AventureBoxExplore
Create your account
Travessia do Morro Pelado ao Pico Jurapê

Travessia do Morro Pelado ao Pico Jurapê

Caminhada pela Serra do Piraí, passando por duas das principais montanhas dessa serra.

Trekking Mountaineering

Travessia do Morro Pelado ao Pico Jurapê

Muitos montanhistas que visitam o Morro Pelado e o Pico Jurapê, sentem o desejo de fazer essa travessia, muito por conta das vistas que se têm das duas montanhas, onde a partir de uma pode-se ver a outra e parte do caminho para completar a empreitada. Nas imagens abaixo, podemos observar o Pico Jurapê visto do mirante sul do Morro Pelado, na segunda imagem, a montanha conhecida como Vestido, em destaque, o Pelado, que em meados do século XIX era conhecido como Pico Corcovado e à direita do mesmo, o Castelo dos Bugres.

Somente em 2013, essa travessia foi realizada pela primeira vez, os guerreiros que conquistaram o Pico Jurapê pela face oeste foram Arlindo Rossi, Jaison Budal Arins e Rubens Schroeder, que posteriormente nos passaram algumas valiosas informações.

No grupo Quiriri Adventure, no qual faço parte, o desejo de fazer essa caminhada também era unanimidade (talvez continue sendo), então a possibilidade de fazê-la sempre era colocada em pauta, mas por conta da dificuldade, logo era desconsiderada, pois era necessário um certo planejamento. Até um dia em que o Leandro Mathias jogou novamente a possibilidade de fazermos, logo alguns membros do grupo se manifestaram, depois escolhemos uma data e era só aguardar o grande dia chegar.

Na noite de uma sexta-feira, especificamente no dia 22 de julho de 2016, estávamos no estacionamento do bar e borracharia do sr. Valdemar, para finalmente iniciar a travessia. Já era 23:15 quando eu (Marcel), Leandro Mathias, Boca, Lucas Glimm e Rodrigo começamos a caminhar, às margens da Serra Dona Francisca (SC-418), onde após alguns metros subindo a rodovia há um portão à esquerda, ali inicia a trilha que dá acesso ao topo do Morro Pelado e dessa vez ao Pico Jurapê. Desde o início, o intuito era caminhar até uma gruta na base do monólito, conhecida como Mocó e ali passar a noite para no sábado começar a travessia de fato, assim chegamos na Mocó as 2:00, tendo percorrido 4,77 quilômetros em 2 horas e 45 minutos.

Foto no estacionamento com sr. Valter, que fez os translados.

Após uma boa noite de sono, acordamos, tomamos café e às 8:45 começamos a caminhar, no início a vegetação não era tão densa e havia alguns caminhos de animais, caçadores e palmiteiros. Porém, após algum tempo a vegetação começou a ficar mais densa, o que fez nosso ritmo diminuir, principalmente as taquaras e os cipós de gato que engatavam nas mochilas com frequência, o que nos obrigou a utilizar facões para facilitar a passagem. Não bastasse a vegetação engatando na mochila, também havia bastante gravatá, uma espécie de bromélia com espinho na ponta, que judia bastante do caminhante, mesmo com as adversidades a vibe sempre era boa. Nesse dia passamos diversas vezes por rios e mirantes que nos possibilitavam visualizar o Vestido, montanha situada entre o Pelado e o Jurapê (foto abaixo).

No meio da tarde começamos a subir uma interminável "rampa", com vegetação densa, normalmente na altura do peito. Nesse momento a vontade de todos era achar um bom local para passar a noite e jantar, o que aconteceu às 17:45, após 9 horas de caminhada e quase 4 quilômetros percorridos, quando encontramos a clareira feita 3 anos atrás. Logo começamos à procurar um canto para passar à noite, e depois começar a preparar o "rango", para jantar e finalmente às 21 horas dormir. Diferente da primeira noite, essa não foi tão boa por conta da inclinação do terreno, porém como estávamos bivacando, era possível observar as estrelas.

Nossa janta do segundo dia foi macarrão, calabresa com molho de tomate e legumes.

Bivaque na clareira.

No último dia sabíamos que faltavam poucos quilômetros até o cume do Pico Jurapê, mas também sabíamos que seria uma caminhada árdua, assim começamos às 8 horas e logo demos de cara com a face oeste do Pico Jurapê, que estava escondido atrás do morro onde acampamos. Com ânimos renovados após esse momento, descemos o vale para depois começar a subir mais uma interminável "rampa", dessa vez tivemos que escalar uns 10 metros de parede vertical, usando a vegetação para se impulsionar para cima e logo chegamos num "campo sujo" que vai até o mirante oeste do "Chorapé". Já eram 14 horas e após 6 horas de caminhada, havíamos percorrido 1,6 quilômetros, depois da comemoração e do descanso, nos restava descer a trilha de ascensão ao Pico Jurapê, com mais ou menos 5 quilômetros, o que concluímos às 17:55 do dia 24 de julho de 2016, assim essa travessia foi realizada pela segunda vez.

Face oeste do Pico Jurapê.

Na base do Jurapê.

No total foram 15,1 quilômetros de caminhada, boa parte sem nenhum vestígio de trilha, o que torna essa travessia difícil, além das dificuldades imposta pela vegetação e pelo relevo, há muito carrapato nessa região o que pode atrapalhar um pouco ou até causar alguma doença.

Trajeto e perfil de elevação da travessia.

Fica o agradecimento aos companheiros dessa caminhada e ao Arlindo e o Rubens, que nos passaram informações valiosas.

Vídeo editado pelo Lucas Glimm, ilustrando um pouco da nossa caminhada:

https://www.youtube.com/watch?v=XO1ol0VwANA

Relato escrito pelo Arlindo, contando sua empreitada em 2013:

http://ecosdamontanha.blogspot.com.br/2013/07/travessia-morro-peladopico-jurape.html

Marcel
Marcel

Published on 11/10/2016 15:30

Performed from 07/22/2016 to 07/24/2016

1 Participant

Lucas Glimm

Views

4832

5
Renan Cavichi
Renan Cavichi 11/14/2016 11:11

Demais! Grande registro!

Fabio Fliess
Fabio Fliess 11/15/2016 14:51

Muito bacana Marcel!!!! Não conheço nada ainda pelo Sul, mas pela movimentação da galera, vejo que tem muita trilha legal nessa região... Um dia chego por aí. Parabéns!

Marcel
Marcel 11/15/2016 17:11

Opa, sim!!! Tem bastante coisa por aqui, precisando de informações, dê um toque.

Fabio Fliess
Fabio Fliess 11/15/2016 20:09

Show Marcel! Muito obrigado...

Felipe da Rosa Torres
Felipe da Rosa Torres 07/16/2021 22:07

Role insano! Estava pesquisando sobre essa travessia agora por aqui e apareceu o seu relato e do Arlindo Rossi. Teria o Tracklog para me passar? Estou planejando essa travessia para fazer pelo próximo mês.

Marcel

Marcel

Joinville - SC

Rox
134

Intagram: @marcel.bitencourt

Adventures Map
www.wikiloc.com/wikiloc/user.do?id=1312491

125 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Bruno Negreiros, Peter Tofte and 396 others support the Minimum Impact Manifest