AventureBoxExplore
Create your account
Pico Selado

Pico Selado

Momentos Variantes

Em um domingo não muito amistoso estava tudo combinado para a conquista do Selado.

Localizado em Monte Verde- MG no Parque Ecologico Verner Grinberg, tequin da extensão da Serra da Mantiqueira.

Saimos de SP ao nosso destino com transito fluindo bem. Acredito que a falta de interação no começo foi apenas de umas pessoas, pois algumas ainda não se conheciam e alguns ainda com sono, mas a cena muda ao chegar em Camanducaia, muitos já começa a interagir e trocar experiencias vividas antes.

A presença das mulheres vem crescendo no Montanhsimo e para compor esse time estava todas belas a rigor (rsrs). Então naturalmente começa a troca de zideias por aí, onde se é firmado a amizade e parceria ao decorrer da trilha, ai pronta lá vamos nós arriba!!! Nessa trilha a Mara tem um desafio que deixou pendente em 2016 "conquistar o cume" visto que a mesma se preparou para esse retorno como aquela famosa cena do filme "Rock Balboa". Seguimos em direção ao Pico Chapeú do Bispo, passando logo pelo Platô onde fizemos uma parada; ao longo do visual para o Pico Selado estava incoberto e timidamente o tempo foi se estabilizando ao longo do dia mas as ameaças de chuvas era notória, prosseguimos e alguns estavam com cara de suspense para se alcançar o Cume, chegamos a um lajeado de rochas o grupo foi dividido uma parte ficaria por ali montando o pic-nic e a outra ja avançaria para o Cume.

Agora todos apreensivos, ao ver os primeiros corajosos na escalaminhada para assinar o livro do Cume. Eu ia ficar na base,porém inverti a função e acabei ficando no cume para apoio, gritei: -Arriba galera, bora aêee. Cada superação de conquista foi um exemplo um do aoutro alio companherismo foi crucial a todos.

Deixo o exemplo da Sra Rita que é deficiente visual a conheci no Parque Juquery onde nos deu uma aula e tanto de argilas e outros componentes no local, com muita cautela superou as barreiras e chegou no cume do Pico Selado. Pensei: Mas caraca ela chegou aqui? fiquei um tempo olhando para seu rosto tinha muita determinação, foi um exemplo para muitos ali e também nos contou um pouco da flora local como uma Boa Artesã organica. Outro fato curioso nós passa na Montanha no que diz respeito ao emocional, aconteceu com a Ana ela prosseguiu bem na sua caminhada sem muito desgaste. No ponto de partida da escalaminhada viu as meninas escalaminhando, o psicológico era uma barra difícil de equilibrar isso era nitído na face de cada uma , mas quando alcançavam o Cume a sensação de conquista era única que apenas cada uma poderia se expressar, e na vez da Ana me assustou um pouco, ela subiu com apoio da corda tremendo muito e pedindo calma a nós o tempo todo seu namorado o Jhon estava do meu lado o que facilitou sua chegada, mas derrepente ja no cume ficou trêmula e mal conseguia falar uma palavra completa. Então pensei: Caramba! Acrofobia a atingiu em cheio, então aguardamos um pouco depois dei um abraço nela, aos poucos foi conseguindo pronunciar as palavras completas, e quando conseguiu falar explicou que estava muito emocionada e que quando atingiu o Cume foi uma surpresa boa e agradável. Começei a ficar mais tranquila mesmo sabendo que teria que ver um jeito de rebocar. Disse a ela: Você tem todo direito de ficar assim, é seu momento partilhe com o Jhon, na descida disse ao Jhon ir atras dela que o Elson aguardaria ela na base e eu continuaria no topo para auxílio, como o emocional voltava aos poucos a pena-lá, disse para ela escutar o Jhon o que deu certo e chegou com segurança na base da rocha. Para os homens nada de novidade subiram ate que sem receio e quase que pode se dizer "voando"

Após a missão ser conquistada nosso objetivo era retornar para o Chapeú do Bispo, onde tem uma via de escalaminhada boa para todos nós por lá, conseguimos chegar no topo da Pedra, nessa parte a Michelle superou bem na escalaminhada, visto que no cume máximo não teve dificuldade devido o auxílio da corda.

Teve também a 7° edição do Projeto "Montanha Sem fronteiras" contou com a participação de Jhon (Columbia) e da Le Chau (Vietnã). A troca de cultura sempre promove lembranças boas. O retorno foi uma reprise, agora todos tagarelas contava suas experiências vividas o que durou pouco a maioria capotou na van.

Essa galera que nos acompanhou não são muito lá experiente, mas acreditamos em cada uma delas quando se manifestaram o desejo de conhecer uma Montanha, talvez para muitos o Pico Selado não é uma montanha difícil, mas nosso objetivo era apresentar todos para a beleza da natureza, com segurança e respeitando o limite de todos. Deixo meus agradecimento a todos em especial a Sra Rita Engi que autorizou sua experiência vivida nesse relato. Inté.

Priscila Nascimento
Priscila Nascimento

Published on 02/13/2017 18:37

Performed on 02/13/2017

1 Participant

Michelle Engi

Views

2129

1
-------------------------
------------------------- 02/17/2017 11:48

botando todo muito pra esquentar as pernas.