AventureBoxExplore
Create your account
Pico do Baepi | Ilhabela - SP

Pico do Baepi | Ilhabela - SP

Trilha de 7.4 km, ida e volta, até o Pico do Baepi com aproximadamente 1.040 metros de altitude. Um dos cartões postais do Litoral Norte.

Mountaineering Hiking

Este relato de 2009 foi recuperado do antigo Blog Piá Ventura, que era escrito por mim, Jeff Almeida, Carol Emboava, Ederson Wagner e Mariana Ricatieri. Aos poucos estamos trazendo as publicações aqui para o AventureBox, acompanhe no perfil desta galera ;)

Até que enfim, a lenda do Baepi se tornou fato!

Depois de muitas promessas, desencontros, chuvas, durante quase 7 meses combinando a subida (que já estava até virando “lenda” entre os amigos) nós subimos o tão almejado Pico do Baepi. [aplausos, assovios, fogos]

Tivemos o desfalque de nosso parceiro Américo, que não pode estar presente, mas tiramos muitas fotos da vista maravilhosa para ele (fazendo inveja :D).

A viagem começou cedo, saímos antes das 7 da manhã de Caraguá (só o Baepi faz milagres!), tomamos um café em São Sebastião e fomos para a fila da balsa. Mais ou menos 40 minutos depois estávamos encostando no estacionamento que fica no início da trilha.

Antes mesmo de trancar o carro fomos contemplados com um breve “oi” de um tucano que sentou na árvore ao lado de onde estacionamos o carro. Pena que o bixo foi mais ligeiro que nós e não conseguimos tirar uma foto.

Nos primeiros 600 metros, a trilha passa por um campo de mato rasteiro (um tipo de sapê) na altura do joelho que torna a subida de bermudas uma má idéia. Uma calça leve é a melhor opção.

Logo que entramos na mata um pássaro com o canto alto de compasso constante que lembra um ranger de portão chamou nossa atenção, apesar de não conseguir vê-lo descobrimos posteriormente (Viva a WikiAves!) que era uma Araponga.

A maior parte do trecho de mata (quase 2,5km) é bastante íngreme tornando obrigatórias as paradas para descanso e hidratação. É importante lembrar que não existe água na trilha, porém um pouco antes da entrada na mata (após uns bancos de madeira para descanso) tem uma trilhazinha que dá acesso a uma bica que pode ser usada para encher os cantis, camelbags, garrafas pet e etc.

Nos últimos 200 metros a trilha se torna quase uma escalada, em alguns pontos é preciso usar cordas para subir por entre as pedras. Além de um bambual bem fechado onde é preciso rastejar alguns metros para atravessar.

Chegando próximo ao topo, encontra-se a placa que parabeniza a conquista do Pico do Baepi, ao seguir o caminho da direita encontramos um mirante de onde podemos avistar a mata do interior da ilha, porém a cortina de névoa não permitia enchergar muito longe. Na volta descobrimos que desse ponto é possivel avistar o pico e parte do canal entre Ilha Bela e São Sebastião.

Retomando o caminho da esquerda, logo é preciso utilizar as cordas deixadas pelos guias locais para descer uma pedra, e alguns metros adiante chegamos ao pico.

Mesmo com a vista totalmente encoberta, a sensação de conquista prevaleceu, porém, a cortina denévoa não permitia enxergar nada além de uns 30 metros, mas confiantes nas previsões de nosso amigo CPTEC-INPE de que o tempo ia limpar, não desanimamos e logo em seguida fomos surpreendidos por um facho de visibilidade que permitiu uma das mais belas vistas (até então) de toda subida, tire suas conclusões pela foto.

Logo em seguida, as nuvens resolveram entrar em um ciclo de desaparecer e reaparecer conforme iam se formando logo abaixo de nós (sensação fantástica, de ver a nuvem se formar). O vento nos ajudava, levando as nuvens para longe e quando parava só dava para ouvir alguns pássaros principalmente a nossa velha amiga Araponga (ouça seu canto) e os enormes motores dos petroleiros que rondavam a ilha.

Em um momento de quase absoluto silêncio, nos demos conta de como foi difícil a subida, não é coisa para qualquer um, tem que ser praticamente um herói para conseguir conquistar o pico, ... etc. Quase que no mesmo instante ouvimos vozes, torcemos para ser a Araponga com problemas na garganta, mas não era, logo podemos avistar nossos novos amigos conquistadores do pico (Carlucia, Débora, Renato e Sandra) que fizeram a subida em 2h, ao saber disso deu vontade de pular rsrs… mas o pessoal era muito gente fina e preferimos aproveitar para trocar idéias em um dos lugares mais belos que tive a oportunidade de conhecer :)

Para acabar ainda mais com nossa auto-estima ouvimos vozes novamente… agora sim tem que ser a Araponga, não era... eram crianças, um casal (que nem chegamos a pedir o nome, pois estávamos nos preparando para descer) e 3 crianças parabéns a eles! rsrs

Nesse momento percebemos que, apesar do perrengue para subir (em função de nosso total sedentarismo) a conquista do pico não é de tão grande dificuldade e, com um pouco de equilíbrio e boa vontade qualquer pessoa consegue chegar lá. Para quem não tem experiência alguma, sugiro contratar um guia junto a sede do parque.

Na volta, como todo santo ajuda, fizemos o percurso em um tempo menor, o que garantiu alguns belos tombos de todos (pois a trilha estava úmida e escorregadia), motivo de risadas entre a nova galera.

Encontramos também uma cobra muito paciente e fotogênica e, logo em seguida, um bicho-pau.

Felizes por ter conquistado o pico, por ter tido o prazer de ter uma vista impressionante do canal de São Sebastião, por ninguém ter se machucado, seguimos nosso rumo ficando somente as boas lembranças do pico e do pessoal que conhecemos lá, e as fotos, é claro.

Abraços a todos e até a próxima!

Renan Cavichi
Renan Cavichi

Published on 11/04/2015 15:23

Performed on 11/03/2009

1 Participant

Ederson Rafael Wagner

Views

5371

4
Claudio Luiz Dias
Claudio Luiz Dias 11/04/2015 16:00

Pois é Renan. A trilha continua a mesma mas agora tem umas escadas no lugar das cordas. Eu levei bastões de caminhada que ajudaram muito. Agora quero ir de madrugada para ver o nascer do sol lá de cima. Topa?

Renan Cavichi
Renan Cavichi 11/07/2015 20:01

Sim, bastões são sempre bem-vindos, aliviam muito a carga nos joelhos, principalmente nas descidas e caminhadas com cargueiras! Bora reunir um pessoal pra fazer essa noturna.

Fabricio Oliveira
Fabricio Oliveira 03/30/2016 08:52

preciso subi esse pico,olho ele todo dia e até hoje ainda não subi nele..

Renan Cavichi
Renan Cavichi 03/30/2016 10:23

Fabricio, você vai curtir muito! Precisa dar sorte de pegar o tempo aberto! Mas a trilha é tranquila, vale a pena!

Renan Cavichi

Renan Cavichi

Caraguatatuba - SP

Rox
4867

Apaixonado por atividades outdoor e aventuras. Explorar as belezas naturais do nosso mundo na companhia dos amigos é uma das minhas maiores felicidades na vida.

Adventures Map
www.linkedin.com/in/renancavichi

5 Posts

See More

6182 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Fabio Fliess, Bruno Negreiros and 396 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Bruna Fávaro, Bruno Negreiros and 150 others support the Together page.