a volta pela represa de bike, o que também não foi nada de mais.

Dia 6 - Subidão de novo. Também não tem nada na estrada, só plantação de pinus, acaba em Palmeira. Dormi no seu Lico, num chalezinho bem da hora e de frente a um restaurantezinho/boteco muito bacana. Dica: Compre licores e pingas de Luís Alves ali.. é barateza ($10)

dia 7- Palmeira-Timbó. Descidão. Cuidado prá não se matar.

Como caí em Timbó e era de tardinha, resolvi voltar pra Pomerode e dormir por lá.. e tomar outra Ipa da Schortein que ninguém é de ferro né?

Leonardo Santos
Leonardo Santos

Published on 10/06/2016 11:08

Performed from 09/17/2016 to 09/22/2016

Views

2293

1
Renan Cavichi
Renan Cavichi 10/06/2016 11:27

Que massa cara! Já namorei muito essa região! Uma hora saí essa trip também!