AventureBoxExplore
Create your account
Chapada dos Veadeiros - Goiás

Chapada dos Veadeiros - Goiás

Sete dias visitando alguns pontos da Chapada dos Veadeiros, esse lugar mágico repleto de cachoeiras no cerrado brasileiro, em Goiás.

Hiking Waterfall

Dia 1 – A Visita

A Chapada dos Veadeiros é um dos mais clássicos destinos brasileiros. Já há anos me programava para conhecê-la, e nunca dava certo. Em julho de 2016, aproveitando uma viagem maior pelo Piauí (leia aqui) e Tocantins (leia aqui e aqui), desviei um tantinho a rota e reservei 7 dias para estar imersa nos encantos do mais autêntico cerrado.

Os buritis e o cerrado

Saímos minha amiga Sara e eu de Brasília, onde alugamos um carro (pela Hertz R$907 uma saveiro, por 8 dias com seguro e km livre) e partimos por cerca de duas horas de viagem pela rodovia que tem saída pelo norte da cidade. Chegamos em Alto Paraíso, onde nos hospedaríamos a primeira noite na casa do meu amigo André Dib que mora ali. Fomos super bem recebidas por ele e seus amigos Dado e Marco, numa casa muito alto astral, regada a risoto de pequi com funghi e muitas garrafas de vinho.

Dia 2 – A Chegada

Dia seguinte, partimos em direção à Vila de São Jorge, onde passaríamos os próximos dias. No caminho, não pudemos passar despercebidas pelo Jardim de Maitreya. Um espetáculo que o cerrado concede a qualquer passante de olhos atentos.

Jardim de Maitreya

Em São Jorge nos hospedamos no camping Taiuá, passamos a tarde circulando pelas pequenas e agitadas ruas do vilarejo e à noite jantamos num lugar espetacular chamado Santo Cerrado, onde comi o melhor risoto da minha vida.

Dia 3 - O Parque

Saímos cedo do camping em direção ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Lá, os monitores te apresentam as possibilidades de trekking, que são, principalmente, três: a travessia das Sete Quedas (23km, em 2 dias), a trilha que leva até o Salto do Rio Preto (5km ida) e a que leva até a região dos cânions (5km ida). Nossa intenção era reservar apenas um dia de visitação ao parque, então optamos por fazer os dois percursos menores de 5 quilômetros – uma vez que considerando a ida e a volta de ambos já andaríamos cerca de 20km no total.

À esquerda, as Corredeiras; à direita, os Cânions

Começamos a caminhada às 8 horas da manhã e partimos direto até a cachoeira Salto do Rio Preto. De lá fomos até as Corredeiras e então voltamos ao ponto inicial para começar o outro percurso. Da sede da administração partimos então até os dois Cânions e na volta passamos pela cachoeira chamada Carioquinha, encerrando o perreguinho às 15h.

De volta ao vilarejo e já bastante cansadas, finalizamos o dia com pizza e cerveja no restaurante Papalua, agora na companhia de dois cariocas – o Adriano e o Guilherme - que havíamos conhecido no Tocantins, nessa mesma viagem.

Dia 4 – O Vale da Lua e a Aldeia

A ideia era ir a pé de São Jorge até o Vale da Lua, por um corta caminho que sai bem da entrada da cidade direto até lá. Mas o sol de rachar na cabeça fez com que nossos dedos fizessem um movimento quase involuntário de pedido de carona assim que botamos o pé no asfalto. Lá, pagamos R$20 para cada um de nós entrarmos. Quase não havia água e o lugar estava lotado. Não foi uma boa experiência. Apesar disso, as formações rochosas são mesmo surreais e a serra que compõe o cenário atrás dá um ar grandioso a tudo aquilo.

Vale da Lua Aldeia Multiétnica

De lá, voltamos – dessa vez a pé mesmo rsrs – até São Jorge, pegamos o carro e partimos para prestigiar o evento da Aldeia Multiétnica que estava rolando por conta do Festival de Culturas. Pagamos R$25 para entrar e demos o segundo azar do dia, porque não estava rolando nenhuma atividade. Ainda assim, foi bem interessante. Pudemos participar de uma roda de canções indígenas, comprar uns artesanatos de cair o queixo e conversar com muitas pessoas interessantes.

Almoçamos/Jantamos na famosa pizzaria Canela de Ema e voltamos ao camping para descansar um pouco. À noite no camping rolou um show maneiríssimo do grupo Chapéu de Palha!

Dia 5 – O Segredo

Às 7h da manhã já estávamos de pé rumo à Cachoeira do Segredo, por uma estrada bastante ruim. Lá, após parar o carro, há uma pequena trilha de 1 horinha para ser feita. Como chegamos cedo, estava tudo uma delícia, fresquinho e o sol matinal dando a tudo um brilho bonito. Passamos a manhã toda lá, deitadas numa pedra e pensando na vida.

Na volta, paramos para almoçar no simpático casal Seu Messias e Dona Aparecida, nas praias do Jatobá. Comida maravilhosa e piscinas naturais e ao fundo as histórias da vida dos dois, que foram transformadas depois da chegada de luz na região por meio do programa Luz para Todos. Emocionante!

Fechamos o dia bodeadas no Termas Morro Vermelho (R$20), lugar bem mais ou menos.

Trilha da Cachoeira do Segredo

Dia 6 – A Santa Bárbara

Vá cedo. Essa é a dica mais importante para conhecer esse lugar realmente mágico. Estávamos na semana do Festival de Cultura, o que significa que tudo estava muito lotado. Não seria diferente nesse que é o cartão postal de águas cristalinas da Chapada dos Veadeiros.

Às 7h30 estávamos nós saindo de São Jorge em direção à cidade de Cavalcante. Lá, pagamos uma taxa de R$20 por pessoa pela entrada e mais R$70 por grupo para que vá com você um guia local. Muitas pessoas dão “um gato” no pagamento do guia e vão sozinhas, mas nossa consciência não nos permitiu fazer isso, uma vez que é dali que sai grande parte da renda gerada na região.

Cachoeira Santa Bárbara

Quem nos levou foi a Sirleane, de 19 anos. Primeiro fomos até a Cachoeira da Santa Bárbara, que realmente é de um azul que impressiona. Estava bastante cheia, então havia até uma certa fila organizando a entrada e podíamos ficar por cerca de 1 hora lá, não mais do que isso. Aproveitamos o que foi possível da beleza do lugar e seguimos para a Cachoeira da Capivara, também muito bonita.

Já quase como um almo-janta, paramos para nos alimentar na própria comunidade Calunga da região, numa senhora que nos serviu uma autêntica galinha caipira com mandioca.

Dia 7 – Os Couros

Saímos já tarde de São Jorge, cerca de 11 horas. A viagem até lá foi bastante cansativa, mas a Cachoeira dos Couros era lindíssima, cheia de grandes poços para mergulho. E ela tem uma grande vantagem em tempos de turismo intenso: ela é enorme! Então nunca parece que está cheia, apesar de estar. Passamos a tarde toda por lá... descemos uma espécie de cânion que acompanha o curso do rio que ela forma e o lugar é realmente muito surreal.

Cachoeira dos Couros

Dia 8 – A partida

Dia de ir embora é sempre triste. Nesse caso, bem triste.

Nós não só nos despediríamos da mágica Chapada dos Veadeiros, mas também de uma grande viagem pelo Brasil que chegava ao fim sem a menor vontade de voltar para casa.

Primeira parada foi em Alto Paraíso, onde tomamos café da manhã na imperdível feira de produtos orgânicos no centro da cidade. Aproveitamos para nos despedir dos amigos de lá e comprar alguns produtos.

Seguimos de volta até Brasília, onde nos presenteamos com um almoço chiquérrimo de mariscos e vinhos no Pontão do Lago Sul. De lá fomos pro aeroporto e a sensação que tenho hoje é a de que, apesar de morar em São Paulo, na verdade eu nunca mais voltei desse lugar.

Bruna Fávaro
Bruna Fávaro

Published on 10/17/2016 20:22

Performed from 07/16/2016 to 07/23/2016

1 Participant

Sara Kang

Views

5778

23
Elton Severo
Elton Severo 11/03/2016 20:32

Magnífico ...

Peter Tofte
Peter Tofte 11/04/2016 08:52

Muito bem Bruna! E muito chique (risoto de pequi com funghi e muitas garrafas de vinho)! Adoro aquela região. Proxima vez tenta fazer a trilha 7 quedas (2 dias) e a travessia de Couros para a.... fugiu o nome (2-3 dias)!

The Real Me
The Real Me 11/08/2016 15:35

Preciso conhecer esse lugar!!!

David Cintra
David Cintra 02/08/2017 09:36

sensacional...

Angelo de Queiroz
Angelo de Queiroz 05/10/2017 00:05

Olha, vou te dizer uma coisa: suas fotos e seus textos são mesmo fabulosos. Mas o mais importante é dizer que vc expressou exatamente meu sentimento ao final do seu relato: eu nunca volto de lá, e olha que eu moro no planalto central...

Bruna Fávaro
Bruna Fávaro 05/20/2017 10:48

Verdade né Angelo! Oww lugarzinho difícil de abandonar. :)

Bruna Fávaro
Bruna Fávaro 05/20/2017 10:49

Peter, essa fiquei devendo mesmo! Vc deve estar falando da Couros-Segredo? Nem sabia que tinha isso! Olha só, outra dívida com a região rsrsr

Thácio Marques
Thácio Marques 08/21/2017 13:35

Muito bom, as fotos, o texto, tudo! estou querendo conhecer a chapada dos veadeiros há tempos! provavelmente em inicio de 2018 eu visite

Bruna Fávaro

Bruna Fávaro

São Paulo

Rox
2639

Montanhista, ciclo-mochila-viajante, professora e de bem com a vida!

Adventures Map
facebook.com/bruna.favarosilvio

1 Posts


3848 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Peter Tofte, Bruno Negreiros and 396 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Peter Tofte, Fabio Fliess and 150 others support the Together page.