AventureBoxExplore
Sign Up

Complexo do Intancado - Cabeça de Boi

Trilha realizada no início de 2019, durante um rolê na região do Parque Nacional da Serra do Cipó.

Hiking Waterfall

Complexo do Intancado - Cabeça de Boi - 03.01.2019

Esse é o sexto relato sobre aventuras que fizemos no entorno do Parque Nacional da Serra do Cipó, entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019. Os outros relatos já publicados aqui no AventureBox, estão no final do texto.

Depois de voltamos do Pico do Itacolomi, aproveitamos o restante da tarde para caminhar pela vila, tomar uma cervejinha na pousada e descansar. Tentamos encontrar algum lugar para comer a noite, mas não achamos nada e acabamos tendo que comer na pousada mesmo. Não reclamei porque a comida era deliciosa.
Como de costume, acordamos cedinho e tomamos nosso café sem correria. Perto das 9h, subimos no carro e pegamos a estradinha de terra ao lado da igrejinha, para encarar os quase 7kms até a propriedade do Zé Grilo, onde fica o complexo de cachoeiras. Essa propriedade faz divisa com as terras do Parque Nacional da Serra do Cipó e essas cachoeiras são um ponto de passagem da travessia Alto Palácio X Cabeça de Boi.
Depois de uma forte descida, chegamos em um rio para cruzar. Apesar de largo (uns 10 metros), era raso com o fundo cascalhado. Hesitamos por um momento e um morador que estava ali por perto falou que o nosso carro não teria nenhum problema para atravessar. Colocamos a tração e passamos sem dificuldades. Para quem está a pé, e isso é bem comum por lá, existe uma ponte suspensa ao lado para ajudar. Em condições normais, qualquer carro passa tranquilamente, mas quem estiver com carro baixo, recomendo perguntar aos moradores como está as condições da estrada e desse rio, para não ter dor de cabeça.
Apesar do solo encharcado, o restante do caminho foi bem tranquilo, com mais alguns riachos mais estreitos para atravessar. Em cerca de 30 minutos chegamos em uma porteira, onde havia uma senhora cobrando a entrada (R$ 10/pessoa). Pagamos o valor combinado e ela nos indicou onde deveríamos deixar nosso carro.
Do estacionamento fomos até o Lajeado, um bonito remanso do Rio Preto com muitos poços para curtir. As meninas não estavam a fim de caminhar nesse dia e resolveram ficar por ali. Eu e Gilmar, depois de tirarmos algumas fotos, voltamos até o estacionamento e pegamos a estradinha em direção a Cachoeira do Intancado (ou Entancado, como alguns dizem).

Passamos por uma pequena pinguela e a trilha segue ao lado do Rio Preto, sem maiores dificuldades. No caminho, vimos a placa sinalizando a entrada para a Cachoeira do Chuvisco e resolvemos deixar para conhecê-la na volta. Em pouco tempo chegamos até a cachoeira, que estava com um bom volume de água. Ficamos pulando pelas pedras e tirando fotos. O tempo não estava muito bom e eu não me animei em entrar na água.
Voltamos um trecho e achamos um ponto mais raso para atravessar para a outra margem do rio, para irmos até a Cachoeira da Maçã. Tiramos as botas e atravessamos sem problemas. Pouco depois a trilha sai do trecho de mata, e começa um trecho de subida mais erodido. A sinalização voltou a aparecer, e em um determinado ponto tocamos para a direita. Após um pequeno trecho plano, chegamos até a entrada do pequeno “canion” onde está encravada a Cachoeira da Maçã.

A cachoeira não é alta, deve ter no máximo uns 10 metros, mas visualmente é de uma beleza sem par. Para chegar até o poço, que é bem bacana, é preciso cuidado para caminhar por dentro do leito do rio. Fotografamos bastante e pouco depois resolvemos nos mandar, porque o tempo estava começando a fechar.
De volta a bifurcação, não encontramos nenhuma indicação para a Cachoeira dos Macacos, mas o caminho era óbvio. Subimos um pouco mais e conseguimos ver a cachu de longe, mas também vimos nuvens ameaçadoras bem acima dela. Como sabia que haveria um trecho dentro do leito do rio, abortamos a tentativa e começamos a nossa volta. Quando chegamos novamente no trecho de mata, vi uma placa indicando o Intancado e resolvemos entrar por ali. Logo chegamos a um outro ponto para atravessar o rio, mais próximo dessa última cachoeira. Cortaríamos um pouco o caminho e não reclamamos dada a beleza do lugar.
Já podíamos ver a chuva bem ao longe, mas ainda assim resolvemos dar uma subida para visitar a Cachoeira do Chuvisco, que naturalmente tem pouca água e um poço bem pequeno. Tiramos umas fotos para comprovar a visita e aceleramos para encontrar as meninas no Lajeado.

Chegando lá, finalmente aproveitamos para dar um mergulho nos poços e relaxar um pouco. Nossa alegria não durou muito, pois logo a chuva chegou. Retornamos até o estacionamento, pegamos o carro, e voltamos até Cabeça de Boi. Para nossa sorte, a chuva ainda não havia feito nenhum estrago na estrada.
Chegando no vilarejo, paramos no bar do Seu Agostinho para tomar uma cerveja geladinha. Papo vai, papo vem, resolvemos comer uns petiscos por lá mesmo. Pedimos duas porções de pastel de queijo e uma carne de panela deliciosa. Estava tão gostoso, que repetimos o pedido, com mais cerveja gelada.
Depois disso, um bom banho e um merecido descanso na pousada.

Trilha 1 (Lapinha da Serra): Cachoeira Bicame
Trilha 2 (Lapinha da Serra): Pico da Lapinha
Trilha 3 (Serra do Cipó): Cachoeira do Gavião
Trilha 4 (Serra do Cipó): Cachoeira Capão dos Palmitos
Trilha 5 (Cabeça de Boi): Pico do Itacolomi

Fabio Fliess
Fabio Fliess

Published on 03/28/2020 17:17

Performed on 01/03/2019

1 Participant

Letícia Fliess

Views

529

2
Peter Tofte
Peter Tofte 03/30/2020 09:09

Que temporada boa na Serra do Cipó!

Fabio Fliess
Fabio Fliess 04/03/2020 11:14

Salve Peter. Foi uma temporada muito produtiva, com certeza. Dentro de alguns dias, solto o último relato da trip. Abração.

Fabio Fliess

Fabio Fliess

Petrópolis - RJ

Rox
2177

Take it easy e bora pras montanhas! Instagram: @fliess

Adventures Map

5518 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Ana Retore, Renan Cavichi and 292 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Renan Cavichi, Ana Retore and 69 others support the Together page.