AventureBoxExplore
Create your account
Conquista 12 Cumes-Serra Ibitiraquiri - PR

Conquista 12 Cumes-Serra Ibitiraquiri - PR

✔️Camapuã; Tucum; Serro Verde; Meia Lua; Cume Pedra do Ovo; Luar; Siri; Sirizinho; Siririca; Itapiroca; Pico Paraná; Caratuva e Taipabuçu.

Camping Trekking Mountaineering

Viva essa aventura, comigo ⛰🤪

✔️Camapuã;

✔️Tucum;

✔️Serro Verde;

✔️Meia Lua;

✔️Cume Pedra do Ovo;

✔️Luar;

✔️Siri;

✔️Sirizinho;

✔️Siririca(até o paredão de pedra);

✔️Itapiroca;

✔️Pico Paraná;

✔️Caratuva;

✔️Taipabuçu.

*Saída de Guaiba/RS rumo a Chácara da Bolinha em Campina Grande do Sul, depois de muito tempo dirigindo chego ao meu destino as 2h da madrugada, durante o percurso meu amigo de trilha nestes 3 dias me informou que bateu o carro e que não poderia me acompanhar no treking programado que era pico do Camapuã e Tucum descer a bifurcação e ir ao Siririca, triste com o acontecido já comecei a pensar em um plano de contingência, pensei 🤔Camapuã e Tucum subo sozinha, vou ficar acampada lá em cima e depois desço iria abortar a ida ao Siririca devido ao grau de dificuldade da trilha para ir sozinha.

Mas como nada é por acaso nessa vida, e temos sempre que pensar que tudo vai dar certo, chegando na chácara da Bolinha encontrei um grupo de 5 Paulistas, 3 gurias e 2 guris( Jédo, Jesus, Amanda, Cris e Juli ❤️) que recém tinham chegado também, conversando com o Seu Bento dono da chácara que faz o controle dos montanhistas que chegam, falei o que tinha acontecido com meu amigo e que iria subir sozinha, ele pega e diz assim “ esse pessoal de SP que chegou agora também vai subir daqui a pouco, quem sabe você fala com eles” eu com emeu jeito louco e alegre, comecei a interagir com eles, perguntei se me aceitariam como agregada no grupo kkk e todos fizeram a loucura de me aceitar 😍 com um plano de 7 cumes bem diferente da minha ideia inicial 😱.

Fui dormir um pouco no carro pois iríamos começar o treking as 6h.

E lá vamos Nós, rumo a conquista dos 7 cumes da Serra de Ibitiraquiri

Um cume de cada vez, se emaranhando na montanha e Vivendo cada momento único nela.

1 dia-Partimos as 6:30 para o Início de nossa conquista após 3.3km de subida, trilha bem Demarcada, chegamos na bifurcação ( placas das trilhas, Com informação do grau de dificuldade e tempo de duração).

Seguimos sentido Camapuã, pensem numa subida íngreme de terra e depois somente pedra, um paredão que não acabava mais, eu quase desisti ali, nunca tinha subido quase 1km somente de pedra igual a uma rampa sem Fim, Após 2km e 3h de subindo chegamos ao cume do CAMAPUÃ 1713m.

Descansamos um pouco, curtimos a montanha, as 11h saímos rumo ao Pico Tucum, a descida não tem grau de dificuldade e a subida ao TUCUM também foi fácil, entre a descida e subida levamos 40min para percorrer 1.5 km entre os dois cumes.

Conquistamos nosso cume TUCUM, 1740m.

Após o pico do Tucum a dificuldade aumenta, trilhas menos batidas, muito vara mato. Pensem numa descida íngreme e longa, descer o Tucum sentido Serro verde. Pedras, cordas, barro, partes escorregadias que não podem ter erro pois a queda seria de muitos metros.

Finalmente terminamos a descida sem fim do Tucum, já estávamos com pouca água, continuamos a trilha por mato fechado,encontramos água, não pareceu potavel, então usamos clorin por garantia.

continuamos rumo ao SERRO VERDE mata fechada, e quase chegando ao cume a vegetacao fica maos aberta, somente com vegetação baixa, tinha muita gente acampada, então só passamos pelo SERRO VERDE , seguimos em frente, e na trilha não tem espaço para acampar, como queríamos um lugar maos calmo, continuamos a caminhar até o cume do MEIA LUA, onde tem a Pedra do Ovo, menos conhecido não tinha ninguém acampado lá, ficamos só nós, curtindo a noite e as estrelas, 12h de treking e uns 10km percorridos no primeiro dia.

Alguns estavam exaustos, mas vencemos, atingimos o objetivo pensando em grupo e uns ajudando os outros. olhamos em volta e as luzes se acendiam nas montanhas ao nosso redor, PP, Serro verde, Tucum, Camapua, muitas barracas nesses cumes.

2 dia-Nascer do Sol lindo, partimos as 7h rumo ao Siririca, descemos o LUA e subimos para o LUAR, uns 40 min subida bem tranquila.

após trilha de vara mato, muito pouco marcada, utilizamos o Wikiloc em 3 celulares para garantir a navegação e mesmo assim, cometemos alguns erros e tivemos que retornar, o sol estava forte, e alguns integrantes ainda cansados do dia anterior, no decorrer fomos conversando e mudando os plano de subir de cargueira até o Siririca ou acampar no última chance e subir de ataque, em torno de 4Km percorridos, umas 13h chegamos no ponto de água antes da subida ao Siririca, chamado de última chance.

Após uma avaliação do grupo, considerando o desgaste físico, hidratação e quantidade de pessoas acampadas no cume, resolvemos subir de ataque, e retornar ao última chance para dormir.

Aí vem o mistério desta história, comecei a subir o Siririca sem a cargueira uma subida íngreme porém sem dificuldade pois não tinha o peso da cargueira que estava com 13k mas na subida algo me incomodava, sabe aquele sexto sentido, fui caminhando e subindo, e algo me martelando na cabeça, pois desde que subi o Pico Paraná em Nov/19 e vi pela primeira aquela montanha imponente, meu desejo foi chegar ao cume e ver o por do sol ☀️, nunca foi subir para dizer, "conquistei mais um cume" e por na lista.

As montanhas tem seus mistérios e energias, temos que ser capazes de sentir tudo isso.

Então chegando de frente aquele paredão de pedra, resolvi voltar, e não atingir o cume, algo estava errado naquele momento e não era o meu momento de chegar naquele cume, todos acharam estranho, pois estava bem fisicamente e tinha total condições de subir, mas expliquei que meu objetivo junto ao cume do Siririca era Acampar nele, ver o nascer e por do sol, se isso fosse permitido a mim pelas forças da natureza 🍃.

Então retornei bem tranquila e mais feliz ao Última chance aonde iríamos acampar.

“Você deve fazer as coisas pelos motivos certos, e só você sabe quais são eles”

Entre as 17h e 18h meus amigos desceram do cume, cheios de histórias e felizes pela conquista, e eu mais ainda por eles terem dividido comigo sua conquista, em breve essa montanha estará em minhas histórias.

Jantamos e montamos a extrategia para o último dia, o retorno deles para SP e eu ainda tinha 10 dias de montanha pela frente.

3 dia - alvorada 5h para saímos às 6h, combinamos de sair sem café da manhã para agilizar, o café seria na Cachoeira do professor, pois nosso acampamento estava bem no meio da trilha de quem desce do Siririca, como não queríamos atrapalhar partimos bem cedo, após 2h de caminhada muito difícil, 1km percorrido, entre raizes, pedras, árvores caídas, sobe e desce, terreno totalmente irregular, paramos na Cachoeira para o café da manhã e um merecido banho nas suas água geladas.

depois da Cachoeira começa a parte difícil, duas subidas muito íngremes e duas descidas, com escalaminhada e uma parte de corda, mais 3h e 4Km de percurso e chegamos a bifurcação novamente, que felicidade🤩.

a partir dali a trilha era fácil e praticamente só descida em trilha bem marcada, pensa em 6 pessoas felizes quando chegamos na bifurcação, estávamos acabados, mas felizes 🥵.

Mais 2km percorrido em 1h e finalmente chegamos na chácara da Bolinha, percorremos nestes 3 dias 25km e 7 montanhas.

tinha tudo para dar errado, porém tudo deu certo, fiz 5 amigos incríveis que guardo no meu coração, aprendemos a nos ajudar, dividir experiências, tínhamos muita diferença de idade e de pensamentos( integrantes de 19 anos a 42 anos) mas por incrível todas as divergências foram sanadas, sem brigas, e só aprendi com eles, além das girias paulistas, que eu já arriscavá falar algumas no final da Trip kkk ❤️⛰🎒

Terminando está Trip, fui fazer os campos do Quiriri (estará em outro relato) e posterior fui a Ponta Grossa/PR conhecer o parque Buraco do Padre onte tem também a Fenda da Freira.

Para a conquista dos próximos cumes um amigo iria me acompanhar, peguei ele na rodoviária de Curitiba no Domingo, as 8h como ele estava cansado e não queria iniciar o treking, levei ele para conhecer a Estrada da Graciosa e almoçamos em Morretes, depois nós dirigimos a Campina Grande do Sul, na Fazenda Rio das Pedras.

4 dia - Devido a pouca água na montanha optamos por subir o Itapiroca de Ataque, pois nosso objetivo era conquistar maos 5 montanhas, e precisaríamos de muita água.

Saímos às 6h da fazenda rumo ao Itapiroca após 1h de caminhada e 3.7km passamos pelo Morro do Getúlio e logo depois chegamos a bifurcação, ate está parte uma trilha aberta bem marcada com algumas subidas, mas nada de muito difícil, seguimos no sentido do Pico Paraná/Itapiroca, depois desta parte começa a dificuldade, muitas raizes, escalaminhadas, pedras, e subidas mais íngremes,

Mais 1km e chegamos na outra placa, Pico Paraná a esquerda e Itapiroca a direita, aí o Bixo pega, subida muito íngreme mas faltanão somente uns 800m para atingir o cume, percurso total da fazenda rio das pedras ao cume levamos 2h40 e 6km.

Finalmente chegamos a pedra aonde tem a caixa cume, mas lembrando que o cume fica uns 20m mais à frente, Pico ITAPIROCA com 1825m.

Curtimos a vista do PP e Caratuva,

paramos para um lanche e depois descemos, percurso de 2h20 para descer, as 14h já estavamos de volta a fazenda.

Para as próximas montanhas iríamos com a cargueira e precisávamos arrumar tudo e principalmente calcular a água.

Como fizemos de Ataque este cume(Itapiroca) consideramos uma subida de nível médio, sempre lembrando que cada um tem seu preparo físico o que é fácil para mim, pode ser difícil para outros.

5 dia - alvorada as 5h e saímos as 6h Rumo ao Pico Paraná ponto mais Alto do Sul e Sudeste do Brasil, optamos por levar 5l de água cada um(10l ao todo) pois iríamos passar uns 3 a 4 dias na montanha, a ideia era Subir o PP, acampar, descer até o A1, pegar a trilha da conquista e subir o Caratuva, ir por cima até o Taipabuçu, acampar e fazer de ataque o Ferraria.

O dia amanheceu fechado, uma neblina intensa, mas como diz o ditado “não tá morto quem Peleia” lá fomos nós conquistar o PP, seguimos o mesmo caminho do dia anterior, porém de cargueira a minha estava com uns 17kg, subimos o morro do Getulio, Bifurcação principal, depois bifurcação PP/Itapiroca, aí o Bixo pega, muita raiz, pedras, árvores, mata fechada, depois de 3h e meia chegamos ao A1, descansamos, comemos algo e seguimos para o A2 mais 1h chegamos no A2 tempo ainda muito fechado, já estava triste e chateada e já queria ficar acampada ali mesmo.

subir até o PP e não ver nada, putz 🙄 estava chateada mesmo.

Pela segunda vez iria até o cume do PP, queria muito ver aquela vista linda novamente, meu amigo Guilherme falou "vamos descansar e seguir amanhã o nascer do sol vai ser lindo e você vai se arrepender de ficar aqui “

Após 20 min continuamos nossa subida.

(essas 3 fotos moatrás apenas um pouco do grau de dificuldade que é chegar ao Cume do Pico Parana 😱)

Mais umas 2h e chegamos ao Cume, levamos 6h30 min e continuava tudo fechado, porém estávamos acima das nuvens, estava mais quente e tinha sol, finamente Cume do PICO PARANÁ 1877m ponto mais alto do SUL e SUDESTE do BRASIL 🔝(2x💪🏻).

Continuava ventando bastante, isso era um bom sinal que no outro dia poderíamos ter uma paisagem linda.

Montamos acampamento, e sentamos para apreciar a dança das nuvens, fechando os cumes, lindo demais, nessa hora fiquei feliz de não ter acampado no A2, o melhor de tudo era estarmos sozinhos lá, não tinha ninguém no cume do PP, após jantarmos fomos durmir cedo, pois estávamos muito cansados, é uma subida que exige muito fisicamente e psicologicamente também.

A noite o vento parou e veio o presente na manhã seguinte, um lindo nascer do Sol, tempo aberto e céu limpo.

Levantamos acampamento e saímos as 7h para iniciar a descida até o A1 onde seguiríamos pela trilha da conquista para o Caratuva, 3h descendo e chegamos ao destino A1, descansamos, comemos, e começamos a subir novamente, a trilha da conquista é pouco usada, portanto tem partes bem fechadas que precisávamos empurrar os galhos com os braços para passar, e a cargueira esfregando e trancando em tudo, após 1h20 chegamos ao cume do CARATUVA 1850m.

Como era horário de almoço, tiramos o fogareiro e preparamos a refeição, o sol estava forte, como não tinha ponto de Agua em todo o trajeto, racionamos o máximo possível nossos 10lg, cuidando da nossa hidratação.

Lá pelas 14h pegamos a trilha por cima que leva ao Taipabuçu pensem numa descida sem fim e mega íngreme, como não é uma trilha muito usada, não tinha corda e nem via ferrata para ajudar, tínhamos que nos agarrar nas caratuvas, pedras, bambus e deslizar dentro de um patamar seguro, se você não tem experiência em montanha, não utilize essa trilha, uma descida sem fim, utilizamos o Wikiloc para fazer ela, nos perdemos em dois pontos e tivemos que voltar, pois não tem marcação com fitas durante a descida, somente depois que termina a descida, que começa a identificação com fitas, levamos 2h30min para percorrer 1km entre um cume e outro, foi a pior trilha de todo o percurso.

Chegamos as 16h no Cume do TAIPA (TAIPABUÇU) 1732m.

(Vista para o PP)

Bem cansados e lanhados pelo mato, mas sempre é recompensador 🥰no cume onde fica a caixa não tem espaço para acampar, então ficamos no cume ao lado, 15 min de distância.

Subimos para ver o Por do sol, tínhamos uma vista incrível para o PP, Caratuva, Ferraria, morro do Getúlio e outras montanhas lindas.

Final do por do Sol descemos para jantar e fazer nosso levantamento diário de água, comida, condicionamento físico, e planejar o próximo dia, nosso objetivo seria fazer o Cume do Ferraria de ataque, retornar ao Taipa e no outro dia descer rumo a fazenda rio das pedras.

Porém após a janta chegamos a uma conclusão, não teríamos água suficiente para ir até o Ferraria, jantar e descer, então tivemos que abortar a missão de subir ao Ferraria.

Uma noite calma, sem vento e um silêncio apenas abalado por um ratinho da montanha que estava na volta da barraca, guardamos bem as comidas que tínhamos nas cargueiras e tudo ficou dentro da barraca, para não correr o risco de ser roído a noite.

Um pouco triste por não ir ao Ferraria, mas não adianta, temos que conhecer nossos limites e nossa vida sempre em primeiro lugar, a montanha vai estar lá me esperando ⛰ para uma próxima oportunidade.

Acordamos às 6h e saímos às 7 a trilha de retorno, foi bem mais fácil do que a que usamos descendo pelo Caratuva, usamos a trilha principal que sai na bifurcação principal, depois de quase 2km e umas 3h de descida, chegamos a fazenda Rio das pedras.

Esse foi o relato dos 12 cumes conquistados em 7 dias, experiência única, superei minhas forças, dores, cansaço, tive vontade de desistir, quando se faz uma jornada exaustiva como essa, nosso psicológico é fundamental, estou muito feliz com minhas conquistas, e espero que todos que lerem este relato, consigam se sentir caminhando nestas montanhas comigo ⛰

obrigado aos amigos que me acompanharam nessa aventura, Jeferson, Amanda, Matheus, Cris, Juli, Guilherme💪🏻🥰

.

Mochila cargueira Curtlo 50+10

Bota Vento

@marina_ggabi (Instagram)

.

💪🏻🎒🥾⛰😍

Marina Brum
Marina Brum

Published on 09/27/2020 09:50

Performed from 09/05/2020 to 09/17/2020

Views

274

7
Alexandre Janner
Alexandre Janner 09/27/2020 10:09

Parabéns pelas conquistas! 👏👏👏

Blog Outdoor
Blog Outdoor 09/27/2020 14:48

Sensacional Marina! Parabéns pela conquista!

Edson Maia
Edson Maia 09/29/2020 08:07

Muito massa o relato! Parabéns pela conquista!

Marina Brum
Marina Brum 09/29/2020 18:34

Valeu pessoal 😊

Bruno Negreiros
Bruno Negreiros 09/30/2020 15:54

Marina, o Paraná é um sonho antigo. O seu relato me inspirou...

Marina Brum
Marina Brum 09/30/2020 15:55

Valeu Bruno, venha te passo todas as informações que precisar, estou para o Rio dia 15 fazer 2 escaladas

Angelique J. Oliveira
Angelique J. Oliveira 10/01/2020 14:14

Marina Parabéns eu fiz Abril do ano passado com o ATMA que está no adesivo... lá são 7 mas fizemos 9, foi intenso! Parabéns pelos 12, pra mim foi Fantástica a experiência! bons ventos da montanha pra você!!