AventureBoxExplore
Create your account
Valle de Aguas Caliente no Chile, cachoeira de águas termais

Valle de Aguas Caliente no Chile, cachoeira de águas termais

Duas noites acampando em um ambiente nevado e ao lado de um rio termal. Frequentado por chilenos e pouco explorado por estrangeiros.

Trekking Mountaineering Camping

SOBRE O LUGAR

Chillán fica na região de Bío Bío, a 400 km ao Sul de Santiago do Chile e é a capital da província de Ñuble. É muito conhecida pelo ski e balneários com piscinas termais de seus hotéis e centros turísticos. Porém, apesar de levar a fama, o complexo Termas de Chillán fica, na verdade, na comuna de Pinto, a 80 km de Chillán. Mas como Pinto não investiu para receber os turistas, quem leva a maior parte do dinheiro é a sua vizinha. Mais que merecido.

Um pouco distante dos hotéis, há uma trilha para se chegar em um lugar paradisíaco, chamado Valle de las Aguas Calientes. Neste vale é possível apreciar a temperatura morna da água, direto do rio e de suas quedas d'águas. Os chilenos aproveitam bem esse lugar no final de semana. Nós fomos durante a semana e tivemos o privilégio em ficar com o lugar somente para nós.

RESUMO DO TREKKING

  • País: Chile
  • Cidades próximas: Santiago (480 km), Chillán (80 km)
  • Início: Resort Termas de Chillán
  • Fim: Valle Hermoso
  • Distância total: 18,7 km
  • Duração: 3 dias
  • Pontos de água: somente no rio e derretendo neve.
  • Subida acumulada: 1344 metros
  • Descida acumulada: 1399 metros
  • Altitude máxima: 2410 metros
  • Período do trekking: meados de outubro de 2017
  • Sinal celular: durante a trilha havia sinal até o último topo. Depois que descer para o Valle, não há mais sinal.
  • Dificuldade: Moderada. Não recomendada para iniciantes e é necessário muito bom condicionamento físico e experiencia em montanhismo.

COMO CHEGAMOS

Há ônibus que saem de Santiago direto para Chillán. Nós estávamos em outra cidade chilena, Talca, e demoramos 2 horas de ônibus para chegar até Chillán.

Passamos uma noite em Chillán, no Hostal Terbuchi, de nível mediano. O principal defeito era a janela do quarto, que não tinha. A única janela era do banheiro. Melhor dormir na barraca...

Sobrevivemos uma noite no hostal e partimos no dia seguinte para as Termas de Chillán.

No terminal de ônibus em Chillán, saem diariamente dois ônibus para as Termas. Pegamos o ônibus da manhã, às 7h50min, e depois de 2 horas chegamos no ponto final: Resort Termas de Chillán.

DIA 1: RESORT TERMAS DE CHILLÁN- VALLE DE ÁGUAS CALIENTES

  • Total percorrido: 6,2 km
  • Tempo: 5h30min
  • Subida acumulada: 854 metros
  • Descida acumulada: 370 metros
  • Altitude máxima: 2395 metros

Saímos do Resort Termas de Chillán, onde o ônibus nos deixou e subimos 15 minutos pela estrada até chegar no início da trilha, que fica antes de chegar no último hotel.

Foi uma subida dura. Em outubro ainda havia muita neve. Na maior parte, a neve estava razoavelmente firme para caminhar, mas sempre tinha uma pisada onde afundávamos até a cintura. Para o Ramon, mais pesado que eu, foram várias pisadas até o joelho, que o deixou bem cansado. O ideal seria andar com ski ou com raquetas.

Vimos alguns chilenos com ski no caminho e muitos saindo do vale. Era domingo e eles estavam voltando para a cidade. Segunda-feira os aguardava com muito trabalho e estudo.

Com uma hora de caminhada, passamos por um ponto de captação de água quente, para a piscina confortável do hotel logo abaixo. Quem não quiser ou não tiver fôlego para chegar no rio, pode aproveitar as águas termais direto da piscina do hotel.

Após a subida, descemos mais um pouco e subimos novamente, até ser possível avistar o vale. Mais um pouco de pernada para baixo e paramos no primeiro lugar plano que encontramos para acampar.

Após 5h30min de caminhada, montamos a barraca com o rio com água quente ao lado, e algumas quedas d'água.

Na foto abaixo, a seta indica o local que montamos nosso acampamento. Naquele momento não tínhamos a certeza se escolhemos o melhor lugar. Mas o frio intenso, junto com algumas rajadas de vento, nos ajudaram a decidir a ficar por lá mesmo, no primeiro lugar bacana que encontramos.

DIA 2: ARREDORES DE VALLE DE AGUAS CALIENTES

  • Total percorrido: 5,7 km
  • Tempo: 2h30min
  • Subida acumulada: 104 metros
  • Descida acumulada: 104 metros
  • Altitude máxima: 2143 metros

Ficamos 'hospedados' no mesmo lugar e fomos conhecer o fundo do vale.

O dia estava claro, sem nuvens, porém com um vento de cortar a alma. Achei que com a caminhada, meu corpo iria aquecer. Fui somente com camiseta e jaqueta corta-vento. Subestimei a natureza e me dei mal. Passei frio todo o percurso e para ajudar, a caminhada foi 100% na neve. Depois de uma hora, meus pés começaram a sentir o frio também.

Foram 1h15min até chegar no final do vale, onde há uma pequena queda d'água termal (foto abaixo). Paramos, e coloquei meus pés para aquecerem na água quente. Meu pé estava tão frio que doía com a diferença de temperatura da água. Mas depois de um tempo, os pés ficaram super quentinhos. Delícia. Não queria mais tirá-los de lá.

Decidimos parar de brigar com o vento, que não deu trégua, e fomos embora para nossa 'casa'. Foram mais 1h15min para retornar, e de vento frio na cara.

Depois desta caminhada concluímos que acampamos em um lugar top. Solo plano, ao lado do rio e com duas pequenas quedas d'águas. Não vimos outro lugar assim no caminho.

Minha cota de sofrimento do dia já tinha sido superada e só queria ficar quietinha. Agora me arrependo, pois não tive coragem de encarar o vento frio e entrar no rio.

Ramon entrou e se deliciou. Filmei ele e voltei para barraca.

Estava ventando tão forte que um spec da porta da barraca tinha voado. E lá fui eu arrumar o spec e fazer uma parede de pedras para proteger melhor a barraca. Alguns se divertindo na cachoeira, outros trabalhando em casa. Mas não posso reclamar, pois quem leva a casa nas costas, literalmente, é o Ramon.

Durante a noite, acho que o vento foi dormir e nos deu uma trégua. Dormimos somente com o barulho da água.

DIA 3: VALLE DE AGUAS CALIENTES - VALLE HERMOSO - CHILLÁN

  • Total percorrido: 6,8 km
  • Tempo: 3h45min
  • Subida acumulada: 386 metros
  • Descida acumulada: 925 metros
  • Altitude máxima: 2410 metros

Queríamos ir até o cume do vulcão Nevados de Chillán, mas quando acordamos, a neblina e o vento frio, que acordaram conosco, dominavam o cenário. Desistimos e fomos embora do vale. Afinal de contas, para nós, subir um cume para não ver nada, não vale o esforço.

Até que para ir embora foi mais fácil. A primeira subida fizemos em 1h30min. A neve estava mais firme e ainda seguimos algumas pegadas que pareciam degraus de uma escada.

Chegando no topo, a 2400 metros de altitude, ao lado de uma cruz, havia sinal de celular e vimos que a previsão do tempo indicava chuva para o dia seguinte. Então era melhor ir embora mesmo. O vento castigava muito.

Depois da primeira subida, descemos mais um pouco, subimos novamente e depois de 2h40min já era possível avistar o hotel lá embaixo. Faltava agora a última descida.

Neste momento aceleramos um pouco o ritmo. Colocamos as calças impermeáveis e descemos um trecho com a técnica esquibunda. Uhuuuu!!!!!

Conforme a neve acumulada ficou mais baixa e os topos das árvores começaram a aparecer, paramos o esquibunda e voltamos a caminhar.

O final da trilha estava bem escorregadio, com neve pisada e lama. Não saímos impunes e caímos algumas vezes.

Foram 3h30min até chegarmos no final da trilha e mais 15 minutos caminhando na estrada para chegar no ponto de ônibus.

Chegamos a ficar na dúvida se o ônibus iria aparecer. Somente nós dois estávamos no ponto. E alguns chilenos passaram por lá e falaram que o ônibus não viria, pois não tinha demanda durante a semana. Ui...

Esperamos até 16h30, que seria a hora que ele apareceria, e nada. O plano B era pegar o ônibus, em outro ponto, a 10km de onde estávamos. Tratamos de sair caminhando.

Depois de 25 minutos andando na estrada, o ônibus apareceu na frente do centro turístico Valle Hermoso. Ufa!

Entramos no ônibus e voltamos para Chillán. Não tínhamos reservado nenhum hostal e fomos procurar na hora mesmo. Encontramos o Hostal Marbella, que era um pouco melhor que o outro que ficamos anteriormente, mas ainda deixava muito a desejar. Nem tinha luz na cozinha.

Tudo bem, no dia seguinte partiríamos para o próximo destino, com a certeza que deixamos para trás, um dos acampamentos mais tops que já fizemos em nossas andanças.

CUSTOS

Custos em pesos chilenos para 1 pessoa:

  • Ônibus Chillán a Termas, total ida e volta: $ 6000,00
  • Hostal Marbella, diária casal: $ 20000,00
  • Hostal Terbuchi, diária casal: $ 16000,00

Cotação em 18/10/2017:

US$ 1,00 = R$ 3,17 = $ chilenos 626,32

DICAS

  • Importante levar água para a trilha. Pelo menos em outubro só havia neve durante o percurso.
  • Os chilenos nos falaram que bebem a água do rio. Achei o sabor bem estranho. Na dúvida, cavamos bem fundo para coletar uma neve limpa, derretemos e filtramos antes de beber. Melhor prevenir do que remediar.
  • Para economizar gás, usamos o calor da água do rio para derreter a neve.
  • Para não sentir frio após sair do rio quente, fique pelo menos 30 minutos na água para aquecer bem o corpo.
  • Antes de ir para uma trilha próxima de vulcões chilenos, consulte sites para avaliar as condições do clima e sobretudo a atividade vulcânica. O site www.sernageomin.cl informa em tempo real como estão os alertas vulcânicos.
  • Nunca deixe seu lixo, Traga-o de volta.

QUER MAIS?

Eu e Ramon Quevedo estamos curtindo uma vida sabática, focada no que mais gostamos de fazer: viajar trilhando.

Nos acompanhe em:

  • https://www.facebook.com/mochilaosabatico/
  • https://www.instagram.com/mochilaosabatico/
  • https://www.youtube.com/user/paulayamamura/

Paula @mochilaosabatico
Paula @mochilaosabatico

Published on 08/11/2018 08:12

Performed from 10/15/2017 to 10/17/2017

1 Participant

Ramon

Views

1908