AventureBoxExplore
Create your account
Travessia da Baita via Morro do Jesus

Travessia da Baita via Morro do Jesus

Morros SP: Elaboração da rota para atingir os dois lados do morro, ainda nas beiradas da capital tem aventura.

Travessia da Baita via Morro do Jesus

Essa travessia esta localizada no Morro Doce que é um bairro do Distrito Anhanguera. Leva esse nome porque seus primeiros habitantes cultivavam cana-de-acuçar e produziam cachaça em alambiques. Localiza-se no km 24 da Rodovia Anhangüera, tendo fácil acesso tanto para bairros maiores da capital, como para o interior. Assim como o Pico do Jaraguá, o bairro possui uma extensão das cavas de ouro, pelo antigo grupo São Roque, onde recebeu uma proposta para tombamento, fazendo assim um parque ecológico, tornando um ato de consicentização histórica e cultural do local, o que ficou apenas no papel. Nessa travessia percorre um dos últimos verdes do bairro e o seu ponto culminante está o Morro do Jesus conhecido assim pelos moradores e por alguns aventureiros da região, de lá é possivel se avistar o ponto culminante oficial da capital SP, além do Morro do Pavão entre outras Serras. Atrás dessa rota tem a estrada da Fazenda Itahiê, onde possui vários circuitos inéditos de bikers.

Na caminhada matinal só ia subir o Morro, dar aquela alongada depois do aquecimento e rolar pirambeira à baixo, essa aventura foi bom pois fizemos amizades e companias que foram surgindo ao longo da trilha o que animou mais ainda. Chegando no início da trilha (que segue opcional á segunda esquerda da rua Iturama, chegará um ponto que a rua ficará sem asfaltação caminhe mais uns 5 minutos e vai avistar a rasteira da trilha, que segue para a principal bifurcação) alguns moradores estavam em movimentação forte erguendo o bairro, que está em urbanização. Uma recepção rápida e cordial por um jovem morador que já curtia seu final de semana á rigor da refinada cachaça, foi suficiente para dar a dica: -Sim seguindo lá para baixo tem Cachoeira!

Pronto! apesar de não entrar com frequencia em cachoeira fiquei a pensar na beleza da mesma, pois o córrego de sua descendência segue sentido da capital, assim como estava na carta e traçado da rota de retorno. Um olhar discreto para Elson já dizia adrenalina à escolher, fomos subindo ate não avistar mais as civilizações nesse ponto tem uma bifurcação; a esquerda pira para o topo do Morro, a direita, ah essa direita,ali começou a batalha dentro do vale, isso seria apenas para ver essa tal Cachoeira da Baita que "tem lá para baixo"

Após andar bom bocado em mata aberta na mesma direção entramos em uma vala da enconsta que segue a trilha conhecida por "Trilha do Retao"
No final dela descobrimos mais tarde que tinha uma guarita que aparentava não ter como transpor, retornamos a uma bifurcação à direita bordejamos um cocuruto que seu início se avista o primeiro lago (conhecido pelos moradores como represa da Baita; nessa represa tem acesso feito por moradores de uns três lagos, em seguida a corredeira que vai formando as quedas principais de mesmo nome, ao longo da Trilha). Aê! Vai descendo cavalinho! Foi mesmo ainda em uma estrada aberta chega ao primeiro acesso do Lago, atento a uma entrada a esquerda. Encontramos um grupo (Bianca, Micheli, Beatriz e seu namorado) bem receptivos são moradores da região, então trocamos umas zideias, as boas setas foi os próprios nos orientando na caminhada ao contrária e ainda contando um pouco da evolução do Bairro que segue à 100km/h.
A primeira esquerda dá acesso a segunda borda acessível do Lago, o terceiro Lago é totalmente na parte privada/cercada e só contemplamos de longe, então retornando seguimos a segunda bifurcação a direita e lá estava as corredeiras em seguida as quedas olhamos rapidamente para não atrasar aquele grupo que tinha um churrasco naquela mesma noite.
Prosseguimos e na última queda, onde incluí um lago decidimos não descer pelo motivo supracitado acima.
Final da trilha sai atrás de umas habitações, comprimentamos os moradores e nossos companheiros que conhecemos no caminho fez a gentileza de nós levar até o ponto.
Claramente nós despedimos e troquei contato com a Bianca para combinar um camping no Morro do Jesus, mas que o papo bom durante o percuso que não conseguimos uma selfie da galera juntas ficou também para nosso retorno.
Essa rota na real estava prevista depois de atingir tal cume, mas a aventura foi levada para o sopé da Serra nessas trilhas desertas e bifurcações pouco lá confusas, mas que ao longo do percurso percebe-se a finalidade das tais onde nós levou por lagos, corredeiras e cachoeiras e ainda ganhamos boas amizades.
O retorno já previsto está para começar onde terminamos e atingir o visado ponto culminante do bairro Morro Doce, que esse é o último verde preservado, mas que segue em alta urbanização.sabendo que a Travessia termina no km 22/23 da anhanguera percorrendo assim os dois lados do vale e atingindo o ponto de interesse o cume.

Adcionais: Travessia passa por quase todos os pontos do bairro sendo : Início> Vila dos Palmares> Jd.Monte Belo> Pq Esperança> Jd. Britânia> Sitio Itaberaba I e II( podendo ser início apenas para quem vai fazer ataq ao Cume)> Vila Nova Jaraguá, passando próximo do rodoanel Mário Covas e com saída opcional ao km 22 da Anhaguera, finalizando assim. Ainda se tem a opção de incluir na pernada estrada abaixo, podendo escolher o circuito e local a sair pelo interior.

2
Paulo Lima
Paulo Lima 04/28/2017 17:26

show Pri!!!

Renan Cavichi
Renan Cavichi 05/02/2017 11:09

Que show! Ficou muito massa o relato!