AventureBoxExplore
Sign Up

Travessia Botafogo x Barra (BoBA) | Rio de Janeiro/RJ.

Hiking de aproximadamente 22km dentro da cidade do Rio de Janeiro.

Hiking

Tipo de Aventura: Trilha (Hiking) na cidade do Rio de Janeiro.
Duração: 1 dia, 01/02/2020.
Ponto de Início: Rua Viúva Lacerda, Botafogo.

Ponto Final: Portaria de entrada da trilha da Pedra da Gávea, Barra da Tijuca.

Tracklog gravado: André 'Dino' Leopoldino

https://pt.wikiloc.com/trilhas-trekking/travessia-boba-botafogo-x-barra-2020-pnt-rj-dino-46385405

Veja também o relato do Dino sobre a mesma aventura:
https://aventurebox.com/dino/trav-botafogo-x-barra-boba-pnt-rj/report

DICAS:

  • Comece a trilha bem cedo, já que ela é bem longa e desgastante.
  • Existem muitos pontos em que a trilha não segue percursos abertos ou pré-definidos. É necessário ter muita experiência para não se perder.
  • Como poucas pessoas fazem esse caminho, a mata pode estar bem fechada em alguns trechos.
  • Se você realmente for fazer, vá com um grupo pequeno e com um guia experiente.
  • Leve seu lixo de volta.

RELATO

Apesar de ser uma trilha que fica dentro da cidade do Rio de Janeiro, através de tentativas anteriores de alguns participantes e de estudos realizados, sabíamos que o desafio não seria fácil e que o dia de caminhada seria muito divertido para aqueles que gostam de um perrengue. Com isso em mente, marcamos o início para as 5:00 a partir da Rua Viúva Lacerda (Botafogo) pois o dia seria longo. Com um ou outro atraso característico da dificuldade de transporte a essa hora na cidade, adentramos na mata por volta das 5:30. Estávamos em um grupo pequeno e bem preparado. Éramos eu, André Leopoldino, Rafael Damiati, Bruno Lacerda e Osório Irreverente. Sabe aquele time que você confia de olhos fechados? Era essa galera.

A galera era boa e andava bem demais. De cara, tudo já começava num subidão que vai do ponto de início até a visualização do costão da parede do corcovado, onde viramos à sudoeste para tangenciar o mesmo. Nesse pedaço, vale a admiração da grandiosidade e belesa daquilo. Seguimos então a caminhada até um ponto de encontro com a trilha do Corcovado (Parque Lage x Cristo). Era começo de fevereiro e o calor estava castigando, mesmo no começo da manhã. Já nesse trecho inicial eu comecei a perceber que não se tratava de uma trilha comum onde geralmente eu tenho que diminuir o ritmo pra acompanhar e cuidar de um grupo inteiro. O Dino puxou um ritmo forte e já começamos a sentir o que normalmente costumamos brincar: “aqui nós podemos soltar a perna”.  Doce diversão onde o coração bate a mil, a respiração fica ofegante, levanta uma perna, pisa, levanta a outra, tudo começa a pesar. O calor era extremo e o cansaço batia. Paradas rápidas pra respirar e seguíamos em frente. Nessas horas dá pra afirmar a importância de ter um psicológico preparado. Afinal, quando você cansa sabendo que tem mais 20km pra andar ainda, só a mente consegue te manter calmo e sereno. Pior ainda, você consegue ficar feliz.

Encontramos então o trecho 14 da trilha Transcarioca, onde saímos da mata fechada e tivemos alguns minutos de alívio, seguindo direto para a Cachoeira dos Primatas e por diversos pontos de interesse, como a Figueira Centenária e o Fusca que carinhosamente apelidamos de “Into The Wild” em homenagem ao livro e ao filme de mesmo nome. Vale mencionar mais uma vez que o calor estava infernal. Pode parecer repetitivo, mas quero exatamente que o leitor perceba isso e imagine um sol de 43ºC fazendo com que tudo fosse ainda mais cansativo e extenuante. Estávamos ensopados de suor. Pensando nisso, tivemos a constante preocupação de manter a hidratação e as baterias carregadas sempre comendo alguma coisa. Afinal, o superaquecimento era uma realidade viável.

"Into The Wild"

Seguindo por algumas horas entre uma mistura de mata fechada e pedaços de trilhas consagradas, chegamos aproximadamente às 12:00 na Vista Chinesa. O ponto turístico se encontra fechado para o acesso de carro, já que houve uma queda de barreira na estrada. Por isso, foi muito bacana ver o local quase que vazio (quem conhece sabe como aquilo fica cheio). Fizemos da Vista Chinesa o nosso ponto de descanso e de recarga das baterias. Alguns de nós estavam literalmente jogados no chão descansando (óbvio que eu era um deles). Ainda bem que tínhamos o Dino com a gente. O cara é um robô para caminhar e não cansa. Alí, aproveitamos a parada para comer bem, tomar bastante água e até comprar algumas bebidas geladas e biscoitos na barraquinha próxima.

Bateria recarregada, por volta das 13:00 voltamos para o percurso. A trilha já começa com uma forte subida rumo ao Cochrane. Foi ali que a nossa sorte mudou. Entraram umas nuvens, o céu fechou e diminui o extremo calor. Nosso rendimento melhorou consideravelmente. Chegando no pico, a trilha fechou novamente e foi um bate cabeça tremendo para a gente reencontrar o caminho. Depois de tentativas, observações, debates e muito companheirismo, aos poucos fomos errando e acertando o caminho. Como disse o Dino em seu relato aqui na plataforma (https://aventurebox.com/dino/trav-botafogo-x-barra-boba-pnt-rj/report):

“Tivemos que ir varando mato para encontrar o resquício da trilha que um dia existiu ali (em 2016 estava menos fechado). A partir de um ponto fomos acompanhando um encanamento branco e chegamos na região da antiga faculdade.”

Depois desse perrengue, finalmente chegamos à Estrada da Canoa, saindo próximo de uma casa abandonada. Alguns metros de caminhada e tentamos chegar até a rampa de vôo da Pedra Bonita via trilha da Agulhinha da Gávea. Porém, por conta do horário e do nosso pouco conhecimento dalí, resolvemos não arriscar muito e entramos pela estrada comum de acesso á rampa. Subimos, passamos pelo estacionamento e chegamos. Mais uma parada para descansar, já que já eram aproximadamente 17:00 e para comer algo. O tempo fechou e começou a chover. Fizemos uma pequena reunião e a decisão foi unânime: PARTIU. Tiramos uma foto do grupo e seguimos por uma entrada que fica á direita da rampa.

Antes da descida final (PARTIU).

Alí começava a nossa descida final do trajeto. Rolou um corre de cachorro que protege uma das propriedades do local (osório salvou a gente) e um pouco de confusão para achar a descida à direita que evita a Chaminé Elí, mas nada muito complexo ou que tenha atrapalhado o fim da aventura. E assim foi. Continuámos descendo até encontrar o fim da trilha da Pedra da Gávea, já com a noite dando o tom, aproximadamente às 18:30~19:00 estávamos no nosso objetivo final.

Final da aventura.

Depois de uma foto e de muita comemoração, nos restava caminhar pelas ruas da cidade até o famoso PF do início da Gávea. Sim, era 19:00 mas ainda tinha aquele PF bolado com o prato cheio de comida. Brincando e rindo bastante, havia ali um sentimento enorme de conquista e contemplação. Poucas cidades no mundo nos proporcionam caminhadas tão extensas e, ao mesmo tempo, tão belas como as que possuímos aqui. E isso bem alí, no meio da metrópole e do caos. Ah, a Mata Atlântica...Obrigado, Floresta Ombrófila Densa.

 

Se liga nesses outros relatos:

 

 

Bruno Negreiros
Bruno Negreiros

Published on 05/14/2020 08:17

Performed on 02/01/2020

3 Participants

André Leopoldino (Dino) Bruno Lacerda Rafael Damiati

Views

293

15
Bruno Negreiros
Bruno Negreiros 05/15/2020 08:58

Opa, Gonçalves. Nem eu conhecia. Foi um grato convite do amigo André Leopoldino. Ele é um grande estudioso de trajetos e caminhos diferentes. Os méritos são todos dele. Eu só fui...hahahaha

Gonçalves
Gonçalves 05/15/2020 09:01

Saudades de subir a pedra da gavea de madrugada, chuvendo e sem lanterna. Subia pela rampa de voo livre pra escalar a geladeira. Descia pelo Alto da Boavista.

Marcio Mirancos
Marcio Mirancos 07/02/2020 17:03

Bacana! Quando voltar ao Rio farei essa.

Bruno Negreiros
Bruno Negreiros 07/03/2020 09:05

Opa, Márcio. Faz sim!! É uma ótima oportunidade pra fazer algo legal e diferente no RJ.

Marcio Mirancos
Marcio Mirancos 07/09/2020 16:56

Com Certeza. Morei muitos anos na Tijuca e volta e meia procurava algo fora do padrão pra fazer.

Young Ho Lee
Young Ho Lee 07/21/2020 07:56

Ola Bruno, muito bacana seu relato. Sou de SP e nao e gostaria de contratar um guia para nos orientar a travessia. Teria alguém para recomendar?

Young Ho Lee
Young Ho Lee 07/21/2020 07:58

Desde já agradeço pela atencao

Bruno Negreiros
Bruno Negreiros 07/21/2020 08:47

Young, não entendi. Você está procurando um guia?

Bruno Negreiros

Bruno Negreiros

Rio de Janeiro

Rox
1617

Engenheiro ambiental e montanhista com o sonho de contribuir para a disseminação dos esportes ao ar livre e de aumentar a conscientização ambiental e social no mundo outdoor.

Adventures Map
www.instagram.com/brunobnegreiros?r=nametag

4 Posts

Bruno Negreiros Sinto Saudade!
Bruno Negreiros Você conhece o FEAL?
Bruno Negreiros Dica de Livro: Manual de Trekking & Aventura
Bruno Negreiros A Escalada
See More

4013 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Bruna Fávaro, Ana Retore and 309 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Ana Retore, Bruna Fávaro and 81 others support the Together page.