AventureBoxExplore
Create your account
Torres del Paine 2015

Torres del Paine 2015

Realização do Trekking W + Adm, solo, em Novembro-2015.

Long Distance Trekking Mountaineering

A VIAGEM:

17/11: teve início a aventura... Peguei um vôo noturno do RJ para SP (comprado com milhas), e aguardei no aeroporto mesmo pelo vôo para Punta Arenas.

18/11: o dia foi praticamente inteiro dentro do avião, chegando em Punta Arenas às 18:40hs.

OBS: Durante minha conexão no aeroporto de Santiago, aproveitei para sacar Pesos Chilenos. Efetuei o saque pelo Banco do Brasil, conseguindo uma cotação, após a inclusão de todas as taxas, de R$ 1 = CHP 159. Acotação foi muuuuuiiiito ruim, tendo em vista que no próprio aeroporto, as casas de câmbio praticavam a cotação de R$ 1 = CHP 182.

Peguei um ônibus para o Hostel Entre Vientos (CHP 3000), e desci praticamente na porta do Hostel. Você pode optar também por pegar um táxi (CHP 9000). Caso você vá no mesmo dia para P. Natales, você pode entrar em contato via email com as principais viações que fazem o trajeto para que você pegue o ônibus para Puerto Natales direto no aeroporto (os ônibus saem do centro da cidade mas sempre passam pelo aeroporto).

19/11: Após o café e check out, saí do Hostel e fui conhecer um pouco do centro de P. Arenas, e tentar aclimatar um pouco. Comprei minha passagem para P. Natales na Buses Pacheco (CHP 5000 – Ida ou CHP 9000 – Ida e Volta). Peguei o ônibus às 11:00hs, chegando em P. Natales às 14:00hs. Na rodoviária aproveitei pra comprar as passagens para TDP, no dia seguinte. Você escolhe o dia e horário apenas da ida, a passagem de volta fica em aberto para você pegar o ônibus de volta conforme sua programação (mas você deve voltar na mesma empresa que vai)... Comprei com a empresa Bus Sur (CHP 15000 – Ida e Volta).

Me programei para chegar esse horário em P. Natales para assistir a palestra sobre TDP no Base Camp (todos os dias, às 15:00hs). Conseguir chegar a tempo, a palestra é bem legal e fica lotada!!!

Após a palestra fiz algumas compras e fui para o Hostel Cuatro Estaciones descansar para o dia seguinte, quando enfim a aventura começaria...

20/11: Acordei bem cedo, para tomar café e pegar o ônibus para TDP (os ônibus da manhã saem todos no mesmo horário, às 07:30hs). Fui andando do Hostel até a rodoviária para aquecer, entre 15 – 20 minutos de caminhada, com a mochila.

A rodoviária já estava lotada quando cheguei, o parque é muito procurado por pessoas de todas as partes do mundo, principalmente da Europa... E o idioma “oficial” de lá é o inglês...até os atendentes dos campings e refúgios já te cumprimentam inicialmente em inglês....rs

O trajeto de ônibus ocorreu sem problemas (achei o ônibus da Bus Sur mais aconchegante que o da Pacheco...).

O ônibus para na Portaria Laguna Amarga, onde você irá pagar a taxa do parque (CHP 18000) e assistir um vídeo sobre o parque. O que eles repetem, como um mantra, é: NÃO FAÇAM FOGUEIRAS NO PARQUE!!! Infelizmente, à poucos dias saiu uma notícia que um brasileiro foi expulso do parque por causa disso... simplesmente lamentável!!!

Como eu tinha um dia além do necessário para o circuito W, resolvi iniciar o trekking por um ponto bem menos usual, saindo da Administração (último ponto de parada do ônibus). Caso opte por iniciar a trilha de lá, você pode incluir mais um dia de caminhada no seu roteiro...mas eu digo que compensa muito!!!

Compensa no visual, você tem uma vista de todo o maciço Paine Grande que você não terá no Circuito W ou O, e compensa financeiramente, pois você não precisará pegar o Catamarã, o que irá proporcionar uma boa economia....

Cabe ressaltar que esse trecho é muito menos frequentado que os Circuitos... você deve seguir por uma estrada de carros até encontrar a placa onde a trilha se inicia...Depois ela segue toda muito bem sinalizada e delimitada, não tem erro...

Iniciei a caminhada por volta de meio dia, com o tempo um pouco fechado, tendo como companhia apenas uma alemã que vivia no Uruguai...rs... A Katja iria fazer todo o circuito Q sozinha (o Circuito Q é composto do Circuito O + esse primeiro dia de caminhada)... Fui eu tentar desenferrujar meu inglês e meu espanhol (não sei qual anda pior....rs)com a Katja (que fala 4 idiomas!!! ), mas conseguimos nos entender bem...

A Katja tinha planejado acampar no camping Las Carretas (gratuito), onde chegamos após 2 hs de trilha. Nos despedimos ali, e eu continuei minha caminhada por mais 3 hs até o Camping Paine Grande, onde encontrei apenas mais uma pessoa na trilha... dia de reflexão e gratidão por estar tendo a oportunidade de conhecer aquele lugar belíssimo!!!

21/11: A noite até que foi bem dormida, apesar do frio nos pés o do vento fortíssimo desta parte do parque... Neste dia acordei cedo, pois teria um percurso longo pela frente. Foram 30km de caminhada, um bate e volta até o antigo Campamento Los Guardas. (resolvi seguir até o Los Guardas para ter um visual melhor do Glaciar Grey, em comparação com o visual do Mirante do Refúgio Grey).

Neste dia a caminhada foi bem mais tranquila e relaxante, pois foi feita somente com uma mochila de ataque bem leve, o que ajudou bastante...

Retornei novamente para o Campamento Paine Grande, onde mais uma vez pernoitei.

22/11: Acordei cedo, pois esse dia também é bem puxado. O dia se iniciou com uma caminhada até o Campamento Italiano (gratuito), onde é possível deixar a mochila cargueira e seguir apenas com uma mochila de ataque até o Vale do Francês.

OBS: Nós, brasileiros, podemos estranhar um pouco na hora de deixar nossas mochilas com todos os nossos pertences “abandonadas” por horas, do lado de fora da casa do Guarda Parque, no momento do ataque ao Vale... Porém, posso te garantir que a prática é mais do que normal no exterior, realmente há esse respeito (coisas que o Brasil ainda precisa aprender...).

Após o ataque ao Vale Francês, cheguei a um momento de decisão no meu planejamento: Eu tinha a opção de pernoitar no Campamento Italiano (gratuito) que era meu planejamento original, ou seguir até o Campamento Los Cuernos (pago) distante mais 5,5 km. Após ponderam um pouco, resolvi seguir para o Los Cuernos (e foi a melhor decisão que poderia tomar, já que o trekking no dia seguinte se mostrou muito desgastante).

O Los Cuernos é outro Camping pago do parque, mas administrado por outra empresa (Fantastico Sur). O valor do Camping é de CHP 7500, mas o controle é muito ineficiente (a Katja, que eu havia reencontrado no dia anterior, saiu do camping sem pagar... e eu, mesmo pagando, não coloquei a etiqueta de comprovação na minha barraca). Neste camping as barracas ficam bem distantes umas das outras, e em muitos pontos há opção de montar a barraca sobre tablados... é bom aprender essa técnica antes de sair do Brasil!!!

23/11: Esse dia foi bem puxado, pois a trilha foi longa e bastante cansativa, com os fortes ventos patagônicos voltando com tudo, principalmente no Vale do rio Ascencio... Após a longa e desgastante caminhada, cheguei ao Campamento Torres (gratuito), novamente na companhia da Katja... Montamos nossas barracas e subimos juntos para enfim chegar a basse das Torres... Esse trecho é de subida íngreme, com um trecho final de pedras soltas, então bastante atenção!!! Mas, a recompensa.... não tem preço!!!

Mais um momento de gratidão por aquela oportunidade, planejada em cima da hora, apesar do desejo de tantos anos... O sentimento de olhar aquelas Torres de perto é ímpar, passando na cabeça um filme de todos aqueles dias de frio e contemplação... com um pequeno lamento de não poder seguir caminhando e completar o “Q” (promessa que será realizada em um futuro próximo).

24/11: Último dia... A grande maioria das pessoas que pernoita no Campamento Torres acorda cedo para contemplar o nascer do Sol junto as Torres, mas confesso que fui vencido pelo cansaço (e também pela sensação de que o dia iria amanhecer encoberto, pois já dava sinais disso na noite anterior). Bom, dito e feito... Levantei mais tarde e a Katja me contou que realmente o dia amanheceu muito encoberto, e ela não teve visão nenhuma das Torres... E passou um frio desgraçado....rs

Tomei café da manhã, me despedi da Katja, trilheira solitária como eu, que me acompanhou por bons momentos durante a trilha, e desci até a Hosteria Las Torres para finalizar minha viagem...

Cheguei na Hosteria muito antes do horário da Van que leva até a Portaria Laguna Amarga... Devido a isso, ao frio cortante que fazia na Hosteria, e ao desejo de economizar, resolvi fazer esse trajeto andando... CONSELHO: Não faça isso!!! Rs... O trajeto não tem nenhum atrativo e, o cansaço somado ao clima de “fim de festa”, fazem esse trecho não acabar nunca!!!

Após pegar o ônibus resolvi pernoitar em P. Natales mesmo (sem reserva). Segui até o Hostel Cuatro Estaciones e... estava lotado!!! Andei por quase uma hora, com frio e com a mochila que agora pesava uns 1000 quilos nas costas até encontrar outro Hostel com vaga e um preço acessível...rs... Me hospedei no W Circuit Hostel, por CHP 10000.

E foi isso!!! Mais uma trip sensacional concluída... mais um sonho realizado!!!

Gostaria de agradecer ao site Mochileiros.com, pois grande parte das informações que eu precisei para o meu planejamento eu encontrei no site... A cada um dos anônimos que separa parte do seu tempo na correria do dia-a-dia para escrever relatos e responder a perguntas de pessoas que ele nunca viu.... Isso me faz ainda ter fé... Gratidão!!! Nos vemos pelas montanhas!!!

Rodrigo Oliveira
Rodrigo Oliveira

Published on 08/31/2019 10:42

Performed from 11/20/2015 to 11/24/2019

Views

684

Rodrigo Oliveira

Rodrigo Oliveira

São Lourenço - MG

Rox
26

Aventureiro desde 2011, amante de travessias em litoral e montanhas. Em busca de superação de desafios e autoconhecimento. Iniciante em Astrofotografia.

Adventures Map

108 Following