AventureBoxExplore
Create your account
Snowboard em Mammoth Lakes [California / USA]

Snowboard em Mammoth Lakes [California / USA]

Snowboard e trekking em um lugar espetacular!

Snowboarding Mountaineering

Nunca tinha ouvido falar em Mammoth Lakes, mas descobri o lugar inventando uma snowtrip para janeiro de 2014.

Tentamos unir o útil ao agradável, e a idéia era esticar até Yosemith, mas descobrimos que no inverno fica bem complicado por causa das estradas que fecham, e o caminho ficaria muito longo. Acabamos focando a viagem apenas no snowboard mesmo.

Não tinha muita idéia de distância da cidade para as pistas, e comecei procurando pousadas no "Village" mesmo, onde está todo o comércio e restaurantes. São poucas ruas na parte mais "nobre" e uma parte menos turística da cidade por onde também caminhamos bastante.

Acabamos escolhendo ficar no Mammoth Mountain Inn que é na montanha, e ficamos num quarto de frente para a pista, ski in ski out. Foi ótimo. O preço que pagamos não foi muito diferente do que seria na cidade, e com a vantagem de acordar na pista.

Fomos muito bem atendidos pelo pessoal do hotel, principalmente pelo Cade que ficava na recepção e foi super paciente com a gente todos os dias, e pelo Hunter que dirigia o transfer que funcionava o tempo todo entre o hotel e a cidade.

Esquiamos quase todos os dias dos 20 que ficamos lá. O nosso ponto de partida era sempre o Main Lodge, que era onde ficava o hotel, porém existem outros pontos de acesso à montanha, inclusive com estadia por perto. Um que parece bem legal também é o Eagle Lodge. Tem ainda o acesso pelo canyon Lodge e o Mill Cafe. A parte das pistas perto do Eagle lodge é boa também, principalmente depois que neva, porque dá pra buscar bastante fora de pista por lá.

A estação tem uma boa variedade de pistas, algumas bem largas, e algumas pretas muito íngremes. A preta Cornice Bowl é ampla e gostosa de descer. Dá um frio na barriga de início, mas quando chega lá embaixo a vontade é de subir e fazer tudo de novo. O fora de pista é sensacional, e conseguimos pegar vários dias de tempestade seguidos de neve boa na estação. As pistas que têm acesso pela Chair 12 são algumas das querdinhas de quem vai pra lá.

Mapa das pistas

Conseguimos pegar alguns dias com tanta neve que acordavamos com as explosões que os funcionários faziam para tentar provocar avalanches, evitando assim que elas acontecessem no meio do dia pegando turistas distraidos. Até vimos uma dessas avalanches na pista do lado onde estávamos em um desses dias.

Tem vários parques na estação mas nem todos estavam funcionando. Conhecemos e fomos em dois, e conseguimos evoluir razoavelmente nos box, tubes e rampas, principalmente o Rô. Eu fui bem até o dia em que eu não conseguia terminar nenhum deles sem cair...Aproveitei pra treinar então o carving, 180, uns pulinhos e outras coisas mais próximas do chão.

Passamos bastante frio em alguns dias, principalmente quando íamos para a vila e estava nevando. Além da van do hotel, os ônibus também sobem e descem a montanha, e são gratuítos, por isso não nos preocupávamos tanto em combinar horários com a van. Por causa disso, algumas vezes passamos minutos gelados no ponto de ônibus. Quando o Hunter via que a gente estava por lá, mesmo sem ter combinado nada, ele parava para nos pegar. O mais legal foi um dia em que ele passou reto por nós, mas percebeu, e depois de um tempinho ele chegou dando ré com a van. Foi engraçado.

Só fizemos dois intervalos. O primeiro foi para um dia de compras na cidade. Vale comentar que tem uma loja boa de equipamentos de trekking e escalada, que também descobrimos por acaso, passando em frente. Lá compramos um creme reparador de rachaduras de frio e pele seca muito bom, chamado ALL GOOD GOOP.

No outro dia que "descansamos" fomos para um passeio no meio da neve e árvores perto dos Twin Lakes. Para chegar até lá é só pegar o ônibus que vai até o Tamarack Lodge. Subimos um bosque nevado, com um v
isual incrível de uma rocha que se destaca das demais montanhas ao redor, chamada Crystal Crag. Lá vimos um arcoiris, e foi maravilhoso.

Tive bastante medo de encontrar um urso, é verdade, mas foi um lugar bom de conhecer.

O passeio ali inclui uma pontezinha que divide os Twin Lakes, e uma pequena vila.

Naquele dia tinha um grupo de snowboarders fazendo umas manobras em um pontilhão, e filmando para fazer uma edição. Assistimos por um tempo e o Rô fez algumas fotos boas deles.

Os restaurantes que conhecemos lá foram:

Yodler : Fica na frente do hotel na montanha. Tem uma salada de Black Kail deliciosa, e o prato principal que escolhemos lá foi uma carne que também era muito boa. O grande problema desse restaurante é que tem dias que nem abre e em outros ele fecha muito cedo.

Campo : No Campo comemos pasta, e estava sempre ótimo, com molho de tomate bem gostoso. Em uma das três vezes que fomos lá comemos uma entradinha de couve flor com alho muito boa e perfumada.

Giovannis é um restaurante um pouco mais simples do que os de cima, onde se come bem também. Lá tem pizza mas pedimos outras coisas quando fomos.

Toomeys : tem um filet mignon maravilhoso com alho poro e purê de batatas, e o molho bem gostoso. O file é grande, então em um dia de menos fome é melhor pedir um filé e porção adicional de purê.

Subway: comemos lá alguns dias e foi muito bom, pois o sanduiche que eu fazia tinha frango e coentro, que fazia uma combinação que eu não sabia que eu iria gostar tanto.

Em Mammoth encontrei a franquia da Chocolate Factory, onde tem na minha opinião o melhor chocolate de menta da vida! Comprava um pouco um dia sim e um não, porque enquanto tivesse no saquinho eu iria querer comer.

Resumindo Mammoth.....foi com certeza uma das melhores viagens que eu já fiz....e das viagens de Snowboard, foi a melhor! Tomara que eu volte logo pra lá!