AventureBoxExplore
Create your account
Voyage sur la route|França e Suíça

Voyage sur la route|França e Suíça

Uma Road Trip pela França e Suíça após o Paris-Brest-Paris 2019

Camping Road Trip

Durante os preparativos para o Paris-Brest-Paris 2019, por estar concentrado em treinos, classificação e preparativos do PBP, fiquei um pouco alheio ao resto da organização da viagem, sabia que teríamos alguns dias após a prova para curtir na França, a Suelen tomou a frente nessa organização e quando me apresentou o plano, tínhamos uma Road Trip ou melhor uma Voyage sur la route, toda planejada com rota e locais a serem visitados e isso ainda incluia um pedacinho da Suíça...chic né?! Antes de continuar a ler esse relato eu peço que leia o relato do PBP 2019 no link a cima para entender em que ponto começa esse relato.

Então quando reencontrei a Su e o Theo no hotel, ainda tínhamos dois dias em Dourdan antes de seguir viagem, saímos do Brasil com um carro reservado para fazer essa road trip, resumindo um pouco a história nos mudamos de Dourdan para Paris e depois de 3 dias lá saímos para nossa tão esperada road trip, digo "tão esperada" por que os 3 dias em Paris não estavam previstos o que atrasou nossos planos e em alguns momentos achamos que a viagem de carro nem iria acontecer, outra consequência desses dias de atraso foi a alteração do nosso roteiro, tivemos que deixar de lado um dos destinos planejados.

Quando planejamos essa viagem a Su me contou de seu sonho de ver o Mont Blanc, na verdade de fazer o Tour do Mont Blanc, mas com o tempo percebemos que o trekking longo não caberia em nossa viagem com o Theo, apesar de querer leva-lo para participar de todas nossas aventuras, nosso destino era certo, mesmo sem poder realizar o Tour iriamos para Chamonix vê-lo de pertinho. Então no dia 26/08/2019 colocamos tudo no carro e pegamos a estrada com destino a Chamonoix.

Saímos tarde de Paris, andamos quase 400km até Macon na região da Borgonha, a viagem foi muito tranquila e chegamos em Macon no fim da tarde mudamos nosso plano original que era ir para o Camping municipal ao oposto disso fomos para o Ibis porque julgamos ser mais conveniente naquele momento, no fim das contas o Ibis foi um achado, pois precisamos lavar roupas e logo atrás do hotel tinha uma lavanderia automática, deixamos nossas roupas lavando e fomos fazer um passeio na Leroy-Merlin ali ao lado para passar o tempo...rs no dia seguinte, nossos planos era fazer algum passeio em Macon e fazer algumas compras antes de seguir viagem. No centro de informações turisticas descobrimos que não seria possível ir visitar uma vinícola da região naquele dia, acabamos comprando duas garrafas de vinho ali mesmo, além de uma cerveja artesanal, uma mostarda de Dijon (outra cidade da Borgonha famosa pela mostarda) e outras lembrancinhas, fizemos uma caminhada pelo centro de Macon e passamos na Decathlon e na Sports 2000 antes de seguir para Chamonix.

A paisagem foi se modificando e os extensos campos começaram a dar lugar as montanhas a medida que nos aproximávamos dos Alpes, mas também a noite começou a cair e com ela veio a chuva, chegamos em Chamonix já estava escuro, chegamos no Camping Les Marmottes, onde tínhamos uma reserva cancelada... explico, devíamos ter chego em Chamonix uns três dias antes, mas por causa do atraso o camping cancelou nossa reserva e nos enviou um e-mail... mesmo assim fui até lá conversar com a dona no camping enquanto a Su e o Theo ficaram no carro por causa da chuva, ela disse que podíamos ficar mas não garantia nossa vaga para o dia seguinte porque o camping estava cheio, entramos no camping e mesmo com chuva montei a barraca o mais rápido possível e apenas coloquei os isolantes térmicos e os sacos de dormir para que a Su e o Theo pudessem entra na barraca e assim terminamos o dia pensando apenas se conseguiríamos ficar ali nos próximos dias ou teríamos que ir procurar outro lugar.

No dia seguinte, com calma, conversamos com a dona do camping, ela nos explicou o funcionamento do Les Marmottes, também conseguimos ficar lá pelos dias de nossa visita a região, para nos locomover era mais fácil andar de trem, hospedagem nos dá direito de andar gratuitamente de trem pela região. Nos dias em que ficamos em Chamonix estava acontecendo o UTMB (Ultra Trail Mont Blanc) evento que a Su queria muito ver, o clima da prova tomava conta da cidade, havia uma feirinha de artigos esportivos no centro que fazia parte da estrutura da prova, aproveitamos para comprar novas lanternas de cabeça, nós dois precisamos de novos equipamentos...rs, também fomos a decathlon onde compramos mais algumas pequenas coisas para usar nesses dias, incluindo um pequeno cartucho de gás para nosso fogareiro, com a prova rolando enquanto estavamos hora ou outra interrompiamos nosso passeio para aplaudir os corredores que passavam pelo centro da vila, nas andanças pela cidade descobrimos um ótimo lugar para almoçar o Moo Bar com ótimas opções para o almoço que muda a cada dia, um buffet de salada, queijos e pães, acho que foi um dos poucos lugares onde realmente fomos bem atendidos durante toda a viagem.

Estávamos incapacitados para fazer um trekking como gostaríamos, mas queríamos subir em alguma montanha da região, decidimos subir de teleférico na Aiguille du Midi que tem 3.842m de altitude, compramos os ingressos e já na fila pra entrar uma funcionária nos abordou e disse que o Theo não podia subir, somente crianças a partir de 3 anos são permitidas, devido a alta velocidade de ascensão os bebês podem sofrer com a brusca diferença de pressão...nesse dia conseguimos o reembolso dos ingressos, tiramos o resto do dia caminhando pela vila novamente mas planejamos nos revezar para subir no dia seguinte. Acordamos cedo, e depois de tomar café da manhã eu fui para o teleférico enquanto a Su ficou no camping com o Theo, chegando na bilheteria do teleférico comprei o passe para o dia todo, assim economizamos um pouco, para subir a Aiguille du Midi são dois teleféricos e no final um elevador, eu visitei os mirantes mas não cheguei a subir o ultimo elevador que passa por dentro da rocha escavada, pois a fila estava um pouco grande, mesmo assim o passeio valeu a pena é possível avistar logo ao lado o Mont Blanc, também ter um panorama da região, ainda lá em cima é possível ver as trilhas que fazer parte do Tour do Mont Blanc e também avistar um dos refúgios, fica aqui a coceirinha para voltar lá daqui alguns anos quando o Theo puder nos acompanhar em uma caminhada como essa. De volta ao camping, eu fiquei o período da tarde cuidando do Theo enquanto ela foi realizar o mesmo passeio, já no fim do dia quando retornou fiquei sabendo que conseguiu subir o elevador até o ponto mais algo do Aiguille du Midi.

Nossos dias em Chamonix estava chegando ao fim, e teríamos que voltar para Paris, na verdade para um hotel próximo ao Aeroporto Chales de Gaulle, mas pelo atraso que tivemos no inicio da viagem de carro abortamos o plano de seguir até Zermatt na Suíça, mesmo assim não abortamos os planos de passar por Gruyere também na Suíça, a viagem de carro entre os dois países é muito tranquila, embora eu tenha estranhado o fato da fronteia ser totalmente aberta sem a necessidade de parar em nenhum posto para carimbar os passaportes. Em Gruyere planejamos visitar o castelo e se possível algum produtor de queijo, logo no caminho para o castelo encontramos a fábrica de queijo La Maison du Gruyère, que tinha um restaurante logo ao lado, resolvemos parar e ver. Na entrada encontramos um grupo de brasileiros um deles tinha um rosto familiar para mim, perguntei se ele tinha vindo para o Paris-Brest-Paris e ele confirmou e agora estava aproveitando para passear com a família.

Fizemos o tour pela fábrica escutando toda a explicação no audio guide em português de Portugal o que estava atrapalhando um pouco, após o tour resolvemos almoçar por ali, todos os pratos era feitos com queijo da fábrica eu pedi um risoto e a Suelen um fondue, mas no fim dividimos os dois pratos que estavam muito gostosos, o único ponto negativo nessa visita foi o serviço do restaurante que deixou a desejar, após almoçar seguimos para o castelo.

O castelo de Gruyere fica no alto de uma colina e é rodeado por uma vila medieval que hoje é repleta de lojas e restaurantes para servir aos turistas, entramos no castelo que não é muito grande, entre um aposento e outro descobrimos que alguns são usados para exposições de arte, ao sair resolvemos passar em um pequeno museu que vimos logo quando chegamos, um museu do Tibet, no início achamos estranho ter o um museu Tibetano no interior da Suíça, mas logo descobrimos que seu dono com quem conversamos um pouco na entrada, adorava o Tibet e já havia feito algumas viagens para a região, proprietário do imóvel em Gruyere ao lado do castelo decidiu transformá-lo em um museu dedicado ao Tibet, nesse dia haveria uma apresentação com músicos tibetanos, aproveitamos para pegar um Chai na entrada e assistimos um pouco da apresentação, nossa vontade era ficar até o fim do concerto, mas nosso tempo era curto, nesse mesmo dia ainda deveríamos andar quase 600km para chegar no hotel.

Nossa viagem de retorno foi tranquila, mas poderia ter sido mais rápida, após contornar parte do lago Léman da divisa entre França e Suíça, o gps indicou uma estrada que seguia para o norte, seguindo essa estrada logo atravessamos a fronteira (mais uma vez totalmente aberta, sem a necessidade de parar para carimbar os passaportes) e seguimos por mais ou menos 150km em pequenas estradas municipais de cidade em cidade até chegar em uma grande rodovia, nesse momento nosso único receio era o sol se por antes de chegar em alguma estrada principal. Fizemos apenas uma parada no caminho da volta para abastecer e comer, chegamos bem tarde no hotel, não lembro o horário mas acho que já era madrugada, logo na chegada constatamos que era o pior hotel que nos hospedamos em toda viagem, se bobear em toda nossa vida.

Nossa road trip havia chego ao fim, mas ainda tínhamos dois dias antes de pegar o voo de volta para o Brasil, nesses dias organizamos nossas coisas para a viagem de volta, visitamos a Torre Eiffel, o Arco do Triunfo e até conseguimos um tempinho para ir a Disney que estava totalmente fora dos nossos planos de viagem.

André Lima
André Lima

Published on 10/24/2019 14:25

Performed from 08/23/2019 to 09/04/2019

1 Participant

Suelen Nishimuta

Views

988

2
Suelen Nishimuta
Suelen Nishimuta 04/22/2020 23:09

Mais alguns anos e iremos fazer o tour du Mont Blanc. De preferência sem perrengues! Rs

André Lima
André Lima 04/22/2020 23:23

Com certeza vamos voltar para o fazer o tour du Mont Blanc, sobre os perrengues dessa viagem acho que dá pra fazer mais um post só sobre eles...rsrs

André Lima

André Lima

São Paulo - SP

Rox
996

Ciclista, viajante e pai do Theo :) Autor do antigo blog PedalandoBicicletas e sempre planejando a próxima aventura!!! Instagram @andr.slima

Adventures Map
linktr.ee/andre.lima

1 Posts


443 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Bruna Fávaro, Bruno Negreiros and 405 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Fabio Fliess, Peter Tofte and 156 others support the Together page.