AventureBoxExplore
Create your account
Circuito W - Torres del Paine - Chile

Circuito W - Torres del Paine - Chile

Trekking de 5 dias no maravilhoso Parque Nacional Torres del Paine no Chile

Trekking Mountaineering

Decidimos ir a Torres del Paine (TDP) meio em cima da hora. Decidimos em dezembro/18 para ir no final de março/19. Na verdade eu já tinha olhado muitas informações e preparado roteiro bem antes, mas tivemos 3 meses pra comprar tudo que precisava.

Nunca tínhamos acampado e nem feito trekkings longos, somente trilhas de um dia. Por isso decidimos alugar barraca com saco de dormir e colchonete para não carregar tanto peso e não termos o trabalho de montar/desmontar barraca. Porém levamos toda nossa comida.

Decidimos ir por El Calafate/Puerto Natales porque queríamos conhecer também a geleira Perito Moreno em Calafate.

Nosso roteiro do Circuito W (invertido):

DIA 1 - Chegada em TDP até Pudeto. Do camping Paine Grande ao camping Grey

DIA 2 - Do camping Grey ao camping Francês

DIA 3 - Do camping Francês ao Mirador Francês e até o camping Los Cuernos

DIA 4 - Do camping Los Cuernos ao camping Central

DIA 5 - Do camping Central até a Base das Torres e retorno a Puerto Natales

DIA 1 - PAINE GRANDE A GREY - 19/03/19


Saímos de Puerto Natales no ônibus das 7h. Chegando na Portaria Laguna Amarga, compramos os ingressos e voltamos para o ônibus para descer em Pudeto. No caminho para Pudeto, o ônibus parou porque o ônibus da frente estava parado. Tinha várias pessoas fora do ônibus olhando para um mesmo lugar e fotografando. Demoramos para ver que tinha um PUMA ali perto, se afastando lentamente. Nem acreditei que consegui ver um puma no primeiro dia! Era algo que eu queria muito! Mas como eu não tinha uma câmera boa a foto ficou ruim com o zoom:

Chegando em Pudeto, pegamos o catamarã pelo Lago Pehoé até Paine Grande. Do catamarã já temos a vista linda das montanhas. E muito vento.

Chegamos em Paine Grande era quase meio-dia. Comemos nosso almoço (sanduíche, como em todos os dias) na área do camping e iniciamos o trekking até o camping Grey às 12:30.

Na primeira meia hora quando iniciou uma pequena subida eu já comecei a me sentir cansada haha. A minha mochila já começou a pesar. Eu calculo que ela deveria ter uns 10kg, mas eu nunca tinha carregado esse peso antes. Passou pela minha cabeça: "o que eu estou fazendo, será que vou conseguir?".

Após cerca de 1 hora caminhando chegamos na Laguna Los Patos. Tinha bastante vento nessa parte. E a partir daí começou a ficar interessante, porque a vista ficou bonita. Fomos margeando o Lago Grey, e depois de 1h30 chegamos no Mirador Lago Grey, de onde pudemos ver a geleira Grey pela primeira vez.

Depois tinha umas descidas bem difíceis e tava muito difícil pra mim aguentar o peso da mochila. Meus ombros estavam doendo muito. Meu marido Lucas colocou algumas coisas minhas na mochila dele. Eu não via a hora de chegarmos no camping.

Chegamos no camping Grey às 17h. Foram 11 km que pra mim foram bem difíceis. O peso da mochila me destruiu.

Eu achei a estrutura do camping Grey ótima. A barraca era The North Face, e cabia as duas mochilas dentro. O colchãozinho era confortável.

Sabíamos que após o camping tinha mais um mirante da geleira Grey, mas pelo mapa iria dar talvez mais uma hora. Não fomos. Eu só queria tomar banho e me deitar.

DIA 2 - GREY A FRANCÊS - 20/03/19

Saímos do camping Grey às 9h. Eu estava com muita dor nos ombros, me enchi de Salonpas e redistribuímos as nossas coisas nas mochilas para eu conseguir carregar. Por incrível que pareça, a volta foi bem mais fácil. Às 12:45 já estávamos em Paine Grande.

Saímos de Paine Grande às 14h. Ficamos descansando bastante tempo para esperar a comida baixar.

No próximo trajeto tínhamos uma linda vista do Lago Pehoé no nosso lado direito no início da trilha e depois avançamos sempre com a montanha Paine Grande e Los Cuernos à nossa frente. Essa vista das montanhas me deixou maravilhada. Passamos pelo Lago Skottsberg, pelo camping gratuito Italiano e chegamos enfim no camping Francês às 18h. Total: 21,6 km.

Lago Skottsberg

O camping Francês é administrado pela Fantastico Sur, e eu não achei a estrura tão

boa. A barraca não era tão boa quanto a da Vertice Patagônia (tínhamos que deixar as mochilas na parte externa da barraca) e o colchonete que nos deram era praticamente dois isolantes térmicos empilhados. Horrível. E não tinha uma estrutura boa para cozinhar. Era só uma tenda pequena, em que a pia ficava um pouco longe e sem cobertura. A barraca ficava em cima de um tablado, e dava para cozinhar ali também.

DIA 3 - MIRADOR FRANCÊS - 21/03/19

Hoje iríamos fazer um bate e volta até o Mirador Francês. Então deixamos o mochilão no camping Francês e colocamos a mochila pequena. Que alívio!

Saímos às 9:10. Passamos novamente pelo camping Italiano, de onde começava a trilha. Tinha bastante subida, mas eu achei tranquilo porque não estava carregando peso.

Chegamos às 11h. Não tenho palavras para descrever tamanha beleza da vista que tínhamos! Na nossa frente a fantástica montanha Paine Grande, ao lado mais montanhas (Cuernos) e atrás o Vale Francês.


Paine Grande

Los Cuernos

Vale Francês

Poderíamos subir mais até o Mirador Britânico, pois o dia estava com um sol perfeito. Porém não sabíamos quanto tempo mais iria dar e o nível de dificuldade, e ainda tínhamos que caminhar mais até o camping Los Cuernos. Então decidimos não ir pois ja estávamos muito satisfeitos com a vista dali.

No camping Francês pegamos de volta nossas mochilas grandes e partimos para o camping Los Cuernos. No caminho a vista do maravilhoso Lago Nordenskjold. No meio do caminho, passamos por uma praia de pedras do lago. Ficamos um tempo descansando ali admirando a bela paisagem.

Descanso no Lago Nordenskjold

Chegamos no Los Cuernos às 17h15. O camping tem uma estrutura muito boa com restaurante e um refeitório quentinho, que achei um pouco pequeno pois tinha muita gente. E as barracas ficam no pé da montanha Los Cuernos. Um lugar muito bonito.

Dessa vez nosso colchonete eram 6 isolantes térmicos empilhados. Um pouco melhor, mas ainda não era confortável. Nesse camping foi a primeira vez que eu vi um rato, perto dos banheiros. Deixamos nossa comida pendurada nas árvores, como na noite anterior.

DIA 4 - LOS CUERNOS A CENTRAL - 22/03/19

Esse foi o único dia que pegamos chuva. Mas era aquela chuvinha fraquinha que não atrapalha. Colocamos nossas capas nas mochilas e partimos para o camping Central às 9:50.

A vista era praticamente a mesma do dia anterior: Lago Nordenskjold à nossa direita.

Chegamos cedo no camping Central, às 14:45. Dessa vez nos deram um colchonete de verdade, então o restante do dia era de descanso.

DIA 5 - BASE DAS TORRES - 23/03/19

Pela manhã descobrimos que os ratos atacaram as nossas mochilas. Deixamos toda a nossa comida com a recepção do camping, e mesmo assim os ratos mexeram nas mochilas, pois os sacos das nossas roupas estavam roídos. Durante a noite foi a primeira vez que nos sentimos inseguros, pois ouvimos um barulho como se alguém tivesse aberto o zíper externo da nossa barraca, bem onde estavam as mochilas. Nos banheiros havia um aviso de que o camping não se responsabilizava pelos pertences, então ficamos desconfiados de que possa ser comum o roubo ali. Essa área é a mais perto da entrada do parque, com acesso por carro, então pode ser que tenha pessoas estranhas circulando. Mas enfim, o único ataque foi o dos ratos mesmo, que não estragaram nenhuma roupa.

Choveu a noite inteira. O dia amanheceu com uma forte neblina. Iniciamos a última trilha às 8:30. A caminho do camping El Chileno, muita subida. Aos poucos o sol foi abrindo revelando uma linda paisagem.

Suando muito após longa subida

Um pouco antes do Chileno passamos pelo Vale Ascencio, onde a caminhada era ao lado do penhasco, onde lá embaixo corria o rio Ascencio. Que lugar incrível! Li muitos relatos de que nessa parte tem muito vento e as pessoas precisam andar agachadas, mas nesse dia não tinha nada de vento!

Vale Ascencio

Após passar pelo Chileno, a trilha continua pelo meio da mata, subindo, até chegar na parte final, que é a subida nas pedras. Subida muito difícil, que parece que não acaba nunca!

Chegamos na base das Torres às 12h. No início do dia eu não tinha certeza se iríamos enxergar alguma coisa por causa da neblina. Conseguimos ver as Torres, mas não com tempo limpo. Pra mim estava ótimo. Estava realizada por ter conseguido chegar até ali concluindo o objetivo.

Mirador Base das Torres


Por fim voltamos ao camping Central, compramos um lanche no refúgio e pegamos o ônibus para voltar a Puerto Natales. Foram cinco dias incríveis. Recomendo a todos amantes da aventura e natureza que conheçam o parque Torres del Paine.

Débora Aroche
Débora Aroche

Published on 05/25/2019 16:19

Performed from 03/19/2019 to 03/23/2019

Views

1632

4
Marcelo A Ferreira
Marcelo A Ferreira 05/29/2019 09:25

parabéns pela conquista. Torres del paine está na minha lista. Obrigado por compartilhar.

Débora Aroche
Débora Aroche 05/30/2019 18:55

Obrigada. Vale muito a pena!

Gustavo Paterlini
Gustavo Paterlini 07/26/2019 12:40

Parabéns Débora! Muito top, obrigado por compartilhar...

Felipe Romano
Felipe Romano 02/18/2020 11:37

Relato bem escrito e didático pra quem quer conhecer lá, valeu!