AventureBoxExplore
Sign Up

Travessia Petropolis x Teresopolis + Portais de Hercules

Serra dos Órgãos em 2 dias - Abrigo Açu - RELATO COM VIDEO

Mountaineering Trekking Camping

"Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio." - William Shakespeare. -- Nosso remédio estava diante dos nosso olhos!

PRÓLOGO 

Parque Nacional Serra dos Órgãos - Terceiro Parque mais antigo do Brasil, abrange uma grande área cercada por montanhas e seus respectivos municipios: Petrópolis, Tersópolis e Guapimirin. Tradicional travessia percorre quase 30km de extensão, com algumas sugestões bônus como Portais de Hércules. 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

CHAPTER ONE -

São Paulo to Petrópolis 

Com três semanas do ingresso comprado para trilha de final de semana no site do PARNASO estávamos em busca de nossos amigos para essa aventura, iríamos de carro a princípio porque saíriamos pela mesma portaria; mas não foi esse o motivo de irmos de Aguia Branca, o enrolo todo foi que não deu para nossos amigos irem, era feriado em SP de 4 dias, e muitos ou estavam indo para outro lugar e teriam que trabalhar, resolvido partimos só os dois do Terminal Tiête em SP, as 23h com chegada as 6h30 no Terminal de Petropólis.

Quando desembarcamos do onibûs havíamos notado um casal que também parecia ser trilheiros, esperamos alguns instantes e indagamos eles perguntando se eles iriam para a Portaria do Parque, logo eles iriam, melhor fazer a Travessia em 3 dias e nós só Castelo do Açu e Portais. Minha pergunta era como eles iriam chegar até o Parque, de bus local (como sugere duas linhas no site) ou um UBER. Por fim estava os quatros dentro de um Prisma pagando por uma corrida de R$40,00 até a entrada do parque; durante o trajeto de quase 40 minutos não houve muita conversa entre nós, principalemente na hora que o silêncio foi quebrado por alguma coisa qeu "soltou do carro" isso na cidade, mas continuamos o motorista não deu sinal que iria parar para arrumar; quando entramos na estrada principal que liga ao parque o sinal de GPS dele parou, ele continuou e nos deixou um pouco menos que 300m da portaria do parque. Eu resolvi contar essa história porque é as que não contam sobre os roleês hahha, foi duro mais chegamos 7h30 no parque, o casal seguiu esperando o guia deles e nós fomos dar baixa na compra do ingresso. Assinei entrada e saída por Petrô, com pernoite do Abrigo Açu.

Cachoeira Véu da Noiva

Eu tinha esquecido de como era bom caminhar na natureza, confesso que fiquei muito tempo sem trilhar desde Março deste ano, por mudanças de rotina na minha vida, muita correria mas principalmente por causa do meu joelho, desde minha volta das aventuras no Peru ano passado (set/18) eu estava com muitas dores e ressonância mostrou condromalácia patelar e tendinopatia nos dois joelhos, o médico disse que era de grau II e era pra mim buscar cuidar do joelho, eu cuidei pouco essa é a verdade e me mantive longe das trilhas também. Com tracklog e trilha bem marcada prosseguimos a nossa caminhada, estavámos testando também um aparelho que eu tinha desenvolvido para estabilizar a câmera ( um steadycam gimbal de madeira que aprendi no SESC com o Coletivo Bodoque) então todo passo nosso olhar previa algo para filmar e editar depois. 

A chegada a cachoeira foi impressionante, adorei o tipo de rocha, o som era pertubador de mais, eu adorei estar ali. Há dois anos eu fiz essa travessia debaixo de neblina e chuva, nem sequer passei na cachoeira. Olhe aqui o relato dessa travessia em 2017.

Na foto: Samuel na Gruta a caminho da Cachoeira Véu da Noiva.

Pão de Queijo, Isabeloca e Castelo do Açu.

Estavamos gravando nosso trajeto pelo app Locus no nosso Smartphone mas não deu muito certo hehee, meu celular não tinha bussola, calibragem zero, mas pelo menos deu pra gente usar o mapa da região para nos localizar e principalmente ver os campos de altitude em nossa vista. Serra Dos Órgãos pra mim sempre foi a mais linda das travessias.

Na Pedra do Queijo, onde fizemos nosso almoço.

 O tempo comecou a fechar desde a Pedra do Queijo até a nossa chegada ao Castelo do Açu. Mas aproveitamos tudo dessa travessia dede os trechos de pedra até os charcos, tudo bem sinalizado, com as setas amarelas e os tótens também ajudou muito o trajeto debaixo da nebulosidade.

Como conseguimos ingresso para dormir no bivaque, fomos os primeiros a chegar no abrigo, instalamos nossas coisas e fomos aproveitar para tirar fotos e depois ir assistir o por do sol no Morro do Cruzeiro.

Famoso Castelo Do Açu, tivemos a chance de subir numa das Pedras, e andar por dentro do Castelo. Realmente é incrível.

Foi o maior presente do dia todo esse visual.

Vista para Petrópolis.

Vista para toda a área serrana, inclusive Três Picos ao fundo, Caledônia e mais abaixo, Dedo de Deus encoberto pelas nuvens, e o mais alto chamando atenção Sino.

Conhecemos o Jorge no Morro do Cruzeiro, ele mora em Teresópolis e estava fazendo somente a Trilha do Açu e no dia seguinte iria para Portais como nós, marcamos de sair as 04h da manhã, então dito e feito fomos para o abrigo, fizemos nossa janta: era macarronada com carne de soja ao molho, leve e prático, eu também já deixei prepardo o café do dia seguinte. 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

CHAPTER TWO -

Castelo do Açu to Portais de Hércules

Despertamos e arrumamos a nossa mochila que carregava cerca de 11kg aproximadamente, estava leve porque não carregavamos barraca, saímos com tudo nas costas já que na volta não poderíamos mesmo entrar no abrigo mais.

A caminhada até o Morro do Marco foi bem tranquila, dali em diante era mais atenção quanto ao desvio, eu e Sam estávamos o tempo todo de olho no GPS do celular. Teve um pequeno erro ao descer para trilha do Morro da Luva o GPS avisou e retornamos até achar o grande Tóton e a seta na rocha "PH".

O céu estava estrelado, mas o crepúsculo da manhã não estava para aqueles dias que daria um belo por sol. Eu estava bem anciosa porque finalmente eu iria conhecer o famoso Portal de Hércules, só tinha nós cinco na trilha, quando o relógio bateu as 6horas vimos algumas lanternas acima de nós no Morro do Marco e algumas bem distante de nós no Sino. O sol já tinha saído era 6h10 estávamos no lindo visual dos Portais, mesmo as nuvens tampando os raios do sol, o local vence qualquer perpesctiva de tão lindo que é. Meu sonho estava realizado.

foto tirada por Jorge 

Estamos todos aí nesse lindo paraíso.

Ahhhh eu não tinha contado pra vocês né? eu amo tanto esse lugar que maior parte da minha inspiração em desenho vem daí!! Eu comecei a me expressar visualmente através dos desenhos tem aproximadamente 7 meses e eu estava aguardando esse momento.

 Aproveito para convidá-los a seguir meu perfil no instagram @drilifyart

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

CHAPTER THREE -

 Portais de Hércules to Teresópolis 

Tomamos o nosso café da manhã no Portais e era hora de subir e voltar pra Petrô, mas o Jorge nos deu uma ideia maravilhosa ahah, porque não descer pra Teresópolis? Bom eu fiquei pensando na hora, já era 7h30 e se daria tempo né, afinal eu tinha tomado um remédio pra dor no joelho na noite anterior e o Samuel esbarrou as costas e um toco de árvore ali mesmo na trilha e estava com desconforto, mas ele conseguiu esses dois dias de folga e eu não tinha conhecido nada do visual da Travessia , porque dois anos atrás eu a fiz debaixo do chuva e serração; olhamos no track e realmente era um trajeto de pouca km até o Sino, o problema era aquela descida em zigui-zag até a Barragem de quase 9,7km, VAMOS foi isso que veio mente, mas sem paradas longas, olhamos nossa  comida e celular estava tudo ok. Despedimos deles na subida até voltar para trilha do Morro da Luva. Agora era só nós dois de novo, o relógio marcou 8h20 quando entramos na trilha novamente.

Elevador, Vale das Antas, Pedra da Baleia e Sino.

 

Nossa câmera havia descarregado então continuamos com as fotos no celular.

Eu quase chorei de ver isso, muito lindo mesmo, era só nossa!!!

Abastecemos nossas garrafas nesse ponto antes de subir o famoso Elevador. Chegando na placa indicativa do Elevador, nós paramos para descansar um pouco, eu tirei a bota e deitei na rocha, como era bom olhar pro céu, eu já estava feliz por estar ali. Depois desse ponto nós tinhamos que continuar a trilha, tinha uma leve subida para encontrar o ponto do famoso "mergulho" depois disso passamos o vale das antas, até chegar mais próoximo do garrafão e observar de longe a trilha que leva ao famos "cavalinho". Antes disso fizemos a pausa do almoço.

 

Pessoal subindo em direção ao Cavalinho, nossa eu não queria lembrar desse trecho, há dois anos atrás eu nem sei como passei ali haha, o Samuel me ajudou, mas dei um gritinho de medo.

 

Depois disso eu poderia descer a trilha do sino a vontade haha, nós chegamos na trilha de bifurcação do Sino, subimos para contemplar outro visu da travessia e logo descemos para o Abrigo do Sino, era hora de descer, então lá tinha uma moça, a Renata que foi só de ataque ao abrigo para ir a Pedra da Baleia, e dois rapazes que estavam fazendo a travessia também em dois dias, aliás a gente encontrava com eles poucos metros da trilha. Chegamos no final da trilha era quase perto das 16h, esperamos pela van do parque as 16h30, pedidmos ao motorista da van do parque para que tirasse uma foto de nós, já que dividmos caminhada por todo aquele trajeto, valeria muito uma foto juntos.

Era hora de partir, demos baixa na portaria e avisamos os guarda-parques o motivo de não descer pela portaria de Petrópolis, assim eles poderiam ficar cientes da nossa saída; havia muito transito na porta do Parque, chegamos na rodoviária de Teresópolis era 18h, compramos passagem pra 21h30. Procuramos um lugar pra comer, e achamos um MC Donalds, depois voltamos para o local de embarque. 

"A felicidade não está na estrada que leva a algum lugar. A felicidade é a própria estrada."

(Bob Dylan)

 

 

Dri @Drilify
Dri @Drilify

Published on 06/29/2019 23:19

Performed from 06/22/2019 to 06/23/2019

1 Participant

Samuel Gonçalves

Views

1082

4
Julia Ramos
Julia Ramos 06/30/2019 23:02

Uhul, lindo relato sucesso

Renan Cavichi
Renan Cavichi 07/04/2019 20:31

Cada dia mais profissa os registros! Demais Adriane!

Jorge Afonso
Jorge Afonso 10/28/2019 15:15

Genial seu relato.

Samuel Oscar
Samuel Oscar 11/11/2019 19:32

Sou Fãaaaaaaaaaaaa

Dri @Drilify

Dri @Drilify

São Paulo

Adventures
28
Rox
847

Adriane Ferreira 26 y, montanhista, trilheira e artista. 🎨 IG @drilifyArt

Map

396 Contacts



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Fabio Fliess, Edson Maia and 256 others support the Minimum Impact Manifest