AventureBoxExplore
Create your account
Trilha Pico Caratuva, Antonina | Campina Grande do Sul - PR

Trilha Pico Caratuva, Antonina | Campina Grande do Sul - PR

Trekking de dois dias com acampamento no Pico Caratuva, 2ª montanha mais alta do sul do Brasil e uma das vistas mais belas do Pico Paraná.

Trekking Mountaineering Camping

Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro!
- Fernando Sabino

A subida ao cume do Pico Itapiroca proporcionou uma vista do Pico Caratuva que mexeu profundamente com a nossa curiosidade. Algumas rápidas pesquisas na internet já mostraram que é de lá que se tem uma das melhores vistas do Pico Paraná.

Nos encontramos no sábado de manhã, bem cedinho na rodoferroviária de Curitiba. Saímos de lá e fomos tomar um café da manhã reforçado, pois Helô e Alberto haviam viajado a noite inteira e todos tinham, que estar com as baterias recarregadas rsrs

De lá seguimos até a Fazenda Pico Paraná. O acesso se dá pela BR 116, sentido São Paulo. Nas proximidades do km 47, há uma entrada na cabeceira da Ponte do Rio Tucum. Ali começa um trecho de 7km de estrada de terra, onde, seguindo as placas, chega-se à Fazenda Pico Paraná. Na fazenda, há estrutura com estacionamento, banheiro e área para camping. A taxa de entrada por pessoa é de R$ 10,00, e todos preenchem uma ficha de controle de entrada.

Começamos a trilha por volta das 11h da manhã, após uma boa rodada de mate (claro!) e em um dia aberto e ensolarado. O início da trilha é em mata fechada, e bem íngreme. Logo em seguida a vegetação fica mais aberta, nas proximidades do Morro do Getúlio, por um trecho com ascensão relativamente menor. Logo após o Morro do Getúlio, há uma bifurcação que separa os caminhos que levam ao Pico Paraná e ao Pico Caratuva. Como a trilha é bem sinalizada com placas e marcações, não há como se perder. Aqui novamente a trilha é feita pelo meio da mata. Um pouco adiante da bifurcação, fica um pequeno rio, onde paramos abastecer a água.

Uma característica dessa parte da trilha foram os bambus e galhos que ficaram o tempo todo enroscando nas mochilas cargueiras rsrsrs Além disso, há muitos trechos bastante íngremes, onde é preciso escalar pedras se apoiando em raízes, galhos e eventualmente em cordas disponíveis no local. Essas subidas cuja inclinação por si só já se mostrou desafiadora, somadas ao peso das cargueiras e à superfície escorregadia devido à umidade, foram grandes desafios nessa trilha.

Após subir por algum tempo dentro da mata, a vegetação abre novamente indicando que o cume está próximo. Aqui a paisagem é composta por caratuvas (planta semelhante à um bambu de pequeno porte, que dá nome ao cume) e muitas pedras. No cume do Pico Caratuva, há antenas de radioamadorismo, onde logo embaixo encontra-se o livro do cume (que nos divertimos lendo o que outras pessoas escreveram haha). Procuramos um lugar para acampar, tarefa que não foi tão difícil, visto que existem várias áreas para isso. No total foram quase 5h de trilha, em 10km de extensão e 950m de ascensão aproximadamente.

Barracas armadas, pegamos o nosso chimarrão fiel e companheiro e fomos ao lado oposto da montanha em relação ao acampamento assistir ao por do sol. Sentamos em uma pedra e ficamos admirando a paisagem, de onde é possível ver a represa do Rio Capivari, à direta o Pico Taipa (ou Taipabuçu) e à esquerda o morro Itapiroca. Lindo, indescritível e emocionante. Todo o esforço valeu a pena!

Voltamos ao acampamento, onde descansamos um pouco, fizemos uma janta embaixo de uma chuva fina e insistente que começou a cair. As barracas foram armadas em cima de um charco, onde a vegetação é praticamente uma esponja. Com a chuva constante que caiu durante a noite, tudo ficou molhado, era impossível sair da barraca de chinelo sem se sujar/molhar. Após uma noite de sono embalado pelo barulho da chuva caindo na barraca e um tremendo frio que fez durante a madrugada, eis que acordamos cedinho para assistir o nascer do sol.

Inicialmente estava completamente fechado por nuvens, onde tudo o que era possível ver era uma imensidão branca. Mas um tempo depois, o tempo foi se abrindo e pudemos assistir o nascer do sol, de frente para o Pico Paraná. Deixo aqui, uma imagem sobre esse nascer do sol, porque com palavras é difícil explicar. Talvez nem a imagem represente muito bem o sentimento que esse momento trouxe, mas a palavra gratidão com certeza se fez presente nas nossas mentes. Enquanto isso, somente contemplávamos como meros espectadores o espetáculo protagonizado pela natureza.

Tomamos um café da manhã coletivo, com delicioso pão feito pelo Alberto e começamos a levantar acampamento. Tiramos mais algumas fotos, nos despedimos dos amigos Estela e Marcos, que encontramos no cume e iniciamos a descida. Descer uma trilha íngreme, embora exija menos esforço físico, requer tanta atenção e cuidado quanto subir. Por isso, fomos tranquilos e fazendo pequenas pausas. Chegamos de volta à fazenda, felizes e realizados por essa aventura, pela beleza do lugar e pela boa companhia. Banhos tomados, chimarrão compartilhado, assim seguimos de volta à Curitiba famintos por um bom churrasco rsrsrsrs.

Fica aí a dica pessoal! Esta é uma trilha que pode ser feita tranquilamente em um dia, mas acampar valeu muito a pena pois conseguimos aproveitar por mais tempo e com mais qualidade a paisagem que esse lugar oferece. Agora, fica a curiosidade e a vontade de conhecer o Pico Paraná que vimos tão de perto. Mas isso, fica para os próximos capítulos haha.

Ana Retore
Ana Retore

Published on 04/20/2018 15:10

Performed from 04/07/2018 to 04/08/2018

3 Participants

Renan Cavichi Alberto Farber Helô Dewes

Views

11538

16
Renan Cavichi
Renan Cavichi 07/03/2018 10:37

Oi Estela, vamos fazer Tucum e Camapuã dia 14-15 Jul! Bora?

Estela Mizukawa
Estela Mizukawa 07/12/2018 10:06

Oi Renan, desculpa mas vi só agora sua msg. Nesse fim de semana infelizmente não vai rolar acampar. Uma pena pq o clima vai colaborar muito pro visual! Boa trilha pra vocês!

Renan Cavichi
Renan Cavichi 07/12/2018 10:09

Olá Estela, que pena! Espero ter sorte com o visual! Obrigado! :)

Junior (Jota Jota)
Junior (Jota Jota) 09/13/2018 15:18

Show de bola! Ainda quero conhecer esse pico!

Ana Retore
Ana Retore 09/28/2018 22:45

Olá Marlene! Já deixei meu Rox! Boa sorte 😘🤞🏻

Bruno Aventura
Bruno Aventura 10/18/2018 12:00

Que loco...

Vanessa
Vanessa 11/15/2019 07:29

Adorei, você descreve tão bem que parece que fui junto!

Fernando Santos dos Anjos
Fernando Santos dos Anjos 02/13/2020 00:54

Parabéns pelas fotos

Ana Retore

Ana Retore

Videira-SC Oswego-NY Curitiba-PR

Rox
1589

Porque, no futuro, vou mostrar esse perfil para os meus netos 😊

Adventures Map
www.anaretore.com

2 Posts


3632 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Fabio Fliess, Renan Cavichi and 396 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Peter Tofte, Bruna Fávaro and 150 others support the Together page.