AventureBoxExplore
Create your account
Pedalando na América Austral #12

Pedalando na América Austral #12

O reencontro de um amigo!

Bike Trip Camping

Como de costume, deixo aqui o link do post anterior, pois esse post é parte da série Pedalando na América Austral, uma cicloviagem que realizei entre 2015 e 2016, também deixo no final uma lista com todos o posts publicados até o momento.

No dia 22 de novembro de 2015, eu estava em Luján era dia das eleições presidências da Argentina, sai logo cedo e passei em frente a basílica, para tirar algumas fotos antes de seguir viagem, lá encontrei alguns cicloturistas argentinos que estavam fazendo uma viagem de peregrinação a Luján, conversamos um pouco e tiramos uma foto juntos um deles tinha uma pequena carretinha na bicicleta, nesse dia meu objetivo era chegar a Cañuelas onde eu iria reencontrar o Oscar, o argentino que conheci no Uruguay e tinha me acompanhado até Colonia del Sacramento, segui pela RP 6 uma estrada que contorna Buenos Aires e outras cidade próximas, podemos comparar ao Rodoanel que contorna São Paulo só que o anel de contorno estaria em Campinas, no trecho de Luján a Cañuelas não tem nenhum posto de gasolina ou restaurante de estrada, é apenas um grande deserto, o vento contra soprava com força o suficiente para me deixar cansado ao longo do dia, lembro de ter parado em um ponto de ônibus onde fiz um descanso e comi algo, esse ponto de ônibus foi a única sombra que encontrei naquele dia. Em um determinado ponto encontrei um ciclista empurrando sua bicicleta no mesmo sentido que eu seguia, ao me aproximar vi sua bicicleta carregada se tratava de um cicloturista, o cumprimentei, ele respondeu a minha saudação com um tom de desanimo, achei estranho e mesmo assim tentei conversar mais uma vez, perguntei sobre se estava viajando e para onde estava indo, sem olhar para mim ele respondeu “vivo assim”, notei que o sujeito não queria conversar desejei sorte e voltei a pedalar no ritmo que vinha, alguns minutos depois ele passou por mim pedalando e alguns metros à frente parou e voltou a empurrar a bicicleta, ao passar por ele apenas fiz mais uma saudação e segui meu caminho sem retornar a vê-lo.

Ciclistas em Luján|Argentina

Cheguei em Cañuelas no fim da tarde, uma cidade menor e mais tranquila de Luján, também parecia mais agradável, como era o dia das eleições a rua estava tomada por policiais, após andar algumas quadras pela avenida principal perguntei a um policial onde era a estação de trem, não estava longe tinha que seguir por mais algumas quadras pois ficava no fim da avenida principal, Oscar fez o percurso de Buenos Aires a Cañuelas de trem por questões obvias de segurança e comodidade, pois segundo informações que teve a saída da capital pela RN 3 é um pouco complicada e perigosa, não demorou muito e o trem chegou, se passaram 10 dias desde Colonia del Sacramento onde me despedi de Oscar, nesse período ele visitou um primo na capital Argentina onde deixou suas coisa, voltou para sua casa onde passou alguns dias e agora ele estava de volta a estrada para cumprir seu objetivo de chegar em Ushuaia. Ele aproveitou o tempo de viagem no trem para pesquisar onde ficar em Cañuelas e havia encontrado um clube de jipeiros que nos deixou acampar em sua sede, na manhã seguinte saímos para o primeiro trecho da Ruta Nacional 3 que liga Buenos Aires a Terra do Fogo, nesse dia chegamos a San Miguel del Monte um pedal curto de mais ou menos 40 km, chegamos bem cedo e conseguimos um camping dentro da cidade à beira da Laguna del Monte.

Camping em São Miguel del Monte|Argentina

Saímos de São Miguel del Monte com destino a Las Flores, nesse ponto a estrada toma características marcantes e demasiada entediante, o pampa Argentino é totalmente plano e as retas não tem fim, fomos avisados de um longo trecho sem acostamento e com muretas estreitando a pista que nos obrigaria a disputar espaço na pista com os carros e caminhões, mas o trecho longo não era tão longo assim, apenas 3 km, fizemos uma pausa em uma área de descanso ao lado de um posto de gasolina onde cozinhamos algo para o almoço, no fim da tarde chegamos em nosso destino do dia, em Las Flores pedalamos até o camping municipal que fica no Parque Plaza Montero, conversamos com o responsável pelo camping que se interessou pela nossa viagem estranha para ele, mas solidarizou-se conosco e liberou o chuveiro dos funcionários para o nosso uso, após acertar o camping decidimos ir comprar as coisas para o nosso jantar, o Oscar tratou de ir a uma carniceira (açougue) e eu fui a uma verdureria ou quitanda como conhecemos por aqui, após escolher um pé de alface, tomate e cebola e perguntar quanto pagaria por aquilo, tive uma bela surpresa quando dono do comércio me disse que era um regalo, não foi a primeira vez e nem a última vez que ganhei algo na viagem e fiquei muito feliz, ao retornar ao camping tratamos de cozinhar um bom bife acompanhado de uma bela salada.

Oscar e seu curioso triciclo

Nossa próxima parada foi em Cachari, no meio do caminho enquanto procurávamos uma sombra para descansar e almoçar encontramos a entrada de uma fazenda com um pequeno quiosque para vender os produtos da fazenda, perguntamos se podíamos ficar na sobra ao lado para descansar e almoçar, uma senhora muito simpática nos respondeu que sim, após fazer nossa refeição ela veio conversar conosco perguntou da viagem e nos presenteou com um pote de mel produzido na fazenda, seguimos viagem feliz da vida com o novo doce na bagagem, ao chegar na cidade logo as pessoas ficaram curiosas e um grupo de crianças começou a nos acompanhar, fomos no comercio comprar nosso jantar, mais uma vez fui presenteado por um cidadão generoso quando entrei em uma padaria para compra pão e ganhei uma garrafa de refrigerante, fomos ao camping municipal rodeados pelas crianças que perguntavam da viagem e sobre nossos equipamentos, como sempre o triciclo do Oscar fez sucesso as crianças queria andar nele ou pelo menos sentar nele já que estava muito pesado com toda a bagagem, depois elas dispersaram acredito que ficou tarde e já estava na hora de irem para casa.

Criançada em Cachari|Argentina

O triciclo do Oscar era mais lento que minha bicicleta, com o passar do tempo combinamos uma dinâmica na estrada, uma parada a cada 20km ou 2 horas, essas paradas serviam para comer descansar, combinar o que fazer nos próximos quilômetros e também para não ficarmos muito distantes, quando estávamos no caminho de Cachari para Azul em um determinado momento percebi uma certa demora do Oscar em me alcançar em uma de nossas paradas quando chegou ele me mostrou o bagageiro quebrado, o primeiro de vários pequenos problemas no triciclo, ele demorou para me alcançar pois parou para redistribuir o peso de seus alforges.

Em Azul conseguimos nos hospedar na casa de um coushsurfing chamado Leandro, cara muito gente boa, estudante de ciências sociais e apicultor, logo falamos sobre o mel que ganhamos no dia anterior, compramos cerveja e alguns salgados pra comer antes do jantar, o Oscar não encontrou nenhum lugar próximo para consertar o bagageiro do triciclo, e como tínhamos um coushsurfing combinado para a próxima cidade no dia seguinte não procuramos muito também, de certa forma nessa época eu ainda estava com pressa em relação a viagem, tinha a preocupação em chegar em Ushuaia próximo a virada do ano, essa pressa fez com que ficássemos apenas uma noite em vários lugares, provavelmente hoje eu faria de forma diferente e teria ficado um tempo a mais em Azul.

Leandro em Azul|Argentina

Durante o meu planejamento eu procurei colocar pequenos pontos turísticos no meu caminho para não ter apenas como plano seguir a estrada sem parar para ver o que há em volta, mesmo que isso me levasse a fazer pequenos desvios mas que voltassem a rota original em um ponto mais a frente, durante esses dias eu convenci o Oscar em desviar da RN 3 e seguir para Sierra de la Ventana, um lugar que estava em meus planos, depois retornar para o caminho original pela Ruta Nacional 33 que liga Tornquist a Bahía Blanca, a cidade de Azul era nosso ponto de desvio, pegamos a estrada que leva a Olavarría que era nossa próxima parada há apenas 54km, confesso que apesar de empolgado para conhecer Sierra de La Ventana estava apreensivo com o caminho, pois deixaríamos a RN 3 cheia de cidades e pontos de parada para seguir por um caminho com que não parecia ter muito apoio após Olavarría, saímos da casa do Leandro com o tempo nublado e uma garoa fina, o tempo piorou e antes de chegar na estrada já era uma chuva forte, paramos em um posto de gasolina e aguardamos a chuva passar para seguir viagem, durante todo o dia brigamos contra o vento que só deu uma trégua quando a entramos na cidade, acho que foi nesse trecho que um caminhoneiro passou por mim e parrou um pouco a frente, ele me presenteou com um colete refletivo para melhorar a minha visibilidade e segurança.

Luciano e uma amiga - Olavarria|Argentina

Chegamos em Olavarría muito cansados por pedalar o dia todo contra o vento e tratamos de procurar logo a casa do Luciano com quem fizemos contato pelo couchsurfing, chegando lá explicamos o problema com o triciclo e pedimos ao Luciano um dia a mais em sua casa para resolver o problema do triciclo, no dia em que chegamos ele convidou seus amigos para jantar conosco conversamos sobre a viagem, o Luciano nos contou sua vontade de viajar o mundo e que estava usando o couchsurfing para fazer contatos que o ajudariam, tempos depois de retornar dessa viagem via através de suas redes sociais que o Luciano conseguiu realizar seu sonho de viagem, um de seus amigos era estudante de música e dj, enquanto estávamos lá ele ficava no comando da trilha sonora. No dia seguinte logo cedo, tratamos de levar o triciclo a bicicletaria, lá não faziam serviço de solda então desmontamos o bagageiro e o levamos até oficina na mesma rua, problema resolvido voltamos para ajudar o Luciano a limpar a casa de seus pais que não moravam mais na cidade e colocaram a casa para alugar. Nessa noite, conversamos sobre a nossa rota para Sierra de la Ventana, foi quando ele falou sobre seus amigos que tinham uma estancia (fazenda) que estava em nosso caminho, ele ligou para Leo e Jezz e perguntou se podiam nos receber, a resposta foi ”...se chegarem ao meio dia temos um assado de cordeiro”, no dia seguinte antes as 7:00 da manhã estávamos na rua terminado de acomodar a bagagem e nos despedindo do Luciano, nunca saímos tão cedo para pedalar...rs

Posts relacionados

André Lima
André Lima

Published on 05/02/2020 12:15

Performed from 10/05/2015 to 03/31/2016

Views

475

André Lima

André Lima

São Paulo - SP

Rox
985

Ciclista, viajante e pai do Theo :) Autor do antigo blog PedalandoBicicletas e sempre planejando a próxima aventura!!! Instagram @andr.slima

Adventures Map
linktr.ee/andre.lima

1 Posts


345 Following



Minimum Impact
Manifesto
Rox

Peter Tofte, Bruno Negreiros and 385 others support the Minimum Impact Manifest


Together
Inclusive Adventures
Rox

Peter Tofte, Bruno Negreiros and 142 others support the Together page.