AventureBoxExplore
Create your account
Travessia das 6 Praias - Ilhabela/SP

Travessia das 6 Praias - Ilhabela/SP

Um guia completo da Travessia das 6 praias em Ilhabela/SP, uma travessia que liga duas das mais famosas praias da ilha.

Trekking Waterfall Camping

Provavelmente você conhece ou já ouviu falar da trilha do Bonete em Ilhabela/SP, pois então, a travessia das 6 praias é a continuação dela e passa pelas praias do Bonete, Enchovas, Indaiauba, Vermelha, Mansa e chega na famosa praia dos Castelhanos.

Características:

Dificuldade: Pesada/ nível 6 – Entenda

Distância: 27,6 km

Circular: Não

Parque Estadual de Ilhabela

A travessia esta localizada dentro do Parque Estadual de Ilhabela, o parque é melhor definido como um parque-arquipélago, com uma área de 27 mil hectares. Fundado em 1977, o Parque é composto por um total de 12 ilhas, sendo a principal a Ilha de São Sebastião (mais conhecida como Ilhabela), 3 ilhotes, 3 lajes e 1 parcel. Ele abriga ecossistemas como a Mata Atlântica, a restinga e os manguezais. Possui um ecossistema rico com centenas de espécies de mamíferos, répteis e aves, muitas delas em extinção, como o rato cururuá.

Não é necessário solicitar autorização para efetuar a travessia, só não se esqueça que estará dentro de um parque estadual e se comporte de maneira adequada

O que tem por lá?

Os atrativos dessa travessia misturam beleza natural e cultural, isso porque além de caminhar por dentro da mata atlântica, com inúmeros mirantes e muita água, a travessia também passa por comunidades caiçaras que ainda mantém tradições antigas como por exemplo a construção das Canoas de Voga que são feitas a partir de um único tronco de árvore.

Os principais atrativos além das belas praias e mirantes são:

  • Cachoeira da Laje
  • Rio Areado
  • Cachoeira do Saquinho
  • Poço Fundo
  • Capela Santa Verônica
  • Cachoeirinha de Indaiauba
  • Mirante do Coração

Precisa de guia?

A trilha é bem demarcada até a praia de Indaiauba, dali para frente ela entra na mata e como esse trecho é pouco utilizado, alguns pedaços são bem fechados, com árvores grandes caídas que por vezes escondem a continuação da trilha, então não é uma travessia indicada para quem não tem experiência.

Agora se você tem preparo físico, esta afim de fazer, mas não tem experiência e não quer correr nenhum risco, existem essas agencias que oferecem o trajeto:

Quando ir?

Essa é uma decisão chata, o verão seria o ideal para aproveitar as praias, rios e cachoeiras da travessia devido ao calor, porém, é a época com mais possibilidade de chuvas fortes e acredite, o trecho após Indaiauba com chuva não é nada legal, além disso é a época em que o litoral esta lotado de turistas. Então se fosse para indicar a melhor época para realizar a travessia eu diria no inverno, seguindo a temporada de montanha no Brasil que vai de abril a outubro quando chove menos.

Como chegar e voltar?

Ilhabela está localizada no eixo São Paulo – Rio, próxima de cidades como Ubatuba, Paraty, Angra dos Reis e Ilha Grande. Distante 210 quilômetros da capital paulista, e a 440 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro. Há várias maneiras de chegar à ilha.

Saindo da capital paulista, você tem a opção de pegar as rodovias Ayrton Senna / Carvalho Pinto (SP 70) ou Presidente Dutra (BR 116) no sentido norte. Na altura da cidade de São José dos Campos, deverá utilizar a saída para a Rodovia dos Tamoios (SP 99), no sentido Litoral (Caraguatatuba e São Sebastião). Essa via, dá acesso à Rodovia Rio-Santos (BR 101), em Caraguatatuba. seguir sentido sul, em direção a São Sebastião, onde há a balsa para Ilhabela.

A partir do Rio de Janeiro, outro caminho indicado é pela Rodovia Rio-Santos, com direito as paradas nas belas cidades do litoral sul fluminense e litoral norte paulista.

O acesso à Ilhabela é feito por balsa para pedestres, automóveis e ônibus. O tempo médio de travessia é de 15 minutos e as saídas acontecem a cada 30 minutos, das 06:00h às 24:00h, após este horário de uma em uma hora até as 06:00h do dia seguinte.

Para quem não vem com carro próprio, o ideal é pegar um ônibus até São Sebastião e atravessar a balsa a pé.

A travessia se inicia no lado sul da ilha, não indico ir de carro até o inicio dela já que no final você terá que dar um jeito de ir busca-lo. Pegue o ônibus Borrifos, o ponto final dele fica a 1 km do inicio da travessia.

O início dela é tranquilo de chegar, agora para voltar já complica um pouco mais. Ela termina na praia de Castelhanos, uma praia do lado leste da Ilha onde só é possível chegar de barco, por trilha ou por uma estrada de 20 km que corta a ilha no sentido Oeste a Leste que só pode ser percorrida por veículos 4×4, motos, bicicletas e claro a pé. Sendo assim ou você contrata um resgate de barco ou de veículo 4×4 ou terá que caminhar mais 22 km na estrada até a portaria e mais 2 km até o ponto de ônibus, já fiz esse caminho a pé e não tem graça alguma, considere contratar um dos jipeiros que já leva o pessoal para conhecer a praia de Castelhanos para fazer seu resgate.

Camping selvagem, camping privado ou pousada?

Aqui vale um aviso importante, é proibido acampar em qualquer praia do estado de São Paulo, além disso Ilhabela também possui lei municipal que proíbe essa prática, então camping selvagem esta descartado.

Você pode optar por fazer essa travessia em 1 dia sem aproveitar muita coisa, em 2 dias ou em 3 dias, essa última opção seria a melhor para curtir todos os detalhes.

Nas opções com pernoite, eles vão ocorrer na praia do Bonete e/ou na Praia de Castelhanos, nas duas você encontra opções de camping e pousada, no Bonete existe a opção de um hostel também. A escolha fica a critério do quanto esta afim de gastar e quanto de peso quer carregar.

Dicas e observações

  • Não esqueça em hipótese alguma o repelente, os borrachudos vão comer você vivo, principalmente depois de atravessar os rios
  • Água não é problema nessa travessia, existem inúmeros pontos onde é possível pegar água e ainda é possível abastecer nas comunidades caiçaras. Lembre-se apenas de levar Clorin ou Hidrosteril para purificar o que coletar.
  • Não é raro encontrar cobras durante as trilhas em Ilhabela/SP, fique bastante atento, principalmente no trecho após a praia de Indaiauba que é bem fechado.
  • Leve dinheiro para efetuar pagamentos nas praias.
  • Não há sinal de celular durante toda a travessia.
  • Não faça fogueiras na mata e traga todo seu lixo de volta.

Travessia das 6 Praias – Relato

Vou escrever um relato geral, já fiz essa travessia em 3 dias, 2 dias e em 26 horas e realmente o mais prazeroso são 3 dias.

Como eu disse acima, o ideal é ir para o inicio da trilha de ônibus ou ter alguém para te levar e te buscar. Do Ponto final do ônibus até o inicio da travessia tem pouco mais de 1 km já para ir aquecendo as pernas.

Após a porteira se inicia então a famosa trilha até a praia do Bonete, são 12,5 km de trilha sem nada de dificuldade técnica, o caminho é uma antiga tentativa de construir uma estrada que não deu certo e a natureza tomou conta de novo, então o caminho é bem largo e sem chance de se perder.

O primeiro atrativo da travessia já é a cachoeira da laje, no verão ela fica bem cheia devido a facilidade de chegar até lá. Há um bom poço para banho no lado esquerdo e do lado direito existe um “escorregador” natural bem divertido. A continuação do caminho é atravessando pelo rio ou pela ponte pênsil que existe ali.

Depois da cachoeira da laje a natureza começa a mostrar quem manda e some com a impressão de estrada em vários trechos da trilha, são algumas subidas e descidas cheias de pedras.

Os dois próximos atrativos antes da praia do Bonete são o Rio Areado e a cachoeira do saquinho, essa última já a 1 km da praia.

Depois de tudo isso é hora de aproveitar a bela praia do Bonete, que dependendo da época que você for estará praticamente deserta. O ideal então é fazer o primeiro pernoite nela e sair cedo no dia seguinte.

O segundo dia de travessia é uma sequencia de sobe e desce sem fim rsrs

Passando por dentro da comunidade do Bonete, vamos em direção ao poço fundo e continuamos caminhando até iniciar a subida que vai em direção ao mirante, já no topo do morro você vai ver uma placa e uma bifurcação indicando a esquerda o caminho para a praia de Enchovas e reto o mirante (que vale a pena a visita). Essa sequencia de sobe o morro, desce o morro e chega na próxima da praia vai ser praticamente até Castelhanos.

Chegando na praia de Enchovas o caminho correto é entrando no terreno das casas que existem ali logo no começo dele e indo reto seguindo as bananeiras até o fim e virar a direita para atravessar o rio.

Depois de atravessar o caminho já começa a ficar com a vegetação mais alta, mesmo assim ainda é fácil segui-lo, não há bifurcação nenhuma, só seguir o caminho aberto. Já encontramos caninanas algumas vezes depois desse rio de bobeira na trilha, em uma das vezes que estive lá com meu pai e com o Luan passei por cima de uma sem nem perceber, então a partir desse trecho redobre a atenção.

Depois de várias subidas e descidas, é hora da última subida antes de chegar no condomínio de luxo que fica na praia de Indaiauba, no meio da trilha mesmo você vai ver placas de sorria você esta sendo filmado, sinal que esta chegando. Depois de uma subida ingrime e bem escorregadia, tudo se transforma e todo o trecho de descida até a praia é asfaltada com bloquetes.

A praia de Indaiauba é sem duvida uma das mais lindas da ilha, no verão suas águas são extremamente cristalinas, mas como eu disse, ali esta um condomínio de luxo, então não se assuste se ao chegar por trilha algum quadriciclo com segurança chegar para conversar contigo.

A continuação da travessia não passa pela praia, logo após a pequena cachoeira do lado da estrada asfaltada existe uma saída a esquerda que segue para Castelhanos, mas vale a pena dar um pulinho na praia.

O inicio da trilha em direção a Castelhanos é uma enorme subida seguindo um cano de água, passando pelo meio de vários bambuzais onde é preciso se agachar para atravessar e dali para frente o mato vai cada vez se fechando mais.

Aqui você precisa ter em mente que vai começar a caminhar para a esquerda e o som do mar vai sumir até você atravessar a mata e chegar perto da praia vermelha.

Para chegar na praia vermelha você precisa sair da trilha que vai direto a Castelhanos a direita, ir até a praia e voltar, ela é uma praia de águas claras, cercada pela mata, com vários coqueiros e uma comunidade caiçara. Lá também existe um sitio arqueológico do século XIX com restos de cerâmicas neobrasileira, telhas e louças.

Da praia vermelha até Castelhanos é uma trilha de 1,5 km, passando também pela praia mansa. Também não há muito o que errar, só seguir a trilha e as placas que existem por lá.

O destino final da travessia é então a famosa praia dos Castelhanos, a maior praia da ilha com 1.786 m de comprimento, com duas comunidades caiçaras e uma pequena infraestrutura de bares, pousadas e campings.

Próximo a praia existe o mirante do coração, a cachoeira do gato e até mesmo a praia do gato que valem uma visita, além disso o nascer do sol no mar é incrível. Sabendo disso, agora você tem duas opções ir embora pela estrada parque de carro 4×4 ou a pé ou ficar uma noite na praia e aproveitar os atrativos dali.

Se você não contratou nenhum resgate (barco ou 4×4), acrescente mais 20 km de trilha para ir a pé pela estrada até chegar a um ponto de ônibus que leva de volta para a balsa ou para a vila.
Uma observação, a pé você consegue pegar uns atalhos na estrada e diminuir uns 6 km, porém, não passa pela cachoeira que fica na beira dela.

Sem duvida essa é uma travessia apaixonante pelo conjunto de tudo que ela oferece, mar, mata atlântica, rios, cachoeiras e cultura. Não deixe de coloca-la na sua lista

Um último detalhe é que sempre fiz no sentido Sepituba x Castelhanos, mas nada te impede de fazer no sentido contrário, eu acredito que a dificuldade seja um pouco maior só.

Tiago Borges
Tiago Borges

Published on 03/09/2017 10:46

Performed from 02/05/2017 to 02/07/2017

Views

5913