AventureBoxExplore
Create your account
A tríade do carnaval capixaba | 5 Pontões | Itaguaçu/ES

A tríade do carnaval capixaba | 5 Pontões | Itaguaçu/ES

Relato sobre excursão de escalada e caminhada para a região dos 5 Pontões, realizada em fevereiro de 2020.

Mountaineering Hiking Climb

Neste relato conto um pouco sobre o carnaval de 2020. O estado tem um repertório de montanhas tão interessante que nos permite voltar pra lá com frequência sem repetir nenhuma!
E você, já caminhou ou escalou nas montanhas capixabas?

Relato publicado no Boletim do Centro Excursionista Brasileiro, edição Março/Abril de 2020. Disponível em www.ceb.org.br.

Siga o @centroexcursionistrabrasileiro


No programa de TV poderíamos pedir uma música, no jargão esportivo faríamos um hat-trick, no baralho uma trinca e na loteria um terno. Nossa tríade é composta por Pancas (2018), Castelo (2019) e, nessa nova investida de 2020, a região dos Cinco Pontões.

Talvez nossa volta tenha sido motivada pela localização. O estado do Espírito Santo fica próximo ao Rio de Janeiro, facilitando o acesso por via terrestre. Ainda assim nossa viagem foi longa. Precisamos de mais de doze horas de carro para percorrer os quase 700 km até a região central espírito-santense, nos municípios de Laranja da Terra e Itaguaçu. Localizada na porção direita da bacia do Rio Doce, a região fica no interior do estado, próxima à divisa com Minas Gerais. É terra de muita plantação de eucalipto e café.

Talvez nossa volta tenha sido motivada pela paisagem. As montanhas capixabas são verdadeiros parques de diversões para escaladores e caminhantes, como se fossem Babilônias e Pães de Açúcar espalhados por centenas de quilômetros estado adentro. Os ditos pontões são, de maneira geral, relevos residuais caracterizados como inselbergs. Tratam-se de afloramentos rochosos constituídos principalmente por granitos e gnaisses e que, ao longo do tempo, resistiram mais aos processos erosivos do que seu entorno. É difícil escolher qual formação é a mais bonita e impressionante.

Os Cinco (apesar de parecerem três, ou seis, ou doze, dependendo de onde você os vê) Pontões rasgam a paisagem com sua formação bastante proeminente. Para quem desconhece, fica o alerta: não é só pela Pedra Azul e pelo MoNa dos Pontões Capixabas que a beleza cênica do Espírito Santo impressiona.

Uma verdadeira obra de arte. Foto: Fernanda May

A estupenda formação traz também algumas histórias interessantes. Índios botocudos, padres jesuítas, tesouro e até cacho de banana de ouro enterrado, acredita? Eu recomendo que você vá até lá descobrir tudo isso pessoalmente, mas confesso que, se tivesse encontrado algo, não registraria nesse relato.

Talvez nossa volta tenha sido motivada pelas pessoas e sua hospitalidade. Ficamos hospedados na Pousada Recanto da Pedra, aos pés dos Cinco Pontões. Tal como nas vezes anteriores, fomos bem recebidos pelo povo capixaba. Antônio, Luzia e Jhonny nos acolheram muito bem em suas dependências, cuidando com carinho do nosso café da manhã, refeições e até mesmo da cerveja gelada. Ocupamos os dois abrigos e algumas vagas do camping.

Nos Três Pontões de Afonso Cláudio, conhecemos a estrutura do Cantinho dos Três Pontões e fomos igualmente bem recebidos pelo Itamar. Ainda que você não se hospede por lá, vale muito a pena programar um almoço e comprar o queijo de fabricação própria, pois são realmente deliciosos.

Incrível visual dos 3 Pontões de Afonso Claudio. Foto: Glenio Silva

Falando em almoço, talvez nossa volta tenha sido motivada pela culinária local. A comida simples e caseira, que muito lembra a comida mineira, e o café arábica, cultivado em grande escala no estado, fizeram parte da nossa rotina enquanto estivemos na região. Apreciamos ainda os pães e roscas produzidos pela Associação Camponesa, que vende também o bom café da vizinhança.

Talvez nossa volta tenha sido motivada pelas escaladas e caminhadas. Com o guia Escalada Capixaba (Baldin, 2016) em mãos e os croquis achados na internet (Naoki Arima e ACE), nos aventuramos por diferentes oito vias de escalada. Nos Cinco Pontões entramos na Ponta da Onda (Laços de Família, 4o Vsup A0/VI E1 D1 90 m), a Ponta do Mirante (Quebrando Paradigmas, 4o IV E2 D1 70 m), o Pitoco do Alemão (Via da Conquista, IV 10 m), o Pontão 17 de Julho (Via da Conquista, 4o V E3 60 m) e o Pontão Gêmeo (Via da Conquista, 5o VIsup E3 30 m). No distrito de Itaimbé, em Itaguaçu, entramos na Pedra de Itaimbé (AlmaCabra, 4o IV E2 D1 280 m e PorPorco, 3o IIIsup E2 D1 280 m) e na Pedra São Jorge (Zé Arruela, 3o IV E3 D1 185 m).

No final da via AlmaCabra. Não vimos a alma, mas vimos os rastros.

As caminhadas foram também muito proveitosas. Os caminhantes fizeram o cume do Pontão Maior, acessível pela via ferrata, o circuito dos Três Pontões de Afonso Cláudio, a Pedra Paulista (com direito à exploração e vara mato) e o circuito 360º dos Cinco Pontões. Somente os que foram nessa última atividade tiveram o privilégio de ver o maciço dos Cinco Pontões de suas vistas mais belas.

Cenário típico da região. Foto: Glenio Silva

Talvez nossa volta tenha sido motivada pelas companhias. O grupo era composto por dezessete participantes de diferentes gerações do CEB, além do nosso agregado de sempre do CERJ. Alguns participantes só escalaram, outros só caminharam e houve também aqueles que atacaram para os dois lados. A atividade foi conduzida pelos guias Ricardo Barros, Francisco Caetano e Fernanda May, contando com meu apoio como monitor. Importante registrar que, de todos os presentes, sete tiveram o privilégio de compartilhar a completa tríade carnavalesca (incluindo nosso amigo cara de pau do CERJ, que não perde a oportunidade de participar das atividades do CEB).

No final das contas, repetir o carnaval em terras capixabas foi motivado mesmo pela soma disso tudo. Obrigado Espírito Santo, a gente se vê no próximo carnaval.

Rafael Damiati
Rafael Damiati

Published on 10/24/2020 17:27

Performed from 02/22/2020 to 02/25/2020

2 Participants

Maria Fernanda May Gabriel Lousada

Views

254

7
Fabio Fliess
Fabio Fliess 10/24/2020 17:39

Mas é muito pontão! Hahaha Irado o relato e a região Damiati. Parabéns.

Rafael Damiati
Rafael Damiati 10/24/2020 17:49

Hahahaha Valeu Fabio, grande abraço!

Maria Fernanda May
Maria Fernanda May 10/25/2020 18:22

Muito bom!

Emerson Moizes
Emerson Moizes 10/25/2020 21:36

Muito massa! Parabéns pelo relato!

Bruno Negreiros
Bruno Negreiros 10/26/2020 10:01

Mais um grande relato, irmão. Espero poder escalar em terras capixabas um dia!

André Leopoldino (Dino)
André Leopoldino (Dino) 11/03/2020 09:51

Muito bacana o relato, Damiati!

Rafael Damiati
Rafael Damiati 11/03/2020 12:58

Obrigado Fe, Emerson, Bruno e Dino. Espero encontrar vocês nas montanhas em breve. 😊