AventureBoxExplore
Create your account
Subindo a Garganta da Serra - Brejo da Madre de Deus (PE)

Subindo a Garganta da Serra - Brejo da Madre de Deus (PE)

Considerada a trilha mais difícil de Pernambuco, a Trilha da Garganta da Serra percorre 4 km de subida intensa, em meio a mata nativa.

Pernambuco possui lindas trilhas em região de serra (brejos de altitude) que passam pelas áreas rurais de cidades como Pesqueira, Belo Jardim e Brejo da Madre de Deus. A Trilha da Garganta da Serra é considerada a mais difícil (e talvez a mais bonita) dessas trilhas de serra, e exige bastante esforço físico em um percurro de intensa subida com pouco mais de 4 km de extensão, em meio a mata nativa.

Como todas as trilhas de serra em nosso estado, essa passa integralmente por propriedades privadas, sendo obrigatorio, portanto, a ida com um guia da região. Fui com um grupo organizado pela Vértice Aventura, uma empresa com sede em Recife que organiza viagens de trilhas e rapel pelo estado (recomendo muito). O guia principal foi o morador local Paulo Henrique, ajudado pela equipe de apoio da Vértice.

O percurso é formado por uma forte subida em uma "garganta" que dá acesso ao topo da Serra do Ponto (pico da Boa Vista), o segundo ponto mais alto de Pernambuco, com cerca de 1195 metros de altitude. Praticamente todo o percurso é feito sob a copa da mata nativa típica dos brejos de altitude de Pernambuco, uma floresta verde exuberante e com linda beleza cênica. Como é bastante sombreada, não sentimos o efeito extenuante do sol a pino, o que torna o caminho bem agradável e ajuda muito a atenuar o intenso cansaço físico.

Escalaminhadas e trepa-pedra formam basicamente 90% do caminho até o platô que dá acesso ao Pico da Boa Vista. Não é um caminho fácil (em termos de esforço físico) e definitivamente não deve ser feito por pessoas sedentárias. Se chover no dia (ou nos dias anteriores) pode ser praticamente impossível de ser feita, devido as pedras ficarem bastante escorregadias.

No dia do trekking, alguns trechos estavam bem molhados devido a chuvas recentes na região, sendo portanto necessário para a maior segurança do grupo (que era bem grande, umas vinte pessoas) o auxilio de corda em alguns trechos. Se o caminho estiver seco, porém, cordas não são necessarias. Em comparação a outras trilhas de serra do Estado, essa seria a mais técnica devido às escalaminhadas e possível uso de cordas, mas não existe exposição e nenhuma dificuldade que não seja o proprio esforço fisico de uma subida constante, pulando e escalando pedras o tempo todo. O grupo, por ser grande, levou cerca de 5h30 para finalizar todo o trekking, mas grupos menores e bem preparados podem levar uma hora a menos que isso com tranquilidade.

No final da subida, chegamos a um platô no topo da Serra do Ponto, que dá acesso a vistas panorâmicas lindas de toda a região. É a hora do descanso merecido, e preparação para a descida, que é feita por uma outra rota, bem mais curta e fácil.

Trilha que agradará bastante quem faz montanhismo e quem gosta de trekkings mais puxados.

Priscila Matias
Priscila Matias

Published on 06/24/2018 20:29

Performed on 06/09/2018

Views

3016

8
Damião Santana
Damião Santana 04/07/2020 20:43

Moro em Recife e adorei saber dessa trilha aqui perto.

Thales Pordeus
Thales Pordeus 11/10/2020 14:43

Você ainda tem o contato do guia?

Damião Santana
Damião Santana 11/11/2020 19:38

Estive em Brejo, há poucos dias. Num evento de escalada. Tenho histórias boas pra contar, em breve postarei.

Priscila Matias
Priscila Matias 11/11/2020 19:39

Oi Thales, eu não tenho o contato do guia diretamente, mas vou tentar obter com a empresa, a Vértice. Se conseguir, te passo por aqui

Priscila Matias
Priscila Matias 11/11/2020 19:42

Opa Damião, não sabia que tinha tido EENE nesse ano... por causa da pandemia. Foi o EENE mesmo?

Thales Pordeus
Thales Pordeus 11/12/2020 13:05

Oi Priscila, consegui outro guia de lá. O Higor da HeraldoTur.

Priscila Matias
Priscila Matias 11/15/2020 11:16

Já fiz trilha com o Higor, tá em boas mãos

Damião Santana
Damião Santana 11/26/2020 19:29

Não foi EENE, foi PE na ROCHA, organizado pela ASPER.