AventureBoxExplore
Create your account
Machu Picchu

Machu Picchu

Caminho feito da Hidrelétrica até Aguas Caleintes, subindo o camino paetonal até Machu Picchu e depois até o topo da montanha em si

Mountaineering Hiking

Dia 17/05/2019 – Caminho para Águas Calientes

Peguei minha mochilinha me despedi e segui o meu caminho saindo de Cusco para pegar uma van até a hidrelétrica. Entrei na van e recomendo ficar do lado esquerdo. Ficando deste lado, que é o que fiquei, vai curtir bastante o passeio e ter grandes visuais. O caminho de carro/van até a hidrelétrica dura umas seis horas de estrada. Tem uma parada para tomar um café da manhã.

Depois de subir a montanha pela estrada, passando por várias cachoeiras, conseguimos ter uma vista lá do cume. Lá tinha uma galera fazendo um downhill daquela montanha. Deve ser bem legal, já que esse caminho a água da cachoeira atravessa a estrada por onde passam os carros e bicicletas.

Ao chegar na hidrelétrica o motorista quis saber quem tinha o passeio com o almoço incluso. Creio que ninguém ali tinha. Todos foram seguindo o seu caminho. Não almocei. Tinha alguns suprimentos na mochila. Queria chegar logo em águas calientes para poder conhecer o lugar e dormir cedo. O caminho feito até lá pode ser visto clicando aqui.

Desci da van e comecei a seguir os trilhos. Comecei a minha caminhada pelos trilhos de trem e depois tem uma pequena trilha que se pega a direita. Lá vi um casal de brasileiros descendo esta trilha. Subi até que se chega nos trilhos de trem mais uma vez. Lá é só segui-los pela trilha que existe na esquerda. Andar na trilha, não nos trilhos. 10 km de caminhada até aguas calientes / machu picchu pueblo.

Assim que cheguei na famosa ponte de metal que tem no caminho, o trem passou. Foi bem legal essa experiência. Quase um presente de aniversário.

Estou caminhando normalmente, sem pressa, mas não muito devagar, quando de repente sinto alguém se aproximando por trás de mim, num ritmo mais forte e já quase me ultrapassando. Olho para trás e quem era? Leonardo! O brasileiro que conheci quando estava em Huaraz. Foi muito legal encontra-lo ali.

Fomos caminhando juntos até a águas calientes. Ele tem um ritmo mais forte que o meu, mas consegui acompanha-lo. Falei que era o meu aniversário e ele me deu os parabéns. Falou que o dele tinha sido uns dias antes também. Foi bem legal isso. Dei os parabéns para ele também.

Chegamos em Águas Calientes e nos separamos. Cada um foi procurar o seu hostel. Antes, marcamos de nos encontrar por ali para tomar uma cerveja.

Tomei meu banho e fui dar uma volta em Águas Calientes. Bem bonitinha a cidade.

Andei mais um pouco por Machu picchu Pueblo e então fui comer uma pizza. Sabor da pizza: Machu Picchu, haha. Pedi uma dessa e uma Inca Cola.

Ali na pizzaria recebi a mensagem do leonardo dizendo que estava num restaurante e que o prato feito era uns 15 soles se não me engano.

Depois de pagar a pizza e conversar pelo wifi, fui ao encontro do Leonardo. Depois de andar, andar e andar... finalmente achei o tal restaurante que ele estava. Finalmente, tomei uma cerveja local do Peru. Ele que me recomendou. Gostei.

Jogamos conversa fora, criticamos o governo brasileiro, haha, e bebemos cerveja. Ao sair do restaurante vimos alguns papeis pendurados na porta com alguns dizeres e datas de gente de todo o mundo. Ali, vi um de um brasileiro no mesmo dia que estávamos, a saber, 17 de maio, meu aniversário, só que há uns dois anos atrás. Foi legal isso.

Nos despedimos e fui embora para o hostel para dormir. Amanhã seria o grande dia de conhecer Machu Picchu.

https://marceluferreira.blogspot.com/2019/06/aguas-calientes.html

Dia 18/05/2019 – Machu Picchu, o grande dia!

Acordei bem cedo, as quatro da manhã e desci para tomar o café da manhã. O hotel só abre para o café da manhã as 5, mas como já havia pedido para deixar um lanche para mim as 4, fui lá comer. De barrigão um pouco cheio e já com a mochila com tudo nas costas para ir embora, fui fazer a minha caminhada até Machu Picchu. O caminho feito pode ser visto clicando aqui.

Andando ainda de noite, de madrugada na verdade, cheguei no primeiro checkpoint. Este, só abre as 5 da manhã. Entrei na fila e fiquei aguardando abrirem. Ao chegar a minha vez, pediram o ingresso e o passaporte. Continuei a minha caminhada até cheguei no início da trilha, o Camino Peatonal.

Comecei a subir. Uma subida sem fim. Ainda a noite e subindo... comecei a ver os primeiros raios de sol rasgando o céu. No meio da caminhada já dá para ouvir os ônibus subindo. Depois de um bom tempo subindo, cheguei na portaria. Suado e um pouco cansado, fui no banheiro. Dois soles o banheiro.

Fui para a fila da portaria (lotada de gente) e mais uma vez pedem os ingressos e o passaporte. Perguntei sobre o caminho até a montanha e me indicaram. Fui seguindo a trilha, até que passei por um mirante clássico. Estava tão cheio que nem quis parar. Ia passar ali na volta, talvez. Não tinha sol ainda também... as fotos não iriam ficar boas.

Fui andando até que cheguei na portaria/controle para o topo da montanha Machu Picchu. Estava fechada. Enquanto não abria, fui dar uma volta e acabei achando um outro mirante, perto da Casa do Guardião que é muito mais bonito.

O sol ainda não tinha nascido e mais uma vez as fotos não ficariam legais, mas era um bom passatempo até abrirem a porta para a montanha.

Dado a hora, voltei ao controle, assinei minha presença e comecei a subir a montanha. É uma escadaria sem fim. Bem cansativa. Somado ao cansaço da trilha para chegar até a portaria.

Ao finalmente chegar lá em cima, comi alguma coisa, bebi água e orei um pouco. Lá tem um mirante também com uma vista bem legal.

Ali, acabei conhecendo mais três brasileiros. Tirei fotos para eles e um deles tirou para mim. Ali orei bastante. Depois de orar, comer um pouco e descansar... era hora de descer.

Fui descendo a montanha e mais uma vez me encontro com o Leonardo. Dessa vez ele e o primo dele subindo. Nos cumprimentamos e nos despedimos. Passei na portaria e assinei minha presença (de check-out) e aí sim fui conhecer o sítio arqueológico de Machu Picchu com os milhares de turistas.

Conhecido tudo, terminei a caminhada por ali, mas nem lembrei que tinha a opção de carimbar o passaporte. Ainda bem que já tinha carimbado antes. Passei direto indo para o “Caminho Peatonal”. Descendo toda vida. Estavam vendendo água ali, mas estava uns 7 soles e ainda quente. Hahaha, nunca que eu iria comprar. Ainda bem que ainda tinha uma pequena reserva de água comigo.

Descido a trilha inca, era hora de caminhar mais dez quilômetros até chegar na hidrelétrica.

Fiz o caminho sozinho dessa vez. Em uma parte, perto de uma ponte, uma menina travou. Medo de cair. Ajudei ela a passar e segui meu caminho.

Já quase no final, bem perto da hidrelétrica, como vi que estava com tempo sobrando ao combinado no dia anterior com o motorista, resolvi parar num restaurante por ali e almoçar.

Enchi o barrigão e descansei uns minutinhos. Apareceu uns brasileiros e comeram ali também, mas nem falei com eles. Fui até a hidrelétrica. Cheguei lá com uns 10 minutos antes do combinado no dia anterior. Acabei tendo que esperar uns 40 minutos para que a nossa van saísse.

Todos na van, pegamos a estrada de volta a Cusco. Paramos num lugar para ver o pôr do sol e fazer um lanche. Chegando em Cusco já a noite, fui caminhando tudo até chegar no hostel. Tomei banho e fui direto dormir porque o dia seguinte era para a montanha colorida e, prometia ser um dos passeios mais difíceis de toda a viagem.

https://marceluferreira.blogspot.com/2019/06/machu-picchu.html

Marcelo A Ferreira
Marcelo A Ferreira

Published on 08/05/2019 14:50

Performed from 05/17/2019 to 05/18/2019

Views

1267

Marcelo A Ferreira

Marcelo A Ferreira

Arraial do Cabo - RJ - Brasil

Rox
781

Economista, aventureiro, funcionário público. @mar_celoferreira

Adventures Map
linktr.ee/mar_celoferreira

899 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Bruno Negreiros, Fabio Fliess and 385 others support the Minimum Impact Manifest