AventureBoxExplore
Create your account
Volta Huemul - El Chalten

Volta Huemul - El Chalten

Para Fugir das trilhas lotadas de El Chalten, a Volta do Huemul é a opção. Com Visuais incriveis dos Campos de Gelos e tantos outros pontos.

Trekking Mountaineering

El Chalten é a capital na argentina do esporte outdoor, tem muitas opções de trilhas, escaladas etc, porém no verão (melhor época para fazer as trilhas) as principais trilhas ficam quase todas lotadas. Uma boa opção para sair do convencional, dos blogueiros e da galera oba oba e fazer um trekking de nível moderado a difícil, a volta do Huemul é opção perfeita, com campings selvagens e um visual ímpar.

Antes de iniciar o Trekking da volta do Huemul é necessário ir à sede do Parque Nacional Los Glaciares e pegar o permisso para o Trekking. Além do permisso, é necessário ter alguns equipamentos: cadeirinha, soltera, mosquetão de ferro (tem que ser de ferro) e mostrar que você está levando barraca e fogareiro (eles exigem esses equipamentos para dar o permisso para o trekking). A sede do parque fica na entrada de El Chalten e é onde se inicia o trekking.

1º dia: Após fazer os trâmites na sede do parque, partimos para a trilha. Do início da trilha até o camping são 16,5 km, mais da metade da trilha é subida, são mais ou menos 700 metros de ganho de altimetria. Na parte alta é possível ver todo o vale do rio Túnel e o Cerro Huemul. A partir daí até o camping é basicamente uma descida e o restante da caminha é plana, no vale do rio Túnel. Nesta parte tivemos que transpor duas vezes o rio que, como vem da laguna toro e suas águas são oriundas do glaciar Túnel, é muito gelado. A área de camping é bem protegida do vento, mas tem que ter atenção com os galhos secos das árvores que, devido à força do vento, muitas vezes caem sobre a área de camping, então é bom analisar onde montar a barraca.


2º dia: Iniciamos a caminhada e em menos de 30 minutos chegamos à tirolesa, porém desistimos de passar, pois tinha um grupo com umas 10 pessoas e apenas uma cadeirinha. Demos meia volta, descemos à direita e atravessamos o rio, porém foi difícil, pois a água é muito gelada e a correnteza é forte. Após transpor o rio, começamos a subida até o Paso del Viento, são praticamente 750 metros de subida em 5,5 km. Durante a subida é possível ver uma parte do Cerro Torre e o bonito visual do glaciar Túnel, laguna Toro e glaciar Quervain. Vencida a subida, chegamos ao Paso del Viento e, por sorte, não tinha vento, então foi possível curtir os campos de gelo da Patagonia, um dos visuais mais bonitos que já vi até hoje e, sem dúvida, o ponto mais bonito da travessia. Depois de curtir o visual, começamos a descer até o camping do Paso del Viento, até lá são mais 5km apenas com descidas. O camping tem um pequeno refúgio, onde os trilheiros usam para cozinhar livre do vento. Tem espaço para muitas barracas. Esse dia são 12 km e uma subida total de mais ou menos 790 metros.

Subida para o Paso Del Viento

3º dia: Saímos do camping e seguimos rumo ao Paso do Huemul, até lá a trilha é tranquila sem muitas subidas, altimetria de 250 metros. Durante quase todo o percurso tem o visual dos campos de gelos continentais. O vento no Paso do Huemul estava muito forte, a ponto de desequilibrar o corpo. Após passarmos pelo paso do Huemul, avistamos o lago Viedma e então começamos uma leve descida até chegar à última descida, que é bem forte até o camping, em alguns trechos tem auxílio de cordas, são 650 metros de declive em 3,5 km. O camping fica na baía dos Tempanos. Assim como no primeiro camping, a área é protegida pelas árvores, em frente ao camping tem um bonito visual do lago Viedma e gigantescos pedaços do glaciar, que se desprendem e vão para a baía dos Tempanos. No total foram 13 km, com 250 de subida e 800 metros mais ou menos de declive.

Visual do Glaciar Viedma

Baia dos Tempanos no Lago Viedma

4º dia: Iniciamos a pernada rumo ao Porto no lago Viedma, o caminho até lá é longo mas praticamente plano, até o porto são 16 km. Quase chegando ao porto tivemos que transpor novamente o rio Túnel, desta vez não teve opção, tivemos que usar a tirolesa. Um conselho é usar uma soltera bem justa para facilitar pegar no cabo de aço com a māo, outro conselho é amarrar um cordelete de 15 metros na cadeirinha para quando transpor o rio, a próxima pessoa possa puxar o cordelete amarrado na roldana e poder transpor o rio. Chegando ao porto, para o nosso azar, não tinha nenhuma van, nem carro. Tivemos que seguir até El Chalten, foram mais 8 km, já no final pegamos uma estradinha de terra e asfalto. A trilha terminou na sede do parque, onde entregamos o permisso para comunicar o término da volta do Huemul. No final foram 24 km do camping dos Tempanos até a sede do parque.

Samuel Santos
Samuel Santos

Published on 05/23/2020 12:52

Performed from 01/10/2019 to 01/13/2019

Views

475

6
Peter Tofte
Peter Tofte 05/23/2020 14:57

Parabéns Samuel! Muito legal. Anos atrás só fui até a Laguna del Toro porque não tinha a cadeirinha para a travessia do Rio.

Samuel Santos
Samuel Santos 05/25/2020 08:26

Valeu Peter, essa aí vale a pena voltar hein..

João do Carmo
João do Carmo 05/25/2020 09:17

Uau! Louco para fazer depois que caminhei até a laguna toro. Caminhada isolada e linda

Samuel Santos
Samuel Santos 05/26/2020 08:24

João depois da laguna toro o negócio fica melhor ainda!!!

João do Carmo
João do Carmo 05/26/2020 13:22

Imagino Samuel. Outro que tenho muita vontade de fazer é o Circuito Gelo Continental

Luciane Luz
Luciane Luz 06/04/2020 19:05

penso em retornar a El Chatem para fazer este circuito seu relato meu estimulou ainda mais.